Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

“Sinaliza um tímido movimento de recuperação”

Carlos Melles, presidente do Sebrae, sobre os resultados positivos na economia
19/07/2020 00:00 - Cláudio Humberto


“Sinaliza um tímido movimento de recuperação”

Carlos Melles, presidente do Sebrae, sobre os resultados positivos na economia

 

Maia segura R$177 bilhões para combate à covid

Nas rotineiras entrevistas, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, fala sempre da “preocupação” com a pandemia, mas, na prática, segura há quase dois meses a destinação de R$177,7 bilhões de fundos setoriais que estão parados no Tesouro Nacional para combater a pandemia. O texto teve regime de urgência aprovado há mais de um mês e ainda não foi pautado por Maia, apesar de várias tentativas em reuniões de líderes

Entendimento raro

O deputado Mauro Benevides (PDT-CE) identificou os recursos em 29 fundos e mesmo vindo da oposição tem apoio do ministro da Economia.

Dinheiro no colchão

Segundo Benevides, há recursos parados há 20 anos que podem ser usados em vez do endividamento. “O déficit previsto é de R$805 bilhões”

Apoio do governo

O ministro Paulo Guedes (Economia) disse que a ideia é “desbloquear isso e justamente pagar a guerra ao coronavírus”. Maia não se abalou.

Para se ter uma ideia

Os R$177,7 bilhões seriam suficientes, por exemplo, para prorrogar o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 por mais seis meses.

Pânico leva a mortes por falta de atendimento

Levantamento mundial da World Stroke Organization (WSO) verificou redução de 60% nos atendimentos médicos em decorrência de AVCs, mas o motivo é dos mais preocupantes. Segundo neurologistas, isso não representa menor incidência de acidentes vasculares cerebrais, mas revela que as pessoas estão deixando de buscar atendimento nos hospitais porque têm medo de acabarem infectadas pelo coronavírus.

Doenças não sumiram

Diretora da Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, Gisele Sampaio lembra que “a covid-19 não levou embora as outras doenças”.

Efeito indireto

Octávio Marques, chefe do Serviço de Neurologia Vascular da USP, prevê mais pessoas incapacitadas como “segundo impacto da pandemia”

Parte da culpa

Um dos maiores problemas identificados por neurologistas e médicos de outras áreas é que o foco, principalmente da mídia, está na covid-19.

Ativismo togado

A Justiça do Trabalho continua produzindo presepadas. Contrariando o TST, a primeira turma do TRT-MG “reconheceu” vínculo empregatício de um motoboy com o iFood, alegando que o aplicativo “controla” o serviço, quando na verdade o controle é feito pelo cliente. Que vergonha.

Articulações não param

Apesar de não atrair holofotes, seguem as articulações pelo comando da Câmara. O atual presidente Rodrigo Maia terá de vazar em fevereiro de 2021. Tentou emplacar nova reeleição, mas foi ignorado.

Lucena candidato

No Congresso, ex-colegas de Cícero Lucena registraram, com otimismo, a sua candidatura à prefeitura de João Pessoa, que já governou por duas vezes. O político paraibano deixou muitos amigos em Brasília.

Muito mais úteis

No DF, o deputado Eduardo Pedrosa (PTC) fez a contas dos R$273,4mil que economizou em 18 meses de mandato: bancariam a educação de 900 alunos da rede pública por um mês, pelos parâmetros do Fundeb.

Para pesquisa, pode

A Justiça Federal do Rio autorizou a Associação de Apoio à Pesquisa e a Pacientes de Cannabis Medicinal, do Rio, a cultivar maconha para fins medicinais. Esta é a segunda ONG a obter este direito na Justiça.

Ah, a Justiça

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu manter presa preventivamente uma mulher que mantinha seu pai idoso em cárcere privado. Bem feito. Já Suzane von Richtofen...

Casas das mulheres

O Ministério da Mulher e Direitos Humanos liberou R$5 milhões para erguer quatro unidades da Casa da Mulher Brasileira, no DF, para atender mulheres ameaçadas de violência e vulnerabilidade social.

Ano diferente

A Confederação Nacional do Transporte realiza no próximo mês o Prêmio CNT de Jornalismo 2020, que reconhece matérias e fotografias sobre transporte. A crise no setor será o tema dominante da premiação.

Pensando bem...

...se réveillon está proibido, protesto de rua é pecado.

 
 

PODER SEM PUDOR

Duda e seu joão-bobo

Lula ainda cambaleava, após a segunda derrota para FHC, quando Duda Mendonça encontrou o jornalista Ricardo Kotsho na cantina “Il Sogno di Anarello”, em São Paulo. Ali, entre “chiantis” de qualidade duvidosa e ao som da música “Champagne”, na voz do proprietário Giovanni Bruno, o marqueteiro fez uma proposta surpreendente: vindo de campanhas malufistas, ele queria o apoio de Kotsho, amigo de Lula, para “vender ao PT” a ideia de ele fazer a próxima campanha petista, e de graça. Até antecipou a primeira “peça” de campanha: um Lulinha de bolso, pequenininho, que funcionaria como joão-bobo, aquele que toma piparotes e fica sempre de pé. “Getúlio usava um bonequinho desses”, lembrou Duda. Kotsho não parecia muito entusiasmado, mas prometeu levar a ideia ao PT. Deu no que deu: cadeia. Duda não precisou usar o Lulinha. Muito menos trabalhar de graça.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.