Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“Se toda vez que um ministro for desautorizado pelo presidente da República, para que ter ministros”

de JOÃO DORIA // depois do governo barrar compra de imunizante chinês anunciada por Eduardo Pazuello.
23/10/2020 05:00 - Giba Um


Dirigentes da Toyota têm ameaçado suspender investimentos no Brasil. 

Os japoneses estão descontentes com a prorrogação do incentivo fiscal para as montadoras da Região Centro-Oeste.

Mais: na visão da Toyota, o governo está arbitrando quem sofrerá mais ou menos no meio da pandemia e da crise econômica. 

A Toyota acha que incentivos regionais prejudicam a competitividade.

In – Primavera/verão: linho

Out – Primavera/verão: poliamida

 
 

Mais uma vez Anitta

A cantora Anitta mesmo sem fazer muito shows continua fazendo sucesso no Brasil e no Exterior. 

Está em matéria da Vogue Espanha e capa da revista Imagem Miami, voltado para o público de língua espanhola da região. 

Além disso continua polemizando com publicações em suas redes sociais. Dia desses publicou um ensaio feito em sua casa com look totalmente cor de rosa sem dar muitos detalhes do que era. 

Mais: recebeu uma chuva de críticas deixando o clima pesado, depois que o amigo Nego do Borel publicou uma foto num banheiro, com Anitta sentada em cima do balcão. Ele somente com uma toalha e ela de roupão. Depois das duras críticas ela escreveu: “Ai gente, vocês são muito juízes... A vida não é pesada desse jeito, não. Só quando vocês escolhem que seja”.

Ordem fiscalizada

Antes mesmo de sua posse, o futuro ministro Kássio Nunes, do STF, já é visto como um fiel da balança de um dos casos mais polêmicos em tramitação no Supremo: o julgamento que decidirá se a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) deve ou não prestar contas ao TCU. 

Nunes já sinalizou que é favorável à tese de que o Tribunal de Contas tem poderes para fiscalizar as finanças da Ordem. 

Numa ponta estão Luís Roberto Barroso e Edson Fachin, trabalhando para acelerar a votação. Na outra ponta, Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, os mais empenhados em protelar a decisão. 

Cármen Lúcia e Rosa Weber acham que a independência da OAB deve ser preservada. Dias Toffoli e Luiz Fux estão do lado contrário. A receita da OAB deste ano é de R$ 1,3 bilhão.

 
 

Gente como a gente

Patricia Abravanel vive publicando em suas redes sociais fotos de sua vida particular com o marido Fábio Farias (ministro da Educação) e com os filhos. 

Outro dia resolveu publicar uma foto de seus pais juntos. Silvio Santos e Iris Abravanel estavam bem descontraídos e de camisetas combinando. 

Na legenda resolveu compartilhar um pensamento do pai em clima de brincadeira: “Quando se casa, a mulher dá 100% de amor ao marido. Quando chegam os filhos, a mulher dá 60% de amor a eles e 40% ao marido. Quando chegam os netos, 30% de amor aos filhos e 70% aos netos. E fica torcendo para que o marido morra logo”.

Apoiado

Malgrado os tropeções na área do seu currículo e de textos, Kássio Nunes foi aprovado por 57 votos para integrar o Supremo Tribunal Federal. 

Mais votos que os dois últimos indicados, Alexandre de Moraes (55) e Edson Fachin (52). Rosa Weber e Gilmar Mendes foram também aprovados por 57 votos. Nunes demostrou conhecimento jurídico, bom senso e visão política.

Lista Negra

O número de reclamações apresentadas na Organização Internacional do Trabalho contra o governo de Jair Bolsonaro aumentou nas últimas semanas e ameaça provocar uma nova colisão entre o governo e a entidade. 

As contestações submetidas pelos sindicatos brasileiros e associações internacionais de trabalhadores podem pavimentar o terreno para o país figurar de novo numa lista negra de violação de convenções trabalhistas no começo de 2021 na OIT.

 
 

Tour quente

 Brigitter Collet, da França; Heiko Thoms, da Alemanha e Nils Martin Gunneng, da Noruega são os três primeiros embaixadores que o general Hamilton Mourão vai convidar para checar in loco as ações do governo no combate às queimadas na Amazônia. 

Os noruegueses, como se sabe, cortaram o repasse de recursos para o Fundo Amazônia, depois de uma provocação de Bolsonaro.

Quase parando

Surgiu mais uma operação-tartaruga na Câmara que já virou ponto de tensão entre Planalto e Rodrigo Maia. 

O motivo é a demora da tramitação da MP 998, que extingue subsídios a projetos de geração renovável no valor aproximado de é R$ 500 milhões/ano, nem mesmo um relator já foi escolhido. 

A validade termina dia 2 de novembro, podendo ser estendida pelo Congresso até 2 de janeiro de 2021. 

O temor do governo é que as eleições municipais reduzem o ritmo de votação no Legislativo. 

Recentemente, Maia deixou a MP 984 referente aos direitos de transmissão esportiva no Brasil morrer sem ser votada.

DENUNCIADA

 Produtores de etanol denunciaram a Agência Nacional de Petróleo (ANP) ao ministro Bento Gonçalves, de Minas e Energia, por ignorar as diretrizes fixada no início de junho pelo Conselho Nacional de Política Energética para implantar venda direta aos postos. 

A ANP prefere ignorar o Conselho e desobedecer as distribuidoras, que não quer abrir mão do cartório que as beneficia, encarecendo o preço final ao combustível. 

A ANP criou até uma “consulta pública” para manter tudo como está.

“Gestor”

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, alertou que existe um inquérito que corre em sigilo contra o senador Chico Rodrigues. 

Neste inquérito o senador é acusado de desviar de recursos destinados ao combate do coronavírus no estado de Roraima. No relatório da Polícia Federal, Chico Rodrigues é apontado como “gestor paralelo” da Secretaria de Saúde de Roraima, cobrando a liberação do dinheiro de emendas parlamentares para o pagamento a empresas investigadas no esquema.

MANCA

 Rui Pimenta, presidente do Partido da Causa Operária (PCO) disse, numa entrevista que o PT abandonou o apoio a Lula na recuperação de seus direitos políticos. 

E também atacou Guilherme Boulos, candidato a prefeito de São Paulo, em razão de seu apoio à tese de uma frente ampla contra Bolsonaro. 

Rui Pimenta é um bom exemplo de como anda mal a esquerda no país.

Brecando

A Minerva Foods virou alvo dos grandes pecuaristas paraguaios. Os produtores têm pressionado o governo do presidente Mario Benitez a brecar a expansão do frigorífico brasileiro no país.

 Os fazendeiros locais, historicamente com poder político e econômico, enxergam um apetite monopolista no avanço da Minerva no Paraguai. 

A companhia já controla praticamente 40% da capacidade de abate no país. Seriam quase 50% se as autoridades antitruste no Paraguai não tivesse vetado recentemente uma parceria entre Minerva e Frigonorte.

Otimismo

Os Ermírio de Moraes, mesmo com a pandemia, são só otimismo. Apostam que o IPO do Banco Votorantim pode bater na casa nos R$ 6 bilhões. Na primeira tentativa, suspensa por causa da covid-19, as estimativas giravam entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões. 

A propósito: o Banco Votorantim planeja um novo aporte de capital na Well, fintech especializada em crédito. No começo do ano, injetou cerca de R$ 80 milhões na empresa, nascida em Tel Aviv.

MAIOR DOADOR

 Ex-secretário da Desestatização do governo Bolsonaro, Salim Mattar é o maior doador de campanhas municipais do momento. 

O fundador da Localiza já doou R$ 1,3 milhão para 110 candidatos à prefeito e vereador como Mendonça Filho, candidato à prefeitura de Recife. 

Há candidatos de legendas conservadoras e até legendas de esquerda. “Eu poderia pegar esse dinheiro e comprar uma Ferrari, poderia distribuir para minhas três filhas, investir na bolsa e ganhar dinheiro. É uma forma de eu dormir tranquilo à noite”, ele diz.

 

MISTURA FINA

  • AINDA que Eduardo Pazuello não vá contrariar Bolsonaro, o pito recebido publicamente por conta da novela das vacinas gerou – e está gerando ainda – incômodo entre os militares do governo, até mesmo pela fidelidade do atual ministro da Saúde.
  • A EQUIPE econômica deverá cortar mais um pouco o orçamento do Ministério da Ciência e Tecnologia para 2021. Até agora, a redução já está em 30%. O novo corte segue o critério “ministro que chia menos, perde mais”. Para Paulo Guedes, o ministro Marcos Pontes é daqueles que gostam de apanhar. 
  • FALECEU na última quarta-feira (21) o senador Arolde de Oliveira, 83 anos, mais uma vítima da covid-19, depois de 15 dias de internação. Uma das pessoas que mais lamentou a morte do senador foi a ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos. Damares foi assessora de Arolde entre 2012 a 2015. “Era um parlamentar sério, um cristão respeitável e um cidadão honesto! Arolde foi bem mais que um chefe ou um amigo, Arolde de Oliveira foi um pai”.
  • AINDA o senador Arolde de Oliveira: ele um foi dos políticos ao lado de Bolsonaro que defendeu o uso da cloroquina no tratamento do coronavírus. E no começo da pandemia, em abril, chegou a dizer que o isolamento social era inútil. Quem assumirá a vaga de Arolde é o primeiro suplente, o advogado Carlos Francisco Portinho, que foi subsecretário de Habitação do Rio de Janeiro na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes.
  • SURGIU um problema à inclusão de Goiás no Regime de Recuperação Fiscal do governo federal. O governador Ronaldo Caiado tem se recusado a privatizar a empresa de saneamento Saneago, contrapartida para o apoio da União.
  • CHICO Malfitani é o marqueteiro de Guilherme Boulos, como foi de Erundina em 1988, quando venceu a batalha pela Prefeitura de São Paulo, vencendo Paulo Maluf e José Serra. Foi um “azarão” como Guilherme Boulos é nesta nova corrida. No bloco do horário eleitoral ele tem 17 segundos – e está produzindo 85 comerciais em 30 dias.
  • A CBF está monitorando, com os dois pés atrás, os bitcoins desenvolvidos por clubes brasileiros. Há um temor por parte da própria Fifa de que as criptomoedas escondam lavagem de dinheiro e sirvam de laranjal para investidores serem donos de passes de jogadores, o que é proibido em todo o mundo.

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!