Clique aqui e veja as últimas notícias!

MERCADO IMOBILIÁRIO

É um bom momento para financiar imóveis?

Segundo especialista, previsão é positiva para adquirir imóveis em 2021, devido a queda de juros que aqueceu o setor
07/02/2021 06:00 - Rafaela Moreira

Adquirir a casa própria é um dos principais sonhos de milhares de brasileiros, porém, a crise global causada pela pandemia da Covid-19 trouxe diversas incertezas sobre o momento certo de investir. 

Em 2020, o mercado imobiliário surpreendeu, as vendas foram maiores do que o esperado em meio a uma crise econômica, dados divulgados pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), as vendas de imóveis cresceram cerca de 9,7% nos últimos meses. 

Para este ano, as perspectivas são animadoras, com lançamentos de novos empreendimentos, que prometem aquecer a economia e gerar oportunidades de emprego.

Últimas Notícias

De acordo com Mauro Andrade, consultor imobiliário, a expectativa para a compra de imóveis em 2021 é positiva, já que a taxa de juros se mantém atrativa.

“O setor sentiu o impacto do início da pandemia, mas a situação foi melhorando e para 2021 existem muitos lançamentos para o público, com preços diversificados, atendendo a todos os perfis. Estamos em um momento interessante para investir”, disse ao Correio do Estado.

No ano passado, os empréstimos destinados à aquisição e construção de imóveis atingiram R$ 124 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Para Andrade, atualmente está mais fácil conseguir realizar o sonho da casa própria devido alguns fatores. 

“Muitas construtoras oferecem variadas opções de financiamentos, a taxa selic continua mantida em 2%, menor patamar da história, o cenário tornou-se positivo para compra de imóvel, já que o financiamento imobiliário ficou mais acessível e não podemos esquecer do novo programa habitacional do Governo”, aponta o consultor. 

No mês passado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), sancionou o projeto que cria o programa Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa, Minha Vida, iniciativa da área habitacional lançada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

O público-alvo do programa será dividido em três grupos, atendendo famílias residentes nas cidades e com renda mensal de até R$ 7 mil e famílias em áreas rurais e com renda anual de até R$ 84 mil.  

Subsídios do governo serão concedidos nas operações de financiamento habitacional para quem vive nas cidades e tem renda de até R$ 4 mil e, nas zonas rurais, para as famílias com renda anual de até R$ 48 mil.

Querendo comprar sua casa? 

O novo formato oferece opção para renegociar dívidas, juros menores e acesso a outras faixas de renda. 

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 14ª Região (Creci-MS), Eli Rodrigues, afirma que o ano começou com boas perspectivas e alta procura por imóveis, sendo importante aproveitar a queda dos juros e as novas oportunidades do mercado para encontrar um bom imóvel.

“Em 2020, já tivemos bons números e tudo indica que continuaremos assim, mesmo diante da pandemia. Algumas novidades vão impulsionar o mercado imobiliário ainda mais, possibilitando negociações de imóveis mais baratos também. Ainda existe um deficit habitacional muito grande no Brasil, e a continuidade de programas de incentivo deverá movimentar o setor”, destacou Rodrigues.

Assine o Correio do Estado 

Ainda não acabou... Assine o Correio do Estado para continuar lendo essa notícia

Apóie o jornalismo sério, que tem compromisso com a verdade e com a entrega de conteúdo relevante para você todos os dias.
Apenas R$ 9,90 por mês.

Quero Assinar

Já é assinante? Faça login clicando aqui