Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TURISMO

Rio Verde reabre para o turismo mesmo com pandemia

Município teve apenas um caso de coronavírus confirmado
03/06/2020 07:45 - Naiane Mesquita


A cidade de Rio Verde reabriu às portas para os visitantes, mesmo com o aumento de casos do novo coronavírus (Covid-19) em outras cidades do Estado. De acordo com o prefeito do município, Mário Alberto Kruger, no entanto, os atrativos estão autorizados a receber apenas 30% da capacidade total. 

“Nós não voltamos 100%, mas os restaurantes e os atrativos podem abrir contando que com 30% da capacidade. Estamos com uma fiscalização muito séria e seguindo orientações de segurança semelhantes à de outros municípios, como Campo Grande”, explica o prefeito. 

O empresário Rafael Arruda, do Sítio Passarim, explica que os atrativos voltaram com cuidados especiais. “O decreto autorizando o retorno foi publicado na semana passada e estipula 30% só da capacidade de hóspedes para poder voltar a trabalhar, fazer as reservas. Estamos disponibilizando bastante álcool, máscara e todos os apetrechos para contenção da pandemia para os hóspedes. Também tem a orientação de 48h de espaço de uma reserva para outra, para higienizar os cômodos”, explica Rafael.

Segundo o empresário, gradualmente o fluxo de visitantes está voltando. “Semana passada foi um casal. Estamos trabalhando com no máximo 15 pessoas por final de semana, apesar do nosso alvará ser para 100 pessoas”, frisa. 

Rio Verde

O município de Rio Verde está distante a cerca de 188km de Campo Grande. O local tem diversas cachoeiras, rios e fazendas com passeios de aventura.  Até o momento, a cidade teve apenas um caso registrado de coronavírus. 

A cidade de Bonito também anunciou o retorno às atividades no dia 1º de junho, mas apenas em algumas esferas do setor, como hotéis e pousadas. Os passeios devem reabrir apenas em julho. 

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.