Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

Weintraub saiu do anonimato e provou duas coisas: 1) não entende nada de educação; e 2) é ótimo de fuga

Especialistas chegaram à conclusão de que o isolamento engorda, especialmente entre os homens.
22/09/2020 05:00 - Giba Um


“Em poucos meses, Weintraub saiu do anonimato e provou duas coisas: 1) não entende nada de educação; e 2) é ótimo de fuga”, de DANIEL CARA // professor da USP e membro da Campanha Nacional de Direito à Educação.

Grupo de endocrinologistas, psicólogos e patologistas entrevistou 1.470 pessoas por telefone e chegou à conclusão de que o isolamento engorda, especialmente entre os homens.

Mais: o levantamento revela que, desde o início da pandemia para cá, os homens engordaram, em média, 2,60 quilos, decorrência de ingestão maior de doce, massas e carboidratos.

In – Estampa xadrez
Out – Estampa listrada

 
 

Em tempo de pandemia as revistas vão se ajustando para poder ter grandes nomes em suas edições. Kendall Jenner, 24 anos, é uma das modelos mais frequentes nas publicações, por fotos feitas antes do isolamento social ou via facetime. 

Ela está em novo ensaio da Vogue US onde se adota estampas coloridas ao ar livre que vão desde roupas de banho a vestidos leves com um ar romântico sonhador. Por ser uma das queridinhas do mundo fashion, ela sempre vê seu nome envolvido em polêmicas. 

A última delas, teve que negar uma postagem, no qual teria falsificado uma foto para fingir participação nos protestos antirracistas que acontecem nos EUA depois da morte de George Floyd.

Por outro lado, Kendall lançará no próximo dia 26 sua linha de cosméticos pela Kylie Cosmetics, empresa da irmã mais nova, Kylie Jenner, que inclui brilho para olhos, blush, palitos para contorno e bronzes.

Os dois lados

Abraham Weintraub nem esconde que era um fugitivo. Horas antes de embarcar para os Estados Unidos avisou: “Agora é evitar que me prendam, cadeião e me matem”. Era a última entrevista no país dada à CNN daqui. Depois, no Twitter: “Estou saindo do Brasil o mais rápido possível”. 

E viajou para Miami, em classe econômica usando seu passaporte diplomático. Investigado no inquérito que apura ameaças ao Supremo, Weintraub ainda era ministro quando pisou em território americano. Pouco depois Bolsonaro publicou sua exoneração em edição extra do Diário Oficial da União. 

Foi cúmplice da fuga e poderia ser enquadrado em crime de responsabilidade. A fuga de Abraham Weintraub provocou suas consequências: aliados de Bolsonaro e mesmo integrantes do núcleo central de poder ficaram aliviados em ter o ex-ministro longe das decisões do governo e de governança na Educação. 

Por outro lado, analistas de plantão não estão tão aliviados: consideram que, nos Estados Unidos, Weintraub tenha uma recaída e comece cometer delírios, podendo respingar no governo. Ele será diretor executivo do Banco Mundial para um grupo de nove países, Brasil incluído.

 
 

Até drones

Em época de pandemia e tendo que se reajustar ao “novo normal”, revistas, agências, jornais e fotógrafos estão tendo que se reinventar para se destacar. 

As revistas estão usando ensaio feitos a partir de videoconferência, onde orientam seus fotografados, só que a qualidade apesar dos avanços tecnológicos não são as mesmas. 

A fotógrafa Nil Caniné foi ainda mais longe e usou um drone para fazer fotos dos artistas em suas casas, compartilhando um pouco do dia-a-dia dos escolhidos. Entre tantos fotografados, o ator Mateus Solano com sua família no quintal de casa e Débora Nascimento com a filha numa janela.

Confiáveis

Nem tudo está perdido: o Brasil voltou a figurar na lista dos 25 países mais confiáveis para o investimento estrangeiro direto, segundo indicadores da consultoria A.T. Kearney. No ano passado, ficou fora da lista. Este ano, é o único da América Latina. 

EUA lidera, seguido por Canadá, Alemanha, Japão e França. Na sequência dos primeiros colocados, seguem, por ordem Reino Unido, Austrália, China, Itália e Suíça. O Brasil é o 22º colocado.

 
 

Dispensado

O advogado Frederick Wassef ficou em evidência depois da prisão de Fabrício Queiroz, em sua casa em Atibaia. Diante disso seus serviços foram dispensados pelo clã Bolsonaro. Dizem que a insistência do advogado em provar que era bem próximo a família causou grande desconforto. 

Wassef, que esteve presente na posse de Fábio Faria no Ministério das Comunicações, garantia que tinha acesso livre no Planalto e no Alvorada. Flávio Bolsonaro garantiu que foi o próprio advogado que decidiu abrir mão dos serviços para a família.

Fogo nos olhos

As aparições de Bolsonaro no final de semana exibiram uma figura furiosa, com “fogo nos olhos” a se usar uma expressão popular, a ponto de acender a luz vermelha no grupo de estudos de seu comportamento na Universidade Federal de São Paulo. mais: Carluxo Bolsonaro também anda com os nervos à flor da pele diante do avanço das investigações contra o irmão Flávio. E Carluxo com ódio é um perigo.

MAIS

Depois de Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni é o mais assíduo interlocutor do governo com o PGR Augusto Aras. No fundo, dá no mesmo. 

Lorenzoni, a propósito é um quadro de grande fidelidade, mas Bolsonaro que já o removeu da Casa Civil quer removê-lo da Cidadania. Só precisa encontrar um lugar que signifique promoção, embora seja afastamento.

Sem fogos

A prefeitura do Rio estudo, pela primeira vez em décadas a possibilidade de não haver a tradicional queima de fogos de artificio na passagem do ano, que no ano passado, reuniu três milhões de pessoas. A substituição poderia ser shows pela internet. Também o não menos tradicional baile de réveillon do Copa está ameaçado de não ser realizado.

QUEM INDICA

Na despedida, com direito a “abracinho” entre Bolsonaro e Weintraub, parecia que o presidente era o manda-chuva do episódio. Atrás de tudo, quem indicou o ex-ministro da Educação, foi Olavo de Carvalho, o terraplanista de Richmond que também sugeriu a saída pelo Banco Mundial e será quem indicará o substituto.

Menos receita

Três meses depois do início da quarentena, espaços de trabalho compartilhado (os chamados “coworking spares”) buscam sobreviver ao esvaziamento de seus escritórios, a perda de faturamento e clientes que se preparam para o “novo normal”, onde o home office ganhará espaço. Os coworkings querem se reinventar para atender novos perfis e demandas de trabalho, o que não será fácil.

ENCOLHENDO

Depois de três meses, o mercado de lives patrocinados com artistas, que começou com cachês de mais de R$ 500 mil, está minguando. Desde o começo, os artistas cobravam o mesmo de shows ao vivo. 

Hoje, artistas em início de carreira, estão fazendo apresentações por R$ 1 mil. A propósito, Michel Teló cujo cachê gira em torno de R$ 150 mil, teve de cancelar cerca de 30 apresentações presenciais que faria em grandes festas de São João.

Ansiedade

Bom para evitar contaminação, o confinamento aumentou a incidência de transtornos de ansiedade, insônia e depressão em grande parte da população, segundo a consultoria especializada no setor farmacêutico IQVIA. 

Prova disso é que abril e maio quando estiveram em vigor medidas mais rígidas do isolamento a palavra “insônia” foi a mais procurada do Google. O assunto está sempre relacionado a quarentena e medicamentos. E a pesquisa por “remédio contra insônia” cresceu 130% no mês passado.

VITAMINAS

Ainda sequelas do isolamento: além de ansiolíticos e antidepressivos, a pandemia proporcionou o aumento das vendas de vitaminas e polivitamínicos. Segundo dados do IQVIA, a demanda do mercado nos 12 meses terminados em maio cresceu 24,75%, passando de 173,2 milhões de unidade para 216,3 milhões de caixas. E surpreendente, uma grande procura por zinco.

MISTURA FINA

  • AINDA a ida de Abraham Weintraub para os EUA: na manhã de ontem o ex-ministro da Educação, usou o Twitter para agradecer a ajuda. “Agradeço a todos que me ajudaram a chegar em segurança aos EUA, seja aos que agiram diretamente (foram dezenas de pessoas) ou aos que oram por mim. Aproveito para dizer que estou bem”.
  • O GOVERNO também está buscando um cargo para Arthur Weintraub, irmão de Abraham e assessor da Presidência (ninguém sabe o que ele faz exatamente). Um caminho é a Comissão Jurídica da OEA, com sede no Rio.
  • EM função da pandemia, alguns governadores, como Mauro Mendes, do Mato Grosso, estão batendo na porta do Banco Mundial tentando um waiver para o pagamento de empréstimos. Todos têm ouvido um “não”. Agora, com Weintraub lá também não mudará rigorosamente nada.
  • COM a dispensa de Frederick Wassef, Flávio Bolsonaro não perdeu muito tempo e contratou outro advogado. Trata-se de Rodrigo Roca. Roca foi advogado do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, até 2018, que resolveu deixar de defendê-lo assim que Cabral assinou sua delação premiada.
  • A PARANÁ Pesquisa avaliou que o brasileiro confia mais em Bolsonaro (37,9%) do que em William Bonner, apresentador do Jornal Nacional (32,6%). O jornalista da Globo vende a disputa no Nordeste: 39,6% de confiança contra 30,1% de Bolsonaro.
  • ATÉ a semana passada, antigos colegas de Fabrício Queiróz da Polícia ajudavam na segurança do sítio onde ele se refugiava em Atibaia. Quase que por coincidência, há poucos dias o sistema foi desmontado. Como se alguém soubesse que ele não teria mais valia alguma para que estava por vir – e veio.
  • NO setor aéreo, há quem aposte que, dentro de pouco tempo, a Azul acaba engolindo a Latam. Na semana passada, as duas assinaram acordo de compartilhamento de voos. O grupo Latam Airlines, como se sabe, pediu recuperação judicial nos Estados Unidos.
  • ANÁLISE de clipping de 42 veículos de comunicação em todo o país revela que, depois da pandemia, o tema “golpe” foi o mais mencionado nos últimos 30 dias.
  • CONSTITUÍDA há meses pelo grupo Athié Wohnrath, a incorporadora AW estreará no mercado paulista com projeto de R$ 130 milhões na esquina das ruas Chipre e Atílio Innocenti, em frente à Faria Lima, na Vila Olímpia. O terreno de 1.450 metros, quem diria, pertencia à atriz Bruna Lombardi e funcionava como estacionamento.

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!