Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Faz 30 anos que entro em comitê de reforma tributária. Nunca saiu e eu ainda acho que não vai sair”

de LUIZA TRAJANO // sócia do Magazine Luiza, sobre possível reforma tributária sair este ano.
08/10/2020 05:00 - Giba Um


Depois de um período de isolamento em sua fazenda em Murici, em Alagoas e da retirada de um nódulo benigno em São Paulo, Renan Calheiros está em campo novamente, enquanto Davi Alcolumbre está em baixa.

Mais: egresso do baixo clero, assumiu a presidência do Senado dizendo que “ia mudar isso tudo que está aí”. 

Não fez nada e política não é para amadores. Caiu até nas graças do “Muda, Brasil”, que também está em declínio.

In – Trabalho: short de alfaiataria

Out – Trabalho: short boxer

 
 

Criança mimada

A apresentadora Angélica, 46 anos, está prestes a dar um passo em sua carreira profissional. 

No próximo dia 10 estreia seu novo programa Simples assim. Fora da TV desde 2018, com o fim do Estrelas, ela garante que este período foi ótimo para uma “reciclagem” de pensamentos e objetivos. 

Em entrevista ao GShow, ela garante que foi um criança mimada, numa espécie de recompensa por não ter uma infância como de outras crianças (aos 4 anos foi eleita a criança mais bonita do Brasil no programa do Chacrinha). 

Também falou do trabalho, família e beleza garantindo que na sua vida não existe nenhum fantasma de envelhecimento e que encara tudo isso como parte da vida. 

Acostumada com a fama, ela diz que a única coisa que a incomoda é a superexposição da família. 

E no fim decreta: “Sem dúvida, a Angélica de hoje é muito mais feliz do que era ontem, e a cada dia mais, porque estou conseguindo encontrar um equilíbrio dentro das ferramentas que descobri para isso”.

Brasil não paga

A OEA vai aplicar sanções administrativas contra o Brasil, como o afastamento de representantes do país de comissões e grupos de trabalho até mesmo a suspensão do direito de votar em decisões de maior importância. 

Motivo: o governo brasileiro acumula dívida superior a US$ 20 milhões junto à Organização. 

Desde o início do mandato de Bolsonaro, o Brasil não fez nenhum pagamento à OEA. 

A dívida não é grande, mas para dentro do corpo diplomático da Organização, a inadimplência tem um peso simbólico grave. 

Desse total, US$ 10,3 milhões são relativos a saldos abertos em 2019 e US$ 10,6 milhões referem-se à cota deste ano. 

Não é a primeira vez que o Brasil fica inadimplente perante a OEA, mas o numerário nunca foi tão expressivo. No governo Temer, o passivo chegou a US$ 8 milhões, quitados em 2017. 

Devido à pandemia, a OEA tem sido obrigada a cortar na carne. Nas últimas semanas, demitiu 17 funcionários.

Os ministros Rogério Marinho e Tarcísio Freitas já conseguiram R$ 5 bilhões para o projeto pró-Brasil. Os ministros pediram mais de R$ 30 bilhões.

 
 

Espiã feminina

Na expectativa de que até o começo do ano, os cinemas estejam já de portas abertas, um dos filmes mais esperados é o The 355, história de uma espiã feminina. 

A ideia surgiu quando atriz Jessica Chastain propôs a ideia de um filme de espionagem liderado por uma mulher no mesmo espírito da série James Bond para o diretor Simon Kinberg em 2018 e ele adorou a ideia. 

Previsto para estreia em janeiro do ano que vem, o longa contará com um elenco de primeira: além Jessica viverá a Mason Brown, uma agente da CIA, terá também, Lupita Nyong’o como Khadijah, ex-aliada e especialista em computação, Diane Kruger como Marie, uma agente rival alemã, Penélope Cruz como Graciela, uma hábil psicóloga colombiana e Fan Bingbing como Lin Mi Sheng, uma mulher misteriosa rastreando cada movimento do time.

Fora!

Ainda a OEA: já existem um movimento de funcionários da Organização pelo afastamento de Arthur Weintraub, ex-assessor especial de Bolsonaro e irmão do ex-ministro Abraham Weintraub. 

Ele desrespeita os protocolos internos para a Covid-19 e várias vezes se recusa a usar máscara em reuniões presenciais. 

Há dias, postou em seu Twitter que tinha vontade de “enfiar os testículos na garganta” de quem acha necessário se adaptar ao “novo normal”.

 
 

Nada de novo

Indicado por Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal, o desembargador Kassio Nunes Marques traz em seu currículo “pós-doutorados” que, na realidade, foram palestras ou curso de extensão (um deles durou cinco dias, na Itália e Espanha). 

As universidades dizem que os cursos foram de especialização, nada a ver com doutorado ou “pós-doutorado”. 

O desembargador não possuiu currículo na plataforma Lattes, cadastro usado no Brasil por pesquisadores e acadêmicos.

Rouba receita

As restrições de circulação impostas pela pandemia vão fazer com que R$ 7,57 bilhões em vendas migrem este ano do varejo tradicional para o comércio eletrônico no Brasil. 

A estimativa é da consultoria Euromonitor que enxerga um avanço na participação do comércio eletrônico no faturamento total do varejo. 

A expectativa é que essa fatia atinha um patamar de 12% contra 8% em 2019. 

Estima-se uma retração de US$ 6,2 bilhões no volume de vendas no varejo comum num todo na comparação 2020 e 2019. Em termos percentuais, o tombo previsto para o varejo nacional é de 6,5%.

FORA DO CAMINHO

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, amigo pessoal de Bolsonaro, deve assumir uma cadeira, em 2021, no Tribunal de Contas da União, depois de aprovado pelo Congresso. 

A indicação foi bem recebida no órgão de controle e tirou do caminho mais um postulante para a segunda vaga no Supremo Tribunal Federal, que ficará disponível em julho do ano que vem com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello.

Velha data

Chamando Celso Russomano de “amigo de velha data”, Bolsonaro decidiu fazer campanha para ele, o que pode tornar sua candidatura mais robusta. 

Por enquanto, a campanha está no chão porque não tem dinheiro. O marqueteiro dele é Elsinho Mouco, o favorito de Michel Temer. 

De cara, a ideia é fazer arrecadação através de redes sociais e organizar jantares para passar o chapéu, alternativa que Russomano não gosta. 

Bolsonaro já prometeu a ele suas redes sociais, as mesmas que o elegeram e a seus filhos.

OUTRO AUXÍLIO

Por enquanto, o grande mote da campanha de Russomano é um outro auxílio emergencial no Estado. 

Ele não detalha a promessa, nem cita valores, mas disse que obterá recursos por meio da renegociação da dívida da cidade. 

O deputado acusa ainda João Doria e Bruno Covas de não renegociarem recursos com Bolsonaro. 

E hoje, segundo ele, não acontece nada porque “governador e prefeito não conversam com Bolsonaro”.

Nova proposta

Enquanto o Congresso nada fez sobre cortar gastos abusivos do setor público, uma proposta está na mesa do ministro Paulo Guedes para ajudar a combater a crise gerada pelo coronavírus, como Renda Cidadã e suspensão do auxílio-alimentação de servidores públicos com salários acima de R$ 5 mil ao mês. 

Faria o governo economizar R$ 5 bilhões. A suspensão de penduricalhos como esse não necessita de lei, basta ato administrativo.

Em obras

O carnaval cai no dia 15 de fevereiro de 2021 e a Liesa já avisou que não haverá desfile das escolas de samba. 

Agora, nem que chegue a vacina, a Liesa pode voltar atrás. É que a Sapucaí, em dezembro, vai entrar em obras, que só ficarão prontas em abril de 2021. 

Essa segunda etapa de obras da prefeitura, que envolvem recursos federais de R$ 8,1 milhões inclui, entre outros itens, indicação de hidrantes, corrimão nas arquibancadas, caixas de incêndio, mangueiras e execução do sistema de iluminação de emergência. 

NEGADO

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) que está em baixa na corrida para prefeitura da capital paulista, com apenas 1% ou menos nas pesquisas queria fazer uma jogada de mestre que não deu certo. 

Ela queria usar a seu favor o apelido que ganhou de Piggy, a porquinha dos Muppets. 

Ela usaria a imagem do personagem como se estivesse cantando o seu jingle de campanha, mas precisaria da autorização da Disney que detém os direitos de imagem. 

Só que a empresa norte-americana fundada por Walt Disney e Roy Oliver Disney não autorizou.

 

MISTURA FINA

  • BOLSONARO fez um comparação entre um jogador de futebol e, nas entrelinhas, Kassio Nunes. “Indicação para o Supremo ficou igual escalar a seleção brasileira, todo mundo tem seu nome e aquele que não entrou reclama, começa a acusar de tudo”. 
  • NO PT do Rio já se discute o que fazer no segundo turno da eleição municipal: apoiar o antigo aliado Eduardo Paes ou assumir uma postura de neutralidade. Uma certeza o partido tem: Benedita da Silva não estará no segundo turno. As pesquisas dão Paes com 27%, Crivella com 12%, Martha Rocha com 8% e Benedita da Silva com 7%.
  • UM raro momento de desarmonia política na família Sarney: a falta de apoio da tia Roseana Sarney foi a gota d’água para derrubar a candidatura de Adriano Sarney à prefeitura de São Luis. Adriano tinha o respaldo do avô e patriarca do clã, José Sarney. Mas, Roseana articulou uma aliança do MDB com o DEM.
  • A ALA militar do governo defende a indicação do atual presidente dos Correios, general Floriano Peixoto Vieira Neto, para o comando da Telebras. Se, na ECT sua missão era preparar a estatal para a privatização, na Telebras, seria exatamente o oposto: conduzir uma reestruturação que evitasse a venda da companhia. Os militares consideram a Telebras estratégica, devido à sua rede de satélites.
  • A DEFESA de Flávio Bolsonaro vai entrar no STF com pedido de anulação das decisões do juiz Flávio Itabaiana, do TJ-RJ, no processo das “rachadinhas”. O STJ já negou solicitação similar. As apostas são que o “03” pode ir se preparando para outra derrota.
  • A POLÍCIA Federal está comemorando um novo recorde de apreensão de bens também de operações no combate à corrupção. Em 2020 até setembro, foram mais de R$ 2,16 bilhões, quase a soma de 2018 e 2019.
  • QUEM perambulava sozinho, nesses dias, pelo Salão Verde da Câmara dos Deputados, era o ex-senador Romero Jucá (MDB-RR). Parlamentar protagonista durante décadas, parecia não ter sido reconhecido. Deve ser a máscara.
  • OTÁVIO Rego Barros, porta-voz da presidência está exonerado do cargo. A publicação do fim de seu cargo saiu no Diário Oficial da União na quarta-feira (7). Seu cargo foi desativado. A decisão da extinção foi tomada na recriação do Ministério das Comunicações.

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!