Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Todos os municípios estavam quebrados, todos os estados e a própria União estava quase quebrando antes mesmo do coronavírus”

de PAULO GUEDES, ministro da Economia, sobre a situação do país.
01/04/2020 05:00 - Giba Um


“Todos os municípios estavam quebrados, todos os estados e a própria União estava quase quebrando antes mesmo do coronavírus”,  
de PAULO GUEDES // ministro da Economia, sobre a situação do país.  

Até militares que comandam diversos ministérios têm de engolir reuniões sobre novas atitudes a serem tomadas pelo presidente, nessa guerra diária ao coronavírus.

Mais:  as reuniões têm sido coordenadas (e comandadas) pelo filho de Jair, Carlos Bolsonaro, sempre identificado como principal mentor do chamado “gabinete do ódio”.

 
 

Nova coleção

Que a cantora e atriz Jennifer Lopez, 50 anos, é reconhecida pelo seu talento artístico todos já sabem. Só que agora quer provar que também é uma ótima empresária. Acaba de lançar sua nova coleção de sapatos em parceria com o grupo The Camuto. São no total 37 modelos que varia entre sapatos de salto alto, plataformas e até tênis. A coleção está sendo vendida exclusivamente pela plataforma do DSW.com. sobre sua nova coleção ela fala. “Desde o começo da minha carreira eu queria fazer de tudo - música, filmes, moda... essa coleção representa três cidades que se tornaram uma parte muito importante de quem eu sou: Nova York, Los Angeles e Miami”. E completa: “Moda é uma expressão de quem eu sou no momento. Cada sapato desta coleção é uma versão minha”.

Carga Pesada

O governo quer adotar medidas emergenciais para assegurar a continuidade do processo de cargas no Brasil, ameaçado pelas restrições de circulação e outras impostas por estados e municípios. A preocupação é evitar um colapso em toda a cadeia de abastecimento no país, de insumo básicos, como alimentos industrializados, remédios ou artigos de higiene, as commodities agrícolas. É um risco que se aplica, nesse caso em particular, tanto no mercado interno quanto às exportações. Além das limitações de circulação, há questões prosaicas que se abatem sobre o setor. Boa parte dos postos de gasolina e restaurantes de estrada estão fechados: os caminhoneiros não têm onde dormir e menos ainda onde comer. Mais: os supermercados informam que a indústria de alimentação encaminhou neste mês novas tabelas com reajustes de preços às lojas ou vai enviá-las, num momento em que há alta de demanda por conta da pandemia de coronavírus. Os aumentos envolvem itens da cesta básica, como arroz, feijão, ovos, macarrão, leite e óleo. Detalhe: há pedidos de reajuste de até 200% 

 
 

Reta final

A modelo Ana Paula Siebert, 32 anos, está ansiosa com sua primeira gravidez, fruto do casamento com o publicitário e empresário Roberto Justus (ele já tem outros quatro filhos). No oitavo mês de gestação vem compartilhando fotos no Instagram. Numa das últimas legendou: “Confesso que a ansiedade começou a me pegar, talvez por estar em casa e a vida ficar mais calma, então tenho mais tempo de pensar ou porque já estou no oitavo mês e parece que foi ontem que engravidei, ou por estar esperando minha princesa no meio desse caos e não saber como tudo estará no momento em que ela chegar ao mundo, mas a ansiedade chegou e chegou forte por aqui”.

A fome espera

Os ministros da Cidadania, Onyx Lorenzoni e da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, estão batendo a cabeça na distribuição de cestas alimentares para os estratos mais baixos do Cadastro Único – uma espécie de hub para todos os programas sociais do governo. Os problemas vão desde gargalos logísticos até questões prosaicas. Uma dela: Onyx quer incluir no kit uma lata de sardinha ou salsicha. Mandetta e seu bloco são contra a distribuição de alimentos em conserva. Enquanto isso, a fome espera.

In – Suculenta colar de pérolas
Out – Suculenta rabo-de-burro

 
 

Moderado

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, adotou postura mais moderada em relação ao governo de Bolsonaro nos últimos dias. O novo comportamento faz parte de uma estratégia para tentar reduzir os ataques que Maia vem sofrendo das falanges bolsonaristas, para quem o Parlamento representa um risco ao projeto político do presidente da República.

Por um fio

Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, está por um fio, mesmo já tendo procurado agradar Bolsonaro atacando a imprensa (depois, pediu desculpas). Depois, uma entrevista foi transferida para o Planalto, onde Mandetta ficou entre dois militares, sinal de que deveria policiar o que fosse dizer. O pior momento e um dos mais constrangedores foi quando o general Braga Neto, da Casa Civil, disse que a demissão de Mandetta “está fora de cogitação... no momento”. A saída repentina do ministro da Saúde pode abalar o mandato presidencial.

OBEDIENTE

Tido como forte candidato a ministro da Saúde, caso Luiz Henrique Mandetta deixe o cargo, o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, é um obediente servidor do Capitão. Não toma nenhuma decisão antes de consultar Bolsonaro. Na primeira vez que o presidente foi ao encontro de populares, às portas do Palácio, Barra estava lá e filmou tudo.

PPP da Ciência

O ministro Marcos Pontes quer fechar parcerias com empresas privadas para garantir a execução de projeto de sua Pasta. Em contrapartida ao financiamento, o Ministério se compromete a oferecer mão de obra qualificada e laboratórios para pesquisas. Pontes pretende dar gás ao modelo de fundos patrimoniais e endowment – modalidade de financiamento com fundos de caráter permanente. Sete fundações já foram credenciadas para receber recursos por meio desse instrumento. Só falta pingar dinheiro – público ou privado.

RESGATE

O Itamaraty, com apoio de representações diplomáticas do país no Exterior está executando em partes, um plano de repatriação de brasileiros presos em outros países por conta da Covid-19. Não tem sido fácil: são mais de sete mil pessoas espalhadas por dezenas de países, na maioria dos casos com baixíssima oferta de voos. A meta era trazer todos até amanhã – e não vai dar.  

Olho no boi

O Estado deixou de arrecadar R$ 123 bilhões, entre 2008 e 2017, com benefícios fiscais à cadeia de carne bovina no país. O valor engloba desde subsídios, anistias e até perdão de dívidas, passando por incentivos e renúncias fiscais, além ainda de concessão de créditos rurais. O valor representa 9,7% do preço médio arroba, ou seja, quase 10% do valor médio foi de dinheiro público. Mais: no mesmo período foram concedidos, por ano, mais R$ 12,3 bilhões em subsídios, enquanto a arrecadação foi apenas de R$ 15,1 bilhões por ano.

Extinção

Uma das vantagens da “coincidência de mandatos” a partir de 2022, com eleições somente a cada quatro anos, é reabrir o debate sobre a extinção da Justiça Eleitoral, jabuticaba brasileira que custa R$ 6 bilhões por ano. No Congresso, já se conversa sobre adiamento das eleições de outubro e a prorrogação de mandatos por alguns meses, até que a pandemia desapareça – ou até 2022 como pretende emenda que tramita no Congresso.

SUSPENSA

Damares Alves vai formalizar a suspensão da Convenção Nacional da Mulher, programada para novembro. A data pode ser distante, mas a partir de abril começariam as reuniões preparatórias entre Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos e governo estaduais e municípios. O encontro seria mais oportuno do que nunca: com a quarentena, os registros da violência doméstica contra a mulher subiram 50% apenas no Rio de Janeiro.

MISTURA FINA

  • O BRASIL tinha, antes da crise, 47 mil leitos de UTI, mas mal distribuídos e com taxas de ocupação elevadas – 95% no SUS e 80% na rede particular. O pior cenário pode ficar com cidades menores sem acesso a UTIs. Só 10% dos municípios contam com esse tipo de leito.
  • O MINISTRO Paulo Guedes fará uma videoconferência com prefeitos no próximo domingo, dia 5, vai detalhar as medidas econômicas do governo federal para ajudar os municípios em meio à pandemia do coronavírus. E, só para não variar, bater na tecla da importância das reformas. No cenário presente – e Guedes sabe disso – a capacidade do presidente de promover reformas diminui sensivelmente.
  • A SAÍDA de João Amoedo da presidência do Partido Novo não aliviou a situação de Romeu Zema (ele não assinou a carta dos governadores contra o governo). O substituto, Eduardo Ribeiro, tem sido ainda mais ácido nos ataques ao governo mineiro.
  • EDUARDO Bolsonaro foi traduzir trecho de publicação americana e quando quis salientar “da família toda” escreveu “from the hole Family”, que traduzido literalmente seria “da família buraco”. Depois, correu para corrigir e usar “whole” a palavra correta. Hole, a propósito, era o nome de um grupo liderado por Courtney Love, desativado desde 2012.  
  • A CADA dia as novas projeções para o PIB deste ano se mostram negativas. São -1,7% (Citi), -2,8% (Safra) e -3,4% (Goldman Sachs).
  • A RECEITA bruta total do país em 2020 pode cair R$ 189,2 bilhões em relação ao ano passado com crescimento zero do PIB. A queda pode chegar a R$ 225,7 bilhões caso haja retração de 1,5% na economia. Se as estimativas de recuo forem de 3%, a perda da receita pode chegar a R$ 262,3 bilhões.
  • SEQUELAS da pandemia ainda são incertas para o setor da saúde. No curto prazo, estima-se que hospitais, clínicas e laboratórios de medicina diagnóstica tendem a perder receita. Já as operadoras e seguradoras podem se beneficiar porque cirurgias eletivas estão sendo adiadas para que os leitos sejam liberados aos portadores da covid-19, cujo custo de internação é inferior.
  • NOS poucos dias que passou no Planalto (já voltou ao isolamento), os servidores do Palácio até mudavam de lado quando o general Augusto Heleno (GSI) passava. Só os mais próximos entravam na sua sala e o pessoal da cozinha fazia sorteio para ver “quem ia levar água e o cafezinho para o general”. Agora, estão todos mais aliviados.

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!