Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

Ministro Marco Aurélio, do STF: “É preciso deixar o presidente trabalhar”

Fala de Marco Aurélio Mello foi feita ao jornalista José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes
28/08/2020 07:00 - Cláudio Humberto


“É preciso deixar o presidente trabalhar”

Min. Marco Aurélio Mello (STF), ao jornalista José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes

 

É pandemia, mas órgão do governo demite idosos

Empresa pública do Ministério de Ciência e Tecnologia, a Finep decidiu demitir funcionários idosos em plena crise da pandemia de covid-19. A alegação é que atingiram a “idade-limite”. Os primeiros cinco demitidos, quatro deles analistas muito experientes, têm de 75 a 82 anos de idade. Ligamos na Finep em Brasília, com o objetivo de entender o porquê das demissões, mas nos empurraram à sua sede, no Rio. Ali, não havia vivalma. “Todos em home office”, dizem na portaria. E incomunicáveis.

Olha só a desculpa

Segundo resolução da diretoria da Finep, as demissões devem ser feitas até 8 de setembro para evitar “solução de continuidade nos serviços”.

Olha só como agem

“Solução de continuidade” não deve ser exatamente uma preocupação na Finep, a julgar pela aparente transformação de home office em folga.

No papel, uma beleza

Finep é a sigla de Financiadora de Estudos e Projetos de inovação, desde a pesquisa básica até a preparação do produto para o mercado.

Tempo para trabalhar

A Finep atribui as demissões à reforma da Previdência. Levou “um tempo para adequação e pleno entendimento jurídico”. Um ano para cair a ficha.

Senado quer alterar a Carta com ‘consulta ao STF’ 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem sido criticado pela manobra rasteira para garantir sua reeleição ao cargo, em 2021. E fez a área jurídica da Casa apresentar uma “consulta” ao Supremo Tribunal Federal (STF) com objetivo de arrancar mais uma de suas interpretações criativas, desta vez sobre o artigo 57 da Constituição, que veda a reeleição na mesma legislatura. Na prática, o que se pretende com a esperteza é alterar a Constituição com uma simples “consulta”.

No plenário não passa

Optaram pela “consulta” por serem mínimas as chances da Alcolumbre e Rodrigo Maia conseguirem alterar a Constituição em benefício próprio.

Vedada a recondução

O Art. 57 limita mandatos a dois anos. Alcolumbre quer dobrar o mandato do presidente do Senado para quatro anos, metade do seu mandato.

Contando vantagem

Alcolumbre e aliados arrotam “ótimo relacionamento” com o STF, e suposto “apoio do governo”. Mas o “centrão” decidiu que isso não passa.

Câmara sem defesa

Rodrigo Maia fez silêncio, mas o ministro Tarcísio Vieira lembrou que há projetos na Câmara propondo alterações nas regras do Fundão Eleitoral. Ele foi voto vencido no Tribunal Superior Eleitoral, que se apropriou das prerrogativas da Câmara e alterou essas regras, para fazer demagogia. 

Falta do que fazer

O ex-chanceler Aloysio Nunes deveria estar cheio de tédio para aceitar o “diálogo” virtual com o chanceler da Venezuela, que o impediu de circular em Caracas, e Celso Amorim, notório bajulador da ditadura bolivariana.

Notícia idosa

Virou piada, no governo, a notícia de um “novo órgão” em Washington para realizar compras militares. Cada força já tem sua comissão de compras na capital americana. A caçula, da Aeronáutica, já completou 75 anos. Exército e Marinha têm a sua, cada uma delas há 83 anos.

Quem seria maluco?

Difícil será encontrar interessados na “privatização” dos Correios, uma empresa quebrada por privilégios como o plano saúde de meio bilhão de reais, único do mundo que beneficia para trás (pais, avós etc).

Aliás,

O noticiário informa que grevistas “ocuparam” o centro de operações dos Correios em Indaiatuba (SP), mas o nome disso é outro: invasão. Afinal de contas, a repartição federal não estava desocupada.

Auxílio em nota

A celeuma em torno da nota de R$200 é apenas cortina de fumaça de gente chata. Desde o lançamento do real, a inflação acumulada é de cerca de 521%. A nota de R$100 da época valeria hoje R$621.

Eleições nos EUA

As pesquisas têm deixado os Democratas apreensivos, nos EUA. Apesar dos problemas da pandemia e questões raciais, as intenções de voto em Joe Biden caíram de 61% para 54%. Trump foi de 35% para 44%.

Menos mimimi

O Students for Liberty Brasil será realizado entre 1º e 5 de setembro e o objetivo é mostrar como princípios liberais ajudam jovens a encontrar a felicidade. Segundo os organizadores, os jovens foram enganados por muito tempo obrigados a buscar “estabilidade em um mundo dinâmico”.

Pensando bem...

...se a Rússia abrir inscrições para candidatos aos testes da vacina Sputinik V, milhões de brasileiros vão para fila já com o braço de fora.

 

 
 

PODER SEM PUDOR

Um debilóide na Espanha

Quem achava George W. Bush o mais medíocre e despreparado dos políticos americanos, não conheceu o seu irmão mais novo, Jebb, ex-governador da Flórida. Certa vez, em uma visita a Madri marcada por gafes, ele cometeu a indelicadeza de dizer que a Espanha “será recompensada” pelo apoio à guerra no Iraque, e chamou o então presidente do governo, José Maria Aznar, de “presidente da República”. Ao saudar o debilóide, o chefe da mais antiga monarquia européia, rei Juan Carlos I, não perdeu o tom: “É uma honra receber o irmão do rei dos Estados Unidos...”

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!