Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“Só falta essa, quere me ensinar como eu devo votar. Não imaginava que seu autoritarismo chegasse a tanto”

de MARCO AURÉLIO MELLO // do STF a Luiz Fux, presidente da Corte, no fim da sessão que decidiu a prisão de André do Rap.
20/10/2020 05:00 - Giba Um


Só falta essa, quere me ensinar como eu devo votar. Não imaginava que seu autoritarismo chegasse a tanto”,  de MARCO AURÉLIO MELLO // do STF a Luiz Fux, presidente da Corte, no fim da sessão que decidiu a prisão de André do Rap.

Enquanto a Europa enfrenta uma segunda e mais numerosa onda de infecções pelo coronavírus, França, Reino Unido, Espanha e Itália juntos registam 50,9 mil casos por dia, segundo o Worldometer. 

Mais: os quatro países (que seguem tendência de alta), somados têm população semelhante à brasileira, mas duas vezes e meia mais casos que o Brasil. Em queda, desde o início de agosto, tem cerca de 20 mil casos diários. 

In – Vestido envelope

Out – Vestido chemise

 
 

Mais uma vez Manu

O ano de 2020 está sendo um ano diferente para todos, por causa da pandemia. Mas para cantora, atriz e compositora Manu Gavassi está sendo um dos mais proveitosos. Ao entrar no BBB20, Manu alçava alcançar o reconhecimento de seu trabalho e conseguiu, muito além do que imaginava. 

Ganhadora de vários prêmios neste ano e uma das ex-BBB mais queridas de todos os tempos, Manu ganhou mais uma capa de revista. Aparece agora na Elle Brasil.

 Em entrevista, disse que procura não ler os comentários de suas redes sociais porque muitos invadem sua vida. “É irônico que, no momento em que estava mais exposta e vulnerável, eu estava me sentindo mais livre, porque não tinha acesso a nenhuma opinião”. 

E completa: “Apesar de eu ter participado de um reality show, sou uma pessoa bem privada, gosto de manter minha vida pessoal reservada. Uso as redes para expor meu trabalho e acredito que meus fãs entenderam isso”.

Ação discreta

Apadrinhados pelo presidente Bolsonaro, os candidatos Celso Russomano, em São Paulo e Marcelo Crivella, no Rio, ambos do partido Republicanos, apresentam nas redes sociais uma atuação discreta e enfrenta desafios para obter engajamento digital positivo, é o que aponta o relatório de monitoramento da Diretoria de Análises de Políticas Públicas da FGV. 

Curiosamente, o monitoramento da FGV Dapp revela ainda que os candidatos que até o momento despontam como líderes de pesquisas nas duas capitais – o próprio Russomano em São Paulo e Eduardo Paes no Rio – têm baixa presença digital. 

Os principais articuladores digitais das duas capitais representam a polarização nacional entre esquerda e direita. Em São Paulo, os líderes dessa articulação digital na esquerda são Guilherme Boulos (Psol) e a direita Arthur do Val, conhecido como “Mamãe falei”, do Patriota. 

No Rio, a articulação digital vai para o deputado federal Luiz Lima, candidato do PSL. E Crivella é líder no Facebook e Instagram, mas as menções ao atual prefeito são praticamente negativas.

 
 

Nova Embaixadora

2020 também está sendo o ano da cantora Iza, 30 anos, que segue firme como técnica do The Voice Brasil e uma das mais aclamadas cantoras da nova geração. 

Também está sendo uma das mais procuradas para a publicidade, já esteve à frente das campanhas da Devassa, Garnier e agora é garota propaganda da Tim e Universidade Anhanguera. Mais: acaba de ser nomeada a nova embaixadora da Olympikus. 

A nova coleção da marca chega ao mercado nacional em março de 2021 e Iza participou da criação. “ A arte pode ter diversas formas e estou muito feliz em levar minhas referências e estilo também para o mundo da moda e do esporte com a Olympikus agora”.

Mais que emergente

As novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostram que o PIB per capita brasileiro vai crescer em um ritmo que é menos da metade dos emergentes no ano que vem, além de afundar mais que a de seus pares neste ano. 

Segundo o FMI, o PIB per capita vai encolher 6,4% neste ano e crescer 2,2% no ano que vem, enquanto a retração dos emergentes é de 4,7% em 2020 e alta de 4,8% em 2021. O poder de compra é uma forma de refletir melhor o custo de vida dos países.

 
 

Chairman

É grande a boataria de que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, aos 89 anos, teria aceitado ser chairman do grupo Itaú-Unibanco. Não é tão surpreendente: Ernesto Geisel, depois da presidência, foi chairman da Norquisa, Fernando Collor e Itamar não entraram na fila porque certamente ninguém quis. 

Lula e Dilma por motivos óbvios e Michel Temer por problemas morais, nem aspiraram a cargos.

Estragos

Continua produzindo estragos a recomendação do Conselho Nacional de Justiça para soltar presos a pretexto da covid. Na semana passada, a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça mandou abrir as portas das cadeias de todo país para centenas (ou milhares) de criminosos cuja soltura dependia apenas do pagamento de fiança. 

Nesse “liberou geral”, ganham direito de ir para rua sem mesmo precisar pagar a fiança. Essas decisões mostram que o Estado se livra dos criminosos sob sua tutela, em vez de lhes garantir proteção contra a pandemia. 

REALIDADE

A decisão do Supremo no caso do traficante André do Rap foi uma forma de adequar a legislação aprovada pelo Congresso à realidade. Segundo o jurista Ricardo Prado, revogações automáticas de prisões preventivas após 90 dias “foi uma das jabutis que o Congresso enfiou no pacote anticrime”. 

A decisão do STF de que o preso pode pedir revisão da prisão após o prazo “ficou mais razoável”. O ministro Marco Aurélio do STF não se sentiu constrangido com o fato de André do Rap sumir do mapa assim que pôs os pés na rua.

Saúde em risco

A fatia prevista para a saúde no orçamento preocupa especialistas da área. O valor, no total de R$ 123,8 bilhões já corrigidos pela inflação acumulada até junho, é cerca de R$ 40 bilhões inferior ao montante autorizado em 2020, incluindo créditos extraordinários para enfrentar a crise sanitária. 

O problema é que, mesmo sem contar os impactos da pandemia no SUS já seria difícil custear os serviços em razão do subfinanciamento do Sistema Único de Saúde. 

OUTRO VICE

O presidente Jair Bolsonaro, que durante campanha presidencial em 2018 dizia ser contra a reeleição, mudou de ideia assim que ocupou o posto. Já deixou claro que irá tentar reeleição em 2022.

 Só que nesta corrida haverá uma mudança: o vice não deverá ser Hamilton Mourão. Há quem garanta que Bolsonaro não confia em Mourão e por isso não seguirá com a dobradinha.

Sem concorrência

Ao ficar sabendo que poderá não ser o vice na tentativa de reeleição de Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão, se mostrou tranquilo garantindo que apoia todas as iniciativas do presidente e declarou: “Se ele desejar minha companhia para 2022, marcharemos de passo certo”. 

Mais: garante, que se não for o escolhido para vice na chapa de Bolsonaro não pretende concorrer ao cargo em voo solo. É esperar para ver.

Faz sentido

No momento em que o Brasil entra numa descendente no número de contaminação do covid-19, a Europa tem nova onda de contaminação (mais numerosa) e especialistas dizem que teoria espalhada logo no começo da pandemia começa a fazer sentido. 

O aumento de números de contaminação no Brasil se deu no período do outono e inverno tempos mais frios e que está justamente na Europa a agora.

Ou seja, no início da pandemia diziam que o vírus não se propagava muito em climas mais quente e tomavam gigantes em climas mais frios, ou seja, o Brasil poderá ter uma segunda onda se iniciando em março de 2021 se não surgir uma vacina eficaz até lá.

TRAMISSÃO

A dobradinha entre Jair Bolsonaro e Rogério Caboclo, presidente da CBF, vai de vento em popa. A entidade já estuda comprar os direitos de transmissão de Uruguai e Brasil, dia 17 de novembro e repassá-lo generosamente à TV Brasil. 

Foi o que aconteceu há dias, quando a emissora estatal exibiu a partida da seleção contra o Peru, numa transmissão recheada de agradecimentos a Bolsonaro e Caboclo.

MISTURA FINA

  • O MINISTRO Mendonça Filho andou patinando nas pesquisas, mas acabou tornando-se um candidato competitivo, ameaçando João Campos e Marília Arraes. O páreo promete ser duro no Recife.
  • MEYER Nigri indicou para Bolsonaro para ministro da Saúde Cláudio Lottemberg, do Einstein. Mas a indicação de Nelson Teich, que durou 28 dias no cargo, teria tido apoio do próprio Lottemberg. Agora, com embolia pulmonar, Nigri não se internou no Einstein. Preferiu um hospital luxuoso da Rede D’Or.
  • NO dia 10 de outubro teve um jantar para promover a reconciliação entre o ministro Paulo Guedes e Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Com vários convidados o titular da Economia foi o único que permaneceu com máscara durante o encontro (só tirou para comer), os demais presentes assim que entravam no local retiravam a máscara.
  • AINDA sobre o jantar de reconciliação: dois dias depois três convidados testaram positivo para Covid-19: os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fábio Faria (Comunicação) e o senador Eduardo Braga (MDB-AM). Então, Paulo Guedes revolveu fazer exames para saber se também havia se contaminado. Fez dois, para garantir o resultado: o PCR, realizado pela saliva, com um cotonete e também e o IgC/IgM, de sangue, ambos testaram negativo, para alívio do ministro da economia.
  • DEPOIS de Drauzio Varella, agora quem faz os comerciais do Tribunal Superior Eleitoral é o médico dos políticos, Roberto Kalil. Médicos do Incor e do Sírio dizem que ele adora um holofote.
  • SECRETÁRIOS da Fazenda de vários estados pretendem fazer uma homenagem ao titular do cargo em São Paulo, Henrique Meirelles, que é o decano entre eles – e uma referência. Mesmo com 75 anos, trabalha alucinadamente. Essa boa imagem nunca conseguiu se transformar em votos nas ruas, efetivos ou nas pesquisas.
  • O SENADOR Chico Rodrigues, que ganhou notoriedade ao ser preso com dinheiro na cueca é um velho conhecido da Justiça Eleitoral. Há 70 processos contra o parlamentar. Em 2018, durante a campanha eleitoral, ele usou o mote de “senador ficha limpa”.

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!