Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

“Vamos ficar sem atirar pedra por 10 dias e ver o que acontece?”

Ministro Paulo Guedes (Economia) propondo uma trégua à imprensa brasileira
17/05/2020 06:00 - Cláudio Humberto


“Vamos ficar sem atirar pedra por 10 dias e ver o que acontece?”

Ministro Paulo Guedes (Economia) propondo uma trégua à imprensa brasileira

 

Bullying de Bolsonaro foi demais para Teich

Foi uma sequência inédita de humilhações públicas em prazo curto de apenas 28 dias, um recorde, até que o ex-ministro da Saúde Nelson Teich desistiu. Ele não suportou o aviso do presidente de que nesta sexta (15) mudaria o protocolo do Ministério da Saúde para tratamento de covid-19. Ou mudaria o ministro. Na véspera, Bolsonaro se referiu a Teich aportuguesando seu sobrenome, como claro sinal de menosprezo.

Ninguém merece

Teich passou vexame ao ser informado por jornalistas, e não pelo presidente, sobre o decreto alterando a lista dos serviços essenciais.

Relutância silenciosa

A impaciência de Bolsonaro teve um único motivo: a recusa do Ministério da Saúde de adotar a cloroquina para tratamento de covid-19 no SUS.

Ministério virou quartel

Teich não gostou, mas não reclamou, da ocupação dos cargos-chave por militares levados pelo secretário-executivo, general Eduardo Parzuello.

Sem ressentimentos

Apesar do bullying, Teich saiu do cargo de maneira elegante, sem mágoas do presidente, a quem inclusive agradeceu a oportunidade.

‘Números falam’ e Brasil está melhor que críticos

O ex-ministro, Luiz Mandetta tem se associado aos que preveem “o caos” no Brasil, devido ao coronavírus, repetindo que “números falam por si”. A opinião pública tem sido conduzida a embarcar na onda de o Brasil faz o pior combate à pandemia. Essas pessoas ignoram que a evolução da doença, comparada aos Estados Unidos, Espanha, Itália, Reino Unido e França, está mais controlada no número de casos e na quantidade de óbitos confirmados. Os números, como se diz por aí, falam por si.

Muito melhor

O Brasil levou 43 dias para passar de mil a 100 mil casos. Foram 16 nos EUA, 23 na Espanha, 30 na Itália, 31 na França e 33 no Reino Unido.

Melhor ainda

Foram 42 dias das 100 às 10.000 mortes confirmadas aqui. Na Espanha, foram 19 dias. Os EUA levaram 20, França e Reino Unido 23 e Itália 24.

Ainda em aberto

Só França, EUA e Reino Unido tiveram mil mortes em um dia, 46, 40 e 33 dias após o primeiro óbito, respectivamente. O Brasil está no 61º dia.

Transferência

Tanto quanto João Doria (PSDB) em São Paulo, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), sempre dá um jeito de transferir para o governo federal as razões do aumento de casos de Covid-19 no Estado.

Juiz mandou bem

Após examinar ação judicial repleta de “memes”, o juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo extinguiu o processo sem avaliar o mérito. E mandou o engraçadinho para o Conselho de Ética da OAB.

Lucro falou mais alto

A notícia de que o fundo soberano norueguês não investirá mais na Vale recebeu tratamento de escândalo, mas as ações da mineradora, que matou o rio Doce e centenas de pessoas, subiram 2,7% na quinta.

Virada histórica

O pernambucano Paulo Henrique Costa comanda uma virada histórica no Banco de Brasília (BRB), que preside. Após o lucro inédito de R$412 milhões em 2019, registrou R$107,6 milhões de resultado positivo já neste primeiro trimestre, 64% a mais que no mesmo período de 2019.

Denúncia grave

O deputado JHC (PSB) denunciou que o governo de Alagoas, apenas atualizou os dados e, na verdade, não comprou um respirador sequer para socorrer os doentes de covid-19. São os “respiradores de papel”.

Interessante

“Se você estiver em boa forma, provavelmente vai ficar bem. Por que nós vamos dissuadir pessoas a ficar em forma?”. A pergunta não é de Bolsonaro, mas do governador da Flórida (EUA), Ron DeSantis, sobre reabrir as academias de ginástica no seu estado.

E-commerce em alta

Pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico revelou que o isolamento aumentou as vendas pela internet em 47% no mês de abril e também elevou o valor médio gasto nas compras em 18%.

Decisão macro

O advogado Rodrigo Nahas não vê a decisão do STF como liberdade para estados e municípios ignorarem o decreto presidencial. Para ele, o STF tratou “da quarentena como um todo, salvo atividades essenciais”.

Pensando bem...

...sem funcionar, Senado e Câmara são um congresso de poetas.

 
 

PODER SEM PUDOR

Vaias inesquecíveis

No final dos anos 1970, Paulo Maluf chegou acompanhado de Cláudio Lembo, candidato da Arena a senador, a uma festa no ginásio Ibirapuera, em São Paulo. Foram recebidos com uma vaia inesquecível, totalmente dedicada a Maluf. No dia seguinte, ele ligou para o organizador da festa: “Que vaia, hein?” O camarada tentou explicar: “Pois é, doutor Paulo, queria pedir desculpas. A gente não esperava...” Maluf cortou: “Não se incomode com isso, esse Lembo não tem mesmo prestígio nenhum. Se eu soubesse que era ruim de povo, não teria ido com ele...”

Felpuda


Conversas muito, mas muito reservadas mesmo tratam de possível mudança, e não pelo desejo do “inquilino”.

Por enquanto, e em razão de ser um assunto melindroso, os colóquios estão sendo com base em metáforas.

Até quando, não se sabe, pois o que hoje é considerado tabu poderá se tornar assunto em rodinhas de conversas.

Como dizia o célebre Barão de Itararé: “Há mais coisas no ar, além dos aviões de carreira”. Só!