Colunistas
JUROS

Efeitos da Taxa Selic no Consumo e na Inflação: Um problema econômico com soluções complexas

Confira a coluna de Michel Constantino desta terça-feira (21)

Michel Constantino

21/06/2022 00:05

Aumento de preços é um efeito que está correlacionado com o aumento de dinheiro em circulação na economia pelo lado da demanda (consumo e desejo). E também pela falta de oferta de produtos essenciais para a economia (produção e investimento).

Com a pandemia do Covid-19 tivemos a paralisação da produção em todo o mundo, os produtos primários do agronegócio continuaram produzindo, mas, as fábricas de transformação desses produtos reduziram seus turnos, sua produtividade e algumas paralisaram.

No início de março de 2020 até junho de 2020 tivemos os menores preços de combustíveis e produtos essenciais que já estavam produzidos e estocados no fim de 2019 e início de 2020 pela baixa demanda. Como o foco estava na indústria da saúde, aos poucos esquecemos dos processos produtivos que permitiram aumento de oferta e concorrência no mercado.

A economia do consumo retornou no final de 2021 aos patamares pré pandemia, e, a oferta dos produtos ainda estava em ritmo de pandemia, com fábricas lentas, produção acumulada e falta de insumos.

Essa relação de aumento do consumo mundial e falta de produção é o maior efeito nos preços desse período 2020-2022 que deve se estender por mais tempo, pois no meio da equação soma-se a guerra entre Rússia e Ucrânia que aumentou as restrições de produção, investimento, consumo e mercado internacional, aumentando custos de uma produção aquém do consumo atual.