Colunistas
CLÁUDIO HUMBERTO

“Sou a favor de abrir todas as caixas-pretas, inclusive a da Petrobras”

Deputada Paula Belmonte, que foi presidente da extinta CPI do BNDES

Cláudio Humberto

22/06/2022 09:44

“Sou a favor de abrir todas as caixas-pretas, inclusive a da Petrobras”
Deputada Paula Belmonte, que foi presidente da extinta CPI do BNDES

Aumento de 65% da Aneel atenta contra o cidadão

A “agência reguladora” Aneel deu ao País, nesta terça (21), uma nova demonstração de que não está a serviço de quem lhes pagam elevados salários, mas das bilionárias empresas do setor elétrico, sobretudo as distribuidoras, que enviam as contas de luz aos consumidores. 

De acordo com a decisão, a Aneel garante às distribuidoras receita ainda maior, exagerando no aumento das bandeiras tarifárias. A bandeira Vermelha, tipo 1, ficará 64% mais cara, sem nada que o justifique.

Raposas no galinheiro

A vassalagem da Aneel garantiu às distribuidoras e termelétricas um faturamento adicional de R$20 bilhões na época da “escassez hídrica”.

‘Escassez’ com enchentes

Os brasileiros foram obrigados a pagar bandeira Vermelha Tipo 2, a mais cara, de setembro a abril de 2022, enquanto o Brasil estavas sob dilúvio.

Nós é que pagamos

A “escassez hídrica” na verdade eram parcelas, na conta de luz, de um empréstimo bancário de R$16,1 bilhões contraído pelas distribuidoras.

Efeito do lobby

Para iniciar o processo do reajuste, a Aneel propôs, em abril, aumentos de 56% e 57% (amarela e vermelha) e redução de 1,7% na vermelha 2.

Funai gasta 151% mais na proteção a terras indígenas

O assassinato de Dom Phillips e Bruno Pereira chamou atenção para Vale do Jaguari, uma das mais remotas regiões de Amazonia e também uma das mais protegidas. Só a Funai investiu R$10 milhões nos últimos três anos, segundo dados oficiais, em ações de proteção dos 8,5 milhões hectares de terras indígenas. 

Representam aumento de 104% em relação a 2021. Foram gastos também R$82,5 milhões em fiscalização de terras indígenas, ou 151% a mais que nos três anos anteriores.

Desmatamento menor

Caiu 33,4% o desmatamento em terras indígenas de 2019 a 2021, dizem dados de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Presença física

A presença da Funai no Vale do Jaguari se materializa por meio de uma coordenação regional e cinco bases de proteção etnoambiental.