Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“O Brasil está barato há muito tempo. Mas os investidores não querem um Brasil barato, querem um país com estabilidade”,

de ABÍLIO DINIZ // 83 anos, que segue ativo nos negócios e atento à Brasília.
03/11/2020 05:00 - Giba Um


A Operação Greenfield, que apura fraudes nos fundos de pensão tem se revelado uma “Lava jatinho” no item arrecadação. Até o final do ano, a operação deverá somar cerca de R$ 12,5 bilhões recuperados.

Mais:  o montante recuperado por meio de acordos de leniência, delações premiadas e reparação de danos é pouco mais de um terço do saldo alcançado pela Lava Jato até hoje, na casa dos R$ 34 bilhões.

“O Brasil está barato há muito tempo. Mas os investidores não querem um Brasil barato, querem um país com estabilidade”,  

de ABÍLIO DINIZ // 83 anos, que segue ativo nos negócios e atento à Brasília.  

In – Arroz arbóreo

Out – Arroz parboilizado 

 
 

5 bilhões de visualizações

A cantora e apresentadora Anitta que faz um enorme sucesso dentro e fora do país, tomou uma decisão radical nos últimos tempos. Tem respondido aos seguidores, principalmente aqueles que vem com uma carga alta de crítica. Na semana passada postou foto provocante em cima de uma mesa de sinuca e o seguidor comentou que a cantora estava desalinhando a mesa. Anitta então respondeu: “Ainda bem que a mesa não é sua… na sua (se você tiver uma) não deixa ninguém subir”. A apresentadora ao que parece esqueceu do tema pausa na carreira de cantora, seguirá firme, principalmente, porque acaba de  bater a  marca de 5 bilhões de visualizações no seu canal no YouTube, ultrapassando estrelas como Madonna e Mariah Carey. Há quem garanta que a “pausa por causa da pandemia” já aliviou um pouco o estresse de Anitta.  Mais: a cantora postou vídeo empolgado ao ganhar uma caixa com presente de Mariah Carey, que tinha sua biografia e mais alguns mimos, onde desabafou “é um sonho”.

Volta por cima

Quando parecia que Paulo Guedes tinha ganho a parada, eis que Rogério Marinho deu uma nova volta por cima. O ministro do Desenvolvimento Regional foi autorizado por Bolsonaro a preparar um tour envolvendo o Norte e o Nordeste. As inaugurações e os comícios começariam ainda este ano. O que reafirma o prestígio de Marinho é a orientação para que ele vá já se preparando a venda de eventos do ano que vem. Por trás desses agitos políticos existe sempre uma contribuição do orçamento. Mas que ninguém pense que Guedes perdeu a batalha. Se o ministro da Economia for reclamar no ouvido, como já aconteceu, Bolsonaro não hesitará em afagar seu posto Ipiranga.  A briga entre os ministros Paulo Guedes e Rogério Marinho deve acabar com a queda de um deles. Na semana passada, Guedes fez nova referência agressiva contra Marinho, de maneira velada, ao afirmar que a Febraban “financia o ministro gastador”. Guedes é o ministro mais forte, mas Marinho segura a peteca porque conta com apoio do Congresso e a simpatia de Bolsonaro.

 

 
 

Brinquedinho sexual

A cantora e compositora Lily Allen, 35 anos, se casou pela segunda vez com o ator David Harbour no dia 9 de setembro e desabafou que por conta das filmagens da série Stranger Things, no qual o marido vive Jim Hopper só conseguiu vê-lo três dias desde o casamento. Mesmo com estes desencontros, ela já anunciou que pretende aumentar sua família. Lily já é mãe de Ethel Mary, de 9 anos e Marnie Rose de 7, de seu relacionamento com Sam Cooper. Em entrevista, ela disse que quer incentivar as mulheres serem mais abertas a certos assuntos considerados como tabus, coma a masturbação, sexo entre outros. Aliás, Lily se mostra bem resolvida nestes assuntos tanto que, em parceria com a empresa Womanizer acaba de lançar um “brinquedinho sexual” chamado liberty.

Tensão

O clima é de tensão no Ministério da Agricultura: o governo chinês deverá enviar uma comitiva ao Brasil em novembro para uma nova inspeção em frigoríficos do país. Recentemente, a China suspendeu importação de frango de algumas empresas após detectar vestígios de coronavírus em uma remessa do produto.

 
 

Rótulos

Ricardo Salles, do Meio Ambiente, está na ordem do dia por seus ataques ao secretário Luiz Eduardo Ramos, do Governo e também a Rodrigo Maia sobre o qual escreveu no Twitter o apelido que muita gente na Câmara chama o presidente da Casa, “Nhonho”. Depois disse que não foi ele, e sim um hacker. Também no Planalto, Salles é chamado pelo grupo de generais Braga Netto e Augusto Heleno de “espiga de milho” ou “cara de pamonha”. É uma ópera bufa, pelo que se vê.

“Babosos”

O general Rego Barros, ex-porta-voz do governo, afastado em agosto, resolveu ir à forra, sem citar o nome de Bolsonaro. Escreveu um artigo no Correio Braziliense, onde critica um certo líder seduzido por “comentários babosos” e “demonstrações alucinadas de seguidores de ocasião”. E mais: “Sua audição seletiva acolhe apenas as palmas. A soberba lhe cai como veste”. Bolsonaro desautorizou o general na portaria do Alvorada. É mais um que forma no bloco dos desiludidos, turma cujo patrono é o general Santos Cruz, derrubado pelos filhos de Bolsonaro.

GUARANÁ ROSA

Numa parada na cidade de Bacadeira, no Maranhão, o presidente Bolsonaro tomou um refrigerante cor de rosa, o Guaraná Jesus, uma tradição no Nordeste.  E questionou se tinha virado “boiola, igual maranhense”, devido à cor da bebida. Teve protestos de todos os lados e o governador Flávio Dino promete processá-lo “por fazer piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas, o guaraná Jesus e usou dinheiro público para propaganda política”. À noite, numa transmissão ao vivo na internet, pediu desculpas.  

Enterrado

Ainda que o decreto para conceder Unidades Básicas de Saúde à iniciativa privada tenha sido revogado, o Planalto abrirá um flanco para ataques da oposição, inclusive no âmbito eleitoral. O projeto será enterrado com poucas chances de retomada, e o presidente colherá desgaste de uma área diretamente ligada ao combate da pandemia. Além de enfraquecer cada vez mais o ministro Eduardo Pazuello e mostrar dificuldade de leitura política novamente pelo Ministério da Economia. Resta saber se a defesa liberal da saúde, feita por Bolsonaro nas redes após revogar o decreto, se repetirá na economia e nas reformas, onde pagaria um bônus muito alto.

PEQUENAS

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, resolveu mexer num vespeiro: apelar do desprendimento ao patriotismo do Congresso para resolver o problema do peso das câmaras municipais para os cidadãos que as sustentam. Em São Paulo, por exemplo, o Estado mais rico, segundo o Tribunal de Contas, 36 municípios não arrecadam nem o suficiente para pagar seus vereadores que servem para dar nome às ruas, distribuir títulos de cidadão honorário e atormentar os prefeitos. Zema cita exemplo de países como os Estados Unidos, onde grupo de cidades compartilham em condados estruturais como o legislativo dos municípios.

Super dívida

O Financial Times publicou matéria sobre a super dívida de Donald Trump, que alcança cerca de US$ 1,1 bilhão. Está garantida por imóveis, a maior parte atrelada a um pequeno número de prédios e campos de golfe que foram o núcleo do império empresarial de Trump. Cerca de US$ 900 milhões dessa dívida vencerão durante um segundo mandato de Trump, caso ele seja reeleito. O patrimônio líquido de Trump foi estimado em R$ 2,5 bilhões pela revista Forbes.

MUNDO DIGITAL

Desde as eleições de 2018, onde Jair Bolsonaro conseguiu sua vitória ao planalto abusando das redes sociais, os políticos perceberam que este seria o caminho nas eleições seguintes. Neste ano em especial, pela pandemia e pelo distanciamento social os políticos têm usado bastante desses recursos.  Entre São Paulo e Rio de Janeiro os principais candidatos já geraram mais de 17 milhões de posts nas redes sociais. E a rede mais usada é o Twitter.

MISTURA FINA

O GOVERNO de São Paulo já encontrou o caminho da roça. Pela segunda vez, a Anvisa autorizou a importação de materiais da vacina chinesa logo após o presidente do Instituto Butantã reclamar publicamente da demora.  

O DISCRETO e eficiente almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, teve um papel decisivo na autorização do TCU para que o governo realize o leilão de linhas de transmissão, somando cerca de dois mil quilômetros. Os ministros do Tribunal de Contas estavam há meses sentados sobre o edital.

A DECISÃO do governo de aumentar os incentivos à Zona Franca de Manaus partiu do próprio presidente Jair Bolsonaro a pedido do governador do Amazonas, Wilson Lima. O ministro Paulo Guedes foi apenas comunicado.

CELSO Russomano está meio desesperado. Agora bate em Guilherme Boulos para tirá-lo da chance de um segundo turno e bate também em Bruno Covas colocando a saúde do atual prefeito em pauta, o que provocou constrangimento até mesmo entre seus seguidores.

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.