Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NUTRIÇÃO E BOA FORMA

Chocolate não é o vilão das dietas

Com alto índice de cacau e pouco açúcar, o consumo pode fazer bem para a saúde
13/07/2020 07:30 - Naiane Mesquita


 

Nem todo chocolate faz mal. Ao invés de vilão das dietas, o doce pode ter passe livre se tiver mais cacau do que gordura e o consumo for controlado.  

De acordo com a nutricionista Luciane Gonzalez, o chocolate ao leite, por exemplo, costuma ser o preferido, mas tem menos cacau na sua composição. “O chocolate ao leite é encontrado na maioria dos produtos porque seu sabor é doce e agrada mais pessoas que desejam consumir uma guloseima. Ele é feito com menos de 50% de massa de cacau, manteiga, leite e açúcar, por isso contraindicado para pessoas com intolerância a lactose e diabéticos”, explica.  

Segundo Luciane, o valor calórico de 100g de chocolate ao leite é de 540 kcal, sendo 7,2g de proteínas, 30,3g de gorduras, 17 mg de colesterol, 2,2 g de fibras, 191 mg de cálcio, 57 mg de magnésio, 1,6 mg de ferro, 355 mg de potássio, 212 de fósforo, além de mais sódio 77 mg. 

Na lista de produtos contraindicados para quem está em reeducação alimentar está também o chocolate branco. “O chocolate branco é feito não com a massa de cacau, mas sim com a manteiga de cacau, leite e açúcar, também contraindicada para pessoas intolerantes a lactose, diabéticos e pessoas que sofrem de dislipidemia, devido ter uma maior concentração de gordura ou até mesmo pessoas que desejam redução de peso”, frisa. 

O valor calórico de 100g de chocolate branco é de 539 kcal, sendo 6g de proteínas, 32g de gorduras, 21 mg de colesterol, 0,2 g de fibras, 199 mg de cálcio, 12 mg de magnésio, 0,2 mg de ferro, 286 mg de potássio, além de mais sódio 90 mg.

Chocolate meio amargo

De todos os chocolates, o meio amargo é o melhor para o organismo. “O chocolate meio amargo contém mais de 50% de massa de cacau podendo chegar até 99% , não contém adição de leite e com teores baixos de açúcar são indicados para pessoas com restrição a lactose, diabéticos, pessoas que desejam controle de peso ou até mesmo os benefícios nutricionais relacionados ao cacau”, explica Luciane. 

De acordo com a nutricionista, os alimentos com alta concentração de cacau possui proteínas, lipídios e carboidratos, além de fibras, polifenóis e flavonoides. “As catequinas, incluindo o seu isômero epicatequina são tipos de flavonoides com fortes propriedades antioxidantes. O cacau possui altas concentrações de epicatequinas, com um teor de antioxidante que é duas vezes maior do que o do vinho tinto e quase três vezes maior do que o do chá-verde. Os flavonoides do cacau podem oferecer um benefício na melhora da homeostase da glicose por meio da inibição de enzimas digestivas e estímulo de uma resposta hormonal”, ressalta. 

Luciane cita um estudo que comparou pessoas que consumiram chocolate meio amargo rico em flavonóides com chocolate branco com menos flavonóides. “Os que consumiram chocolate preto rico em flavonoides tiveram uma melhora da sensibilidade à insulina bem como a função das células beta pancreáticas e reduziu a pressão arterial indivíduos intolerantes à glicose”, conta. 

Para ter esses benefícios o chocolate precisa ter mais de 70% de cacau. “Estudos mostram que o chocolate rico em flavonóides ou bebidas à base de cacau melhoram a função vascular periférica em voluntários saudáveis e pacientes com doenças cardiovascular. A ingestão de 40 gramas de chocolate amargo 70% apresentou melhora nas funções coronarianas e plaquetárias de pacientes recebedores de transplantes cardíacos. A ingestão de chocolate também aumentou o diâmetro da artéria coronariana e a adesão plaquetária foi diminuída pelo consumo de chocolate amargo. Esses efeitos eram associados a redução do estresse oxidativo positivamente relacionados com as mudanças na concentração de epicatequina decorrentes da ingestão de chocolate”, frisa. 

Como se isso não fosse o bastante, o chocolate ainda melhora o humor, aumentando a produção de serotonina. “Perfeito para todas as horas, ele favorece o sistema imunológico, fornece antioxidantes, reduz os radicais livres, aumenta a energia e nos deixa mais dispostos e, contudo, devido maior estímulo da serotonina reduz a chance de ansiedade e depressão. Pode ser consumido como lanche, sobremesa em quantidade de moderada”, indica. 

Luciane explica que para as pessoas que desejam perder peso, em média 20g por dia de chocolate com 70% de cacau é o suficiente. 

 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.