Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Tem que mandar todo mundo para a cadeia, começando pelo STF”

de ABRAHAM WEINTRAUB, ministro da Educação, em reunião de 22 de abril, sobre as pessoas que atuam nos Poderes em Brasília
14/05/2020 06:00 - Giba Um


“Tem que mandar todo mundo para a cadeia, começando pelo STF”,  
de ABRAHAM WEINTRAUB // ministro da Educação, em reunião de 22 de abril, sobre as pessoas que atuam nos Poderes em Brasília

A queda das vendas dos Dias das Mães aconteceu de um jeito pior do que o esperado.  Em média a queda foi 67% se comparado a mesma época do ano passado. A maior foi da região Sudeste com 76%.  

Mais: a região Norte ficou em segundo com redução de 60%.  No Nordeste o tombo foi de 58% queda das vendas, no Sul despencaram 49% e a região Centro-Oeste com 29% teve a menor redução nas vendas.

 
 

Horta orgânica

A modelo Aline Weber, antes da pandemia, viajou para Cidade do Cabo, África do Sul, para fotografar para grife alemã Comma’s sua campanha de primavera-verão. A nova coleção mostra cores vibrantes como rosa coral, azul cobalto e vermelho safira em grande parte das peças que variam de terninhos a vestidos.  Depois de após 13 anos morando em Nova York, agora reside São Paulo desde final do ano passado junto com seu noivo, o índio do Alto Xingu Pigma Amary e disse que está aproveitando a quarentena para plantar uma horta orgânica. “Tenho aproveitado este tempo em casa para pesquisar sobre assuntos que me interessam, como vegetarianismo e espiritualidade. Também tenho me dedicado à horta que estou montando no quintal de casa. Pra isso, tenho contado com algumas dicas da minha mãe, que é expert no assunto. Já plantei cebola, alho, pimenta e mais alguns temperos. Além disso, tenho me dedicado à doação de cestas básicas para algumas comunidades que estão mais vulneráveis neste momento”.

Não é bem assim

Jair Bolsonaro admitiu que quando tentava interferir no funcionamento da Polícia Federal era pensando na segurança de seus filhos. Não é bem assim: a segurança dos rebentos corre por conta do Gabinete de Segurança Institucional e cada um deles anda cercado por seguranças há muito tempo. Tudo indica que seu principal objetivo era mesmo interferir nas investigações sobre desvio de verbas parlamentares e fábrica de fake news. Bolsonaro queria que a gravação fosse destruída. “O vídeo é meu”, dizia, como se fosse o dono do governo e das provas do inquérito que o investiga. Bolsonaro sabe bem quais processos envolvem seus filhos: Carlucho está ligado à movimentação de fake news; Eduardo inspira conturbação social fazendo ligações com os tempos da ditadura; e Flávio participaria do esquema das “rachadinhas”. Não há ameaças físicas aos filhos do presidente que, à propósito, andam todos bem armados. Os mais irônicos dizem que as ameaças “são os próprios filhos”. Bolsonaro é autor da famosa frase quando defendia a ida de Eduardo a Washington: “Se eu puder dar filé mignon pro meu filho, eu dou”.

 
 

Sem humildade

A cantora, atriz e empresária Rihanna, 32 anos, elevou a temperatura para comemorar os dois anos de sua parceira com a  grife Savage X Fenty e apresentou parte de sua nova linha de lingerie. Em uma das fotos brincou: “Geralmente sou humilde, mas não com lingerie”. E claro que com a fotos RiRi  recebeu uma chuva de elogios. Mais: a cantora, que mora em Londres, foi apontada pelo jornal Sunday Times como uma das mais ricas do país. De acordo com a publicação, ela fatura cerca de  468 milhões de libras esterlinas (ou R$ 3.385 bilhões), por ano. Ela ainda tem parceria com a Puma e com Fenty Beauty.

Mais dois

O vídeo ainda registra passagens que complicam o governo. Entre um palavrão e outro, Abraham Weintraub, ministro da Educação, defendia a prisão dos ministros do Supremo. E Damares Alves queria prender prefeitos e governadores numa evidente conspiração contra a democracia. Bolsonaro, do seu lado, sabe que está encostado na parede: pode ser alvo de uma denúncia criminal ou processo de impeachment, do qual se safará com o apoio do Centrão.

In – Manteiga
Out – Margarina

 
 

Outro mundo

O adorador de holofotes ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, é chamado pelo pessoal do Congresso como uma figura que vive “no mundo da lua”. Nas últimas semanas, quando defendia remédio contra coronavírus, os parlamentares resolveram aumentar a dose.  Agora, dizem que ele “vive em Marte”. Em negociações do Planalto com o Centrão, pode acabar caindo de sua cadeira que poderia ir para o deputado Fábio Faria (PSD-RN). Ele é marido de Patrícia Abravanel.

Guerra na educação

Militares palacianos de um lado e de outro, Olavo de Carvalho, e os filhos do presidente, os dois grupos duelam por espaço no Conselho Nacional da Educação (fora o pessoal do Centrão). No fim de junho, as 12 cadeiras ficaram vagas com término do mandato dos conselheiros – sete na Câmara de Ensino Básico e cinco na Câmara de Ensino Superior. No que depender dos filhos do Capitão, Olavo de Carvalho levaria duas cadeiras. Os militares têm conquistado maior frequência no Planalto: prestígio e influência.

FORA DE HORA

Jair Bolsonaro comprometeu-se com parlamentares do Amazonas – à frente o senador Eduardo Braga – em conceder novo aumento do crédito tributário sobre IPI para fabricantes de refrigerantes da Zona Franca. Em fevereiro, Bolsonaro assinou decreto estipulando o benefício em 8%. A indústria, que reúne pesos-pesados com AmBev, Coca-Cola e fabricantes locais como Amazon e Magistral querem aumento gradativo até 16%. Paulo Guedes já avisou que só se  for por cima de seu cadáver.

Quanto custa

 A cada 3 reais arrecadados, um vai para a máquina pública. Só o salário dos servidores públicos cresceu desde 2000 em média 102% e já equivale a 13,6% do PIB. O custo do funcionalismo no Brasil supera França, Portugal, Austrália, EUA e é o dobro do Chile. No Brasil 80% dos trabalhadores do setor privado ganham até RS 3 mil; no setor público, a média é quase o dobro do privado, que o sustenta. Estudo do Novo revela que o servidor ganha, em média, 105% a mais do que o profissional do setor privado em idêntica qualificação.

SEM FÔLEGO

Embora detenha a liderança global do segmento de jatos regionais, a Embraer não tem folego financeiro para permanecer sozinha na disputa do mercado da aviação comercial. Na última década, enquanto seus concorrentes ganharam musculatura, a companhia brasileira pouco evoluiu em faturamento líquido e segue como a  menor  entre nomes como Airbus, Boeing, Bombadier, Textron Aviation e General Dynbamics.

Reapareceu

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin reapareceu, a pedido de João Doria, para colaborar nas atitudes de combate ao coronavírus – nos bastidores, claro. Alckmin explica seu sumiço por ser “preciso aceitar o resultado da eleição”, quando somou 4,7% dos votos. Médico, ele defende o isolamento e critica o governo em suas posições de combate ao coronavírus. Seus planos não incluem 2020 nas urnas. Alckmin está pensando em 2022.

Ambicioso

Depois de levar críticas por todos os lados, Regina Duarte, secretária da Cultura, está empenhada num ambicioso projeto para arrecadar fundos para a classe artística, que anda à mingua – já com casos de suicídio. A iniciativa seria inspirada no Criança Esperança e envolveria verbas do governo e mídias televisivas, numa espécie de festival brasileiro de arte e cultura. Cada dia seria dedicado a uma manifestação, música, teatro, etc. O fundo se chamaria “Artista é Esperança”. Complicado seria reunir Globo, Record, SBT, e exige uma liderança – o que Regina, se tinha, perdeu.

DISPUTA

A Casa da Moeda está sobre o balcão de oferendas do Planalto. O PTB, de Roberto Jefferson, tenta emplacar Alexandre Cabral no comando da empresa.  Cabral já presidiu a Casa da Moeda na gestão Temer e perdeu o cargo logo no início do próprio governo Bolsonaro. Eram outros tempos e na época, o PTB não fazia falta. Agora, se consumada, a troca será nova derrota para Paulo Guedes, que indicou o atual presidente Eduardo Zimmer Sampaio.

MISTURA FINA

  • EVIDÊNCIA de prestígio do juiz Marcelo Bretas no Planalto: candidatíssimo a uma vaga no STF, ele teria sido um dos avalistas da nomeação do delegado Tácio Muzzi para a superintendência da PF no Rio. Os dois sempre estão envolvidos de alguma maneira nas operações da Lava Jato no estado.
  • SEGUNDO fonte que assistiu ao vídeo, Bolsonaro afirma, durante a reunião que “precisava saber das coisas” que estavam ocorrendo na Polícia Federal do Rio e citar investigações nem poderiam “prejudicar minha família e nem meus amigos”. Foi esse argumento que defendeu para mudar “o superintendente do Rio, o diretor geral da PF e até o ministro da Justiça”.
  • PESQUISA da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) diz que aumentou o nível das pessoas que consideram o governo ruim ou péssimo, mas ele mantém os 30% favoráveis. Esta semana, fez manifestação contra a ideologia do gênero nas escolas, no dia em que se chegou a 800 mortes diárias e mais de 12 mil durante a pandemia. Ele faz tudo isso para alimentar os radicais e se manter competitivo em 2022.
  • O INSS montou um sistema para cruzar os nomes das vítimas fatais do coronavírus com a sua base de dados. A mesma agilidade na suspensão dos pagamentos poderia ser aplicada para reduzir fila dos pedidos de aposentadoria – são quase dois milhões de brasileiros à espera da resposta do instituto.
  • A BANCADA ruralista gaúcha pressiona o governo pela criação de uma linha de crédito, via Banco do Brasil, específica para a agricultura familiar do estado. Os pequenos produtores estão com pires na mão como o binômio seca e coronavírus. O pedido dificilmente será atendido.
  • NOS anos 60, Carlos Lacerda e João Goulart, antes inimigos figadais, uniram-se na Frente Ampla da época. Agora, José Dirceu está empenhado em outra Frente Ampla atual e quer conseguir reunir Lula e o ex-ministro Sérgio Moro, que o condenou várias vezes em juízo. Lula até topa. Já Moro acha que “esse pessoal está maluco”.
  • OS brasileiros ficaram divididos segundo levantamento da Paraná Pesquisa no caso da suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para diretor-geral da Polícia. 46,5% dos entrevistados acreditam que o impedimento da nomeação feita pelo ministro do STF Alexandre de Moraes foi certa; 43,8% que foi errada; 9,7% não quiseram ou não souberam opinar.

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...