Colunistas
CLÁUDIO HUMBERTO

“PT não tem moral para falar de nada neste país, nem da Petrobras”

Deputado Marco Feliciano (PL-SP) sobre petistas babando por controlar a empresa

Cláudio Humberto

21/06/2022 09:19

“PT não tem moral para falar de nada neste país. nem da Petrobras”
Deputado Marco Feliciano (PL-SP) sobre petistas babando por controlar a empresa

Petrobras: lucros dão até R$31 milhões a diretores

Dados oficiais do governo mostram que de 2020 a 2021 os salários dos diretores da Petrobras saltaram de US$2,8 milhões para US$6,1 milhões (R$31 milhões), segundo a Secretara de Controle das Estatais, do Ministério da Economia. Isso dá razão às alegações do presidente da Câmara, Arthur Lira, sobre a insensibilidade de sua diretoria.

Tudo lastreado nos sucessivos aumentos dos combustíveis em meio à crise da pandemia e da guerra na Ucrânia, inflando os obesos contracheques.  

Não faz diferença

O preço na bomba não importa para quem recebe R$3 milhões a cada mês. Já o caminhoneiro paga R$4 mil para encher o tanque.

Vai aumentar

No primeiro trimestre, a Petrobras lucrou meio bilhão de reais por dia. Lira lembrou que a margem da Petrobras é de 31% e a da Shell é 6%.

Elite se esbalda

Lira indagou quanto a Petrobras gasta com suas viagens. Em 90 dias, foram R$6,8 milhões em diárias e passagens, 122 em classe executiva.

Farra é ampla

As 46 estatais controladas pelo governo federal, incluindo a Petrobras, distribuem R$10 bilhões/ano em benefícios e regalias como 14º salário.

Renúncia de Coelho, o breve, enfraquece CPI

Após a renúncia de José Mauro Coelho da presidência da Petrobras, perdeu força a proposta de criação de CPI para “investigar” a política de preços ou privilégios na empresa. A proposta do chefe do governo e a exigência de renúncia, pelo presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), levaram Coelho a jogar a toalha.

Eventual CPI ameaça o próprio governo, em ano eleitoral, e atrapalha a futura gestão. Mas a proposta continua sobre a mesa, encampada por deputados governistas.

Voto de confiança

Tanto Lira quanto Bolsonaro têm ouvido ponderações por um voto de confiança ao futuro presidente da Petrobras, Caio Paes de Andrade.