Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVELA

“Haja Coração” volta ao ar no horário das sete com humor e romance na Globo

Baseada em “Sassaricando”, o folhetim é uma releitura da obra assinada por Silvio de Abreu
14/10/2020 14:58 - Caroline Borges/TV Press


O horário das sete é conhecido pelas novelas leves e cômicas. Em decorrência da pandemia do novo coronavírus e da intensa enxurrada de notícias pesadas, a Globo buscou reforçar mais do que nunca esse horário com produções tranquilas e lúdicas. Após o grande sucesso da romântica e divertida “Totalmente Demais”, a emissora escalou como substituta “Haja Coração”. O folhetim assinado por Daniel Ortiz, estreou dia 12, é uma releitura de “Sassaricando”, de Silvio de Abreu. “Fiquei surpreso e, ao mesmo tempo, bastante honrado pela novela ter sido escolhida. É a novela certa para esse momento, sem vilania cruel. Boa para ir ao ar entre dois jornais. Precisamos sair um pouco da realidade e entrar na fantasia. Amadureci muito com este trabalho e fui feliz escrevendo para os personagens icônicos do Silvio, personagens que marcaram a minha infância”, valoriza Ortiz, que está à frente do texto de “Salve-se Quem Puder”, que saiu do ar em virtude das medidas de isolamento social.

A trama é focada na trajetória da feirante Tancinha, papel de Mariana Ximenes – protagonista interpretada por Claudia Raia na versão original. Inicialmente, a personagem, que carrega um forte sotaque paulista, começa a novela vivendo um intenso romance com o bruto Apolo, de Malvino Salvador. “No começo, foi muito difícil formatar essa linguagem da Tancinha. Tinha uma dificuldade para encontrar esse jeito de falar da personagem, mas, no final, eu já não sabia o que era Tancinha e o que era Mariana”, explica a atriz, que celebrou o retorno da novela nesse momento. “É uma trama de laços familiares. São valores legais para serem ressaltados atualmente”, completa. Ao longo da história, Tancinha fica com seu coração divido. Além de Apolo, o publicitário Beto, de João Baldasserini, também surge em seu caminho. O rapaz faz de tudo para conquistar a feirante. O antagonista foi o primeiro personagem grande de Baldasserini após ganhar destaque na minissérie “Felizes Para Sempre?”. “Quando peguei o Beto, fiquei assustado. Não tinha noção como era o ritmo de gravação de uma novela. Fui me encontrando ao longo da novela. Quando descobri o humor do personagem, foi libertador. Virei comediante (risos). Agora quero fazer um vilão de novela das nove”, brinca Baldasserini.

Além da volta do “remake” no horário das sete, a versão original de “Sassaricando” também está no ar atualmente no Canal Viva. Ortiz faz questão de ressaltar que o folhetim é uma releitura da obra assinada por Silvio de Abreu. Inclusive, mudou diversas tramas e incluiu personagens de outras novelas, como a Shirlei Manca, interpretada por Sabrina Petraglia. O papel foi inspirado na personagem de Karina Barum de “Torre de Babel”. “Fui percebendo que, quando a gente mexe em um tijolo, tudo muda. São trabalhos completamente diferentes. ‘Sassaricando’ retrata muito o humor daquela época. ‘Haja Coração’ tem uma pegada mais romântica. A história da Tancinha da Mariana é mais romântica. Eu quis manter algumas cenas, mas, quando mexe em algo, mexe em tudo”, aponta Ortiz.

Mesmo se tratando de uma reprise, há chances de o final da novela ganhar uma nova versão. Na época da exibição original, foram gravados dois finais para a protagonista. Por conta do sucesso dos casais, Tancinha ganhou um desfecho com Apolo e outro com Beto. O último capítulo terminou com Tacinha e Apolo, mas o mesmo pode não acorrer na edição especial. “Vamos ver e deixar as coisas fluírem. Na época da novela, a gente também não sabia com quem a Tancinha terminaria. Gravamos, mas não sabíamos o que iria ao ar. Legal que essa expectativa esteja nessa versão também”, torce Baldasserini.

Quem é quem

Núcleo Tancinha e Apolo

Tancinha (Mariana Ximenes) é a mais extrovertida e explosiva dos filhos de Francesca (Marisa Orth), Giovanni (Jayme Matarazzo), Carmela (Chandelly Braz) e Shirlei (Sabrina Petraglia). Na infância, passou um bom tempo no interior com a avó materna italiana, por isso, acabou aprendendo a falar tudo errado, com um forte sotaque italianado. É namorada de Apolo (Malvino Salvador). Órfão, ele foi retirado de um abrigo por Nair (Aba Carbatti) quando criança, com seus dois irmãos biológicos, Adônis (José Loreto) e Larissa (Marcella Valente). Bonito, é abrutalhado, estourado, mas tem um coração de ouro. Sonha tornar-se corredor de rali. Enquanto isso não acontece, pilota o Possante, um caminhão velho, mas muito amado. 

 
 

Núcleo Beto e Tamara

Bonito e conquistador, Beto Velázquez (João Baldasserini) vai balançar o namoro de Tancinha e Apolo. Reconhecido como um dos melhores publicitários de São Paulo, é filho de Penélope (Carolina Ferraz) e irmão de Tamara (Cleo Pires). Linda, descolada e dona de uma boate dentro do Grand Bazzar, Tamara acaba se envolvendo com Apolo. Ansiosa, sua maneira de lidar com a vida é na base do tudo ou nada.

 
 

Núcleo mansão Abdala

Teodora Abdala (Grace Gianoukas) é a presidente do Grand Bazzar e chefe da família Abdala. É daquelas pessoas que ninguém ousa contrariar. Trata o marido Aparício (Alexandre Borges) como um capacho, enquanto pela filha, Fedora (Tatá Werneck), é capaz de qualquer coisa. Criada como uma princesa, Fedora se considera uma it-girl e vive de colecionar seguidores. Vai se apaixonar por Leozinho (Gabriel Godoy). Na mansão, ainda mora Lucrécia (Claudia Jimenez), irmã mais velha de Teodora. Capaz dos gestos mais inusitados, casou-se com Agilson (Marcelo Médici) sem amor, só para dar o troco em Aparício (Alexandre Borges), por quem sempre foi apaixonada. Os dois são pais de Camila (Agatha Moreira). 

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...