Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“Se a vacina é tão boa assim deveria começar ser aplicada antes na China. Não quero que a população seja cobaia”

de CELSO RUSSOMANO // rezando na cartilha de Bolsonaro.
05/11/2020 05:00 - Giba Um


Sem tradição no mundo dos esportes, a transmissão dos jogos da Libertadores pelo SBT, tem dado baixa audiência, ainda mais porque concorre com outros jogos exibidos no mesmo dia da semana e horário do que a Globo. 

Mais: pior ainda é audiência de uma mesa de comentaristas de futebol nas segundas-feiras. São eventos que não se repetirão depois da Libertadores. Essa mesa de comentaristas substituiu Roberto Cabrini, que dava audiência.

In – Luminária com pendente duplo

Out – Luminária de cristal

 
 

Sou uma exceção

A cantora Ludmilla, 25 anos, que teve seu talento reconhecido quando ainda usava o nome de MC Beyoncé, está na capa deste mês da Harper’s Bazaar Brasil

Em entrevista ela contou que foi muito difícil chegar até onde chegou. “Quando olho de fora, me emociono, porque foi muito osso chegar aqui, sabe? Trabalhos totalmente surreais, muitos ‘nãos’, pessoas e situações que me colocaram para baixo”. 

Ela também falou sobre sua bissexualidade e seu relacionamento com Brunna Gonçalves; “Tenho consciência de que sou uma exceção. É muito difícil expor a sexualidade, eu mesma tinha um medo absurdo de o público saber e se decepcionar, acredita?”. 

A funkeira foi a primeira artista negra da América Latina a obter um bilhão de streams no Spotify. No próximo dia 11 a cantora lançará seu próximo single Rainha da Favela no Prêmio Multishow.

Ajuste regionais

A reforma previdenciária aprovada no ano passado em âmbito federal por meio da Emenda Constitucional 103/2019 deixou de fora os estados e municípios, mas foi uma surpresa positiva que 15 estados tenham aprovado mudanças que alteram a elegibilidade para a aposentadoria, conforme pesquisa do Ipea. 

Essas mudanças alcançaram regras de elegibilidade para aposentadoria de seus servidores, como a elevação de idade mínima e imposição de regras de transição. 

Aposentados e pensionistas equivalem em média 69% da folha dos ativos. Em estados como Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul a folha de inativos e pensionistas supera a dos ativos. No Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Santa Catarina as duas folhas são praticamente iguais.

 
 

Sem mágica

Agora quarentona, Gisele Bündchen que abandonou as passarelas em 2016 (seu último desfile foi no dia 5 de agosto no Estádio do Maracanã durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro) continua fazendo sucesso na publicidade. 

Garota-propaganda de várias marcas revelou quais são os segredos da beleza. “Para mim são muitas coisas, não acho que é apenas algo que aplicamos no rosto ou no corpo. 

É muito mais! É sobre como nutrimos nossas almas: que tipo de coisas estamos lendo, sobre o que estamos conversando e para onde direcionamos nossas energias. 

Precisamos alimentar nosso corpo, nossa mente e nossa alma de forma integral. Eu acho que é essa combinação que nos faz sentir melhor e, consequentemente, reflete na nossa imagem. Não existe poção mágica, mas sim um jeito de viver mais conscientemente”. 

Bandas na renda

É atribuída ao secretário da Política Econômica, Adolfo Sachsida, a proposta de uma excêntrica média móvel para a Renda Cidadã. 

A medida pressupõe uma variação dos recursos orçamentários disponíveis para o auxílio emergencial em função do maior ou menor sucesso do ajuste fiscal. 

Por esse modelo, a contenção ineficiente de gastos se refletiria na redução dos valores destinados a políticas assistenciais. Caso se pense em um elevado desequilíbrio fiscal, seriam poucos os recursos direcionados para o Renda Cidadã. 

Sachsida consideraria que a medida permitiria uma política compensatória permanente, cuja âncora seria o espaço maior ou menor para o gasto orçamentário.

 
 

Sarney em livros

José Sarney inspirou dois livros sobre sua trajetória política. Um é José Sarney – 60 anos de política, do jornalista americano Ronald M. Schneider e outro é Democracia – Sarney e o desafio da transição, do historiador José Augusto Ribeiro. 

Schneider considera a redemocratização do Brasil a de mais êxito do continente e Ribeiro mostra Sarney superando o desastre econômico do governo Figueiredo e afastando a ameaça do autoritarismo. 

Mais: o Serviço Nacional de Informações (SNI) teve a coragem de monitorar Sarney, quando ele era presidente, como mostram mais de 10 mil “informes”.

Perdas

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, está convicto de que a recusa do Ministério da Agricultura em liberar para o estado 100 toneladas de milho é obra do próprio Bolsonaro. Seria uma vendeta ao melhor estilo do presidente às críticas que Leite tem feito ao Chefe do Governo durante a pandemia. 

Para todos os efeitos, o discurso oficial da Pasta da Agricultura é que os estoques do cereal nos armazéns da Conab estão baixos e o Rio Grande do Sul não pode ser privilegiado. 

O fato é que os produtos gaúchos já estimam perdas de R$ 500 milhões devido ao impacto das secas sobre a safra 2020/21.

NÃO FOI

O vice- presidente Hamilton Mourão está comandando uma visita de estrangeiros a Amazônia. Junto com Mourão uma comitiva: o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. 

O ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo também estava na comitiva, mas em cima da hora preferiu ficar em Brasília para acompanhar o andar das eleições presidenciais nos Estados Unidos. 

Reforma

Bolsonaro deve iniciar a segunda metade de seu mandato, em janeiro, com uma reforma que os líderes do governo classificam como “ampla” a fim de contemplar uma nova realidade política à qual teve que se render: o apoio dos partidos do centrão, que o próprio governo classifica de “tranquilizador”, e a eleição para renovar as mesas diretoras do Senado e da Câmara. A maioria dos ministros será trocada, começando por Onyx Lorenzoni e o pessoal do núcleo duro deve continuar.

MENOS DE 7 BI

O Rio de Janeiro atravessará um período dos mais asfixiantes em termos de receita porque as grandes festas estão suspensas. 

A queima de fogos na noite de passagem de ano e o carnaval misturados à baixa ocupação dos hotéis poderão produzir a perda de R$ 7 bilhões na economia, três meses a partir de dezembro. Só o carnaval movimenta entre R$ 2 bilhões e R$ 4 bilhões.

Escorregão

Está na 8ª Vara Federal do Distrito Federal uma notificação judicial em forma de protesto contra a Agência Nacional de Petróleo que, claramente a serviço das distribuidoras de combustíveis continua ignorando decisão do Conselho Nacional de Política Energética, no sentido de normalizar a implantação da venda direta do produto aos postos de combustíveis. Cartório criado pela ANP autoriza a venda por meio das distribuidoras.

Antes da eleição

O presidente da Câmara Rodrigo Maia optou por sessões extraordinárias para conseguir que a Câmara produza alguma coisa nas duas semanas que antecedem as eleições. 

Os motivos podem não ser tão nobres. É que as pautas das reuniões extraordinárias não ficam sujeitas as regras de trancamento por medidas provisórias, mas dessa forma, ficam 100% à mercê dos interesses do presidente, que coloca o que quiser na pauta.

PEGOU MAL

As “caneladas” que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, distribuiu na semana passada só pegaram mal para ele próprio. 

O deputado foi às redes sociais acusar o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de vazar informações sobre uma conversa privada entre os dois. 

Teve de pedir desculpas depois de ficar claro que estava desinformado. Maia saiu prejudicado também com a briga que arrumou com o ministro Ricardo Salles.

 

MISTURA FINA

  • ESTÁ fora do ar há mais de 50 dias o site e-Cidadania, do Senado, e junto com ele a ferramenta de avaliação popular dos projetos de lei. O sistema caiu após a PEC da reeleição Maia/ Alcolumbre receber 99% de rejeição.
  • JAIR Bolsonaro já tem dois nomes para o Ministério da Ciência e Tecnologia, ambos apresentados por Gilberto Kassab (ele anda quieto nas eleições). Quando um presidente começa a colher essas indicações é porque o titular do cargo, no caso o ex-astronauta Marcos Pontes, já foi para o espaço.
  • O GOVERNO vai lançar, nos próximos dias, uma campanha contra o assédio a menores nas redes sociais. Esse tipo de crime disparou durante a pandemia, com a maior permanência de crianças e adolescentes na internet. Detalhe: serão R$ 4,5 milhões em verbas – as mídias amigas como SBT e Record, já partem com um corpo de vantagem.
  • ENQUANTO os países europeus cogitam nova paralisação dos campeonatos com a segunda onda da covid-19, o governo Bolsonaro pressiona a CBF a retornar à realização de partidas de futebol com público. E “pressiona” não é bem o termo: o que Bolsonaro pede, o presidente da entidade, Rogério Caboclo, atende. Olho vivo.
  • JAIR Bolsonaro está, de novo, com o vice Hamilton Mourão na garganta porque “falou demais” na entrevista dada à Veja. Só que, nesse caso, não dá para mandá-lo embora. Ele foi eleito – como vice de Bolsonaro. 
  • COM mais de dois anos de investigação do Ministério Público do Rio, os investigados no processo que ficou conhecido como “rachadinhas” começam a ser denunciados. Entre eles o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos). O 01 acaba de ser denunciado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Além de Flávio outras quinze pessoas também foram denunciadas pelos mesmos crimes, mais apropriação indébita.
  • POR essa ninguém esperava e muito menos ainda Flávio Bolsonaro. Sua ex-assessora, Luiza Sousa Paes, em depoimento feito em setembro no Ministério Público do Rio, confessou que era obrigada a devolver mais de 90% do salário. Por enquanto é o primeiro funcionário que admitiu o esquema ilegal no gabinete do 01, quando ele era deputado estadual.
  • RESTA saber se Manuela D’Ávila em Porto Alegre e Guilherme Boulos em São Paulo já entenderam que estão crescendo. E se observarem que o farol da esquerda está jogando luz em outra direção. Contudo, o mais provável que aconteça é que o espírito nanico os faça sair dessa eleição ainda incensando o PT.

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.