Correio B

CONFLITO

A+ A-

Aos 94 anos, ex-combatente luta por reconhecimento

Paulo de Paiva serviu durante a Segunda Guerra Mundial e busca receber pensão por anos de dedicação ao País

Continue lendo...

A Segunda Guerra Mundial ainda não acabou para o ex-fuzileiro naval Paulo de Paiva, que, aos 94 anos, busca na Justiça o reconhecimento de sua participação no conflito para ter direito a uma pensão como 2º tenente da Marinha. Nascido em Corumbá, o ex-combatente esteve à frente das batalhas travadas na costa do Oceano Atlântico, integrando os comboios de proteção aos navios da Marinha Mercante e militares.

A participação do Brasil no conflito mundial se deu a partir de 1942, mas um ano antes um torpedo nazista levou a pique o navio brasileiro Taubaté em águas atlânticas. Cerca de 1.100 brasileiros, entre militares e civis, morreram na Batalha do Atlântico em razão do afundamento dos 32 navios da Marinha Mercante e um navio da Marinha por submarinos do Eixo. A Segunda Guerra Mundial termina oficialmente na Europa em oito de maio de 1945.

A família de Paulo de Paiva requereu em 2009 a pensão militar – hoje estimada em R$ 8 mil – com ação na 1ª Vara Federal de Corumbá, que deu ganho de causa em 2011. A decisão foi referendada pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF) em 2013 e mantida em 2016 pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Porém, a União recorreu quanto ao porcentual “exorbitante” de 10% dos honorários advocatícios e o processo está parado na 3ª Região desde 2018.

“Vivemos um martírio, não entendemos porque tanta demora. Queremos que o Paiva usufrua de seus direitos em vida”, afirma sua esposa, dona Cleodete Arruda Paiva, 78.

O advogado do ex-combatente José Carlos dos Santos já fez reclamação à ouvidoria do TRF quanto a morosidade no andamento processual para cumprimento da sentença depois de tramitar em regime de urgência, e não obteve resposta. “Não se discute mais o mérito, a União questiona a verba honorária [R$ 30 mil] e o processo não anda com decisões favoráveis ao seu Paiva, que ainda vive a tormenta da guerra”, disse Santos.

Medalha de Guerra

O marinheiro corumbaense prestou serviço militar no 6º Distrito Naval da Marinha, em Ladário (município agregado a Corumbá), no período de 1943 a 1946, em plena guerra, e cumpriu missões no teatro de operações marítimas no Atlântico, entre Assunção, Buenos Aires e Montevidéu, a bordo dos navios da Marinha Parnaíba e Pernambuco. Em 1961, recebeu do Ministério da Marinha o Diploma de Medalha de Guerra com citação meritória.

No entanto, Paulo de Paiva não se beneficiou da Lei nº 3.906, que trata da aposentadoria como ex-combatente com proventos integrais. A primeira tentativa de garantir seus direitos foi em 1987, ao apelar à Marinha, mas seu requerimento não obteve resposta. Depois de encerrar a carreira militar, passou em concurso civil para agente de portaria no mesmo distrito naval, onde se aposentou em 1979 por invalidez com salário atual de R$ 3 mil.

Ainda com o horror da guerra na memória, apesar da idade o veterano fuzileiro naval mora com a esposa em uma casa modesta no bairro Popular Nova, periferia de Corumbá, na convivência com os filhos e dezenas de netos e bisnetos. Seu nome está no Monumento dos Pracinhas, no Jardim da Independência, mas a consagração de sua participação na Segunda Guerra depende de um despacho judicial, o qual espera obter em vida.

falta pouco

Processo de tombamento de edificações históricas de Porto Murtinho é aprovado

Conselho Estadual de Políticas Culturais de Mato Grosso do Sul aprova o tombamento da Padaria Cuê e da Prefeitura Cuê, edificações históricas de Porto Murtinho, no sudoeste do Estado

27/02/2024 10h00

A Prefeitura Cuê, onde atualmente funciona a Prefeitura Municipal de Porto Murtinho, foi construída na década de 1930 e combina ideias do neoclássico com o estilo colonial brasileiro Divulgação

Continue Lendo...

O Conselho Estadual de Políticas Culturais de Mato Grosso do Sul (CEPC-MS) emitiu, na semana passada, parecer favorável aos processos de tombamento de duas importantes edificações localizadas no município de Porto Murtinho. A Padaria Cuê e a Prefeitura Cuê, ambas construídas entre os anos de 1920 e 1930, deverão ser incluídas no rol do Patrimônio Cultural Material de Mato Grosso do Sul.

A decisão do conselho foi publicada na página 55 da edição de 21 de fevereiro do Diário Oficial do Estado. Conforme os trâmites para tombamento, que prevem a aprovação do chefe do Poder Executivo estadual para efetivar o processo, só falta o governador Eduardo Riedel dar o seu aval.

As edificações, segundo o CEPC-MS, estão entre as de maior expressão quanto à riqueza histórica e arquitetônica de Mato Grosso do Sul. A tramitação dos processos está em curso, sob a responsabilidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), para que as inscrições das edificações sejam feitas no Livro do Tombo Histórico.

PADARIA E MOINHO

A Padaria Cuê é uma construção com elementos da arquitetura industrial trazidos da Europa e da América do Norte para o Brasil, com a fachada toda em tijolo cerâmico queimado aparente, uma referência à Revolução Industrial, que foi mais de uma vez retomada no século 20.

Erguida a mando do comerciante uruguaio Jaime Aníbal Barrera, pelos construtores espanhóis Canellas e Abelardo, a edificação, além de funcionar como padaria no térreo, tinha também a finalidade de abrigar o moinho de trigo em Porto Murtinho.

A construção foi concluída no ano de 1928. Localizada na Rua Dr. Costa Marques nº1.089, na esquina com a Rua Antônio João, a Padaria Cuê foi adquirida, em 1954, pela Cooperativa Florestal S/A e, em 1978, foi entregue ao governo do Estado de Mato Grosso como forma de pagamento de dívidas da cooperativa.

A partir de 2004, o bem público tornou-se de domínio da Prefeitura Municipal de Porto Murtinho, passando a abrigar o Museu Dom Jaime Aníbal Barrera.

PREFEITURA

A Prefeitura Cuê foi construída na década de 1930 e se apresenta com ideias do neoclássico, apesar de também ter traços do estilo colonial brasileiro. Localizada na Rua Pedro Celestino, de frente para o Rio Paraguai, o edifício funcionava como o centro administrativo que comandava o movimento fiscal do porto.

Sua arquitetura representa o período áureo de importância do município no cenário estadual. O prédio foi recuperado em 2006 e atualmente abriga a sede da Prefeitura Municipal de Porto Murtinho.

CONTEXTO E IMPORTÂNCIA

Parte de um complexo de imponentes edificações construídas no início do século 20, os dois imóveis refletiam – e ainda refletem – o contexto político e econômico daquela região, alentado principalmente pelo ciclo da erva-mate e pela Companhia Matte Larangeira, responsável pela exploração dos ervais nativos do então Mato Grosso.

A região desenvolveu-se muito naquele período graças à implantação de um porto fluvial que deu nome à cidade, por onde escoava a produção ervateira via Rio Paraguai.

A região destacava-se ainda pela produção do charque e do tanino, que, com a erva-mate, trouxeram grandes transformações econômicas e sociais para a cidade, atraindo imigrantes de diversas nacionalidades para Porto Murtinho, como italianos, portugueses, árabes, espanhóis e alemães.

Essa imigração também provocou grandes reflexos na arquitetura da cidade, que podem ser observados no complexo arquitetônico do qual fazem parte a Padaria Cuê e a Prefeitura Cuê.

Diálogo

Confira a coluna Diálogo na íntegra, desta terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Por Ester Figueiredo ([email protected])

27/02/2024 00h01

Diálogo Foto: Arquivo / Correio do Estado

Continue Lendo...

Fabrício Carpinejar escritor brasileiro

É na solidão que você cola seus pedaços. Não dá para se refazer acompanhado. Qualquer proximidade dói".

 

FELPUDA

Deixar que cantem de galos para que sintam o próprio ego massageado é a prática adotada com relação a alguns personagens políticos, que, aliás, adoram um barranco para ficarem encostados. Dizem que a chefia nem se abala com os rompantes, porque o principal não está nas mãos dos apaniguados dos ditos-cujos, ou seja, o orçamento. Assim, o máximo que conseguem é espernear, mas não esticam a corda, porque podem perder as boquinhas. Sendo assim... Rita Carreira Jucimara.  

Fotos: Marcelo Victor/ 

Campo Grande está entre os destinos mais acolhedores da Região Centro-Oeste, conforme a plataforma Booking.com. Anualmente, o site de e-commerce de viagens reconhece os parceiros do turismo pelo seu compromisso com a hospitalidade e a excelência ao longo do ano, incluindo acomodações, empresas de aluguel de carros e provedores de táxi, por meio do Traveller Review Awards 2024, premiação que é realizada, este ano, com base em 309 milhões de avaliações verificadas de clientes na plataforma. Campo Grande foi a única cidade de Mato Grosso do Sul a figurar na lista, em que estão também Brasília, no Distrito Federal; Alto Paraíso de Goiás, Pirenópolis, Trindade, São José e Caldas Novas, em Goiás; e Chapada dos Guimarães e Cuiabá, em Mato Grosso. Em relação aos tipos de acomodação mais premiados pelo Traveller Reviews Awards 2024, no Brasil, os apartamentos ficaram em primeiro lugar (24.216 ganhadores), seguidos pelas casas de temporada (9.749) e pelos hotéis (6.789).

 

Arquivo Pessoal/ 

 

Lu Prézia/ Divulgação 

Ecos

O ato realizado na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), no domingo, não só comprovou a liderança política do ex-presidente Jair Bolsonaro como mostrou a possibilidade de seu partido, o PL, fazer aliança com o PP da prefeita Adriane Lopes, dando os rumos, desde já, à campanha eleitoral em Campo Grande. Algumas desistências estão sendo previstas nos próximos dias.

Lance

O recuo dos deputados petistas Vander Loubet (federal) e José Orcírio (estadual) sobre a pré-candidatura de Camila Jara à prefeitura da Capital seria mais um mover de peças no tabuleiro das eleições. No caso, não se desgastam com o partido, não terão um nome competitivo que possa ameaçar a "concorrência" aliada e ficam bem na fita com o lado de lá.

Lance

O recuo dos deputados petistas Vander Loubet (federal) e José Orcírio (estadual) sobre a pré-candidatura de Camila Jara à prefeitura da Capital seria mais um mover de peças no tabuleiro das eleições. No caso, não se desgastam com o partido, não terão um nome competitivo que possa ameaçar a "concorrência" aliada e ficam bem na fita com o lado de lá.

Quem?

Com a saída do PT do seu pretendido arco de aliança para disputar a Prefeitura de Campo Grande, a superintendente da Sudeco, Rose Modesto, tenta cooptar um novo partido para oferecer a vaga de vice. Seus olhos se voltaram para o PSB. Mas, como já dito aqui, esse partido pende para o PSDB. Ficou difícil.

Digital

Nos dias 21 e 22 de março, Campo Grande sediará o 2º Congresso de Cidades Digitais e Inteligentes de MS.

 

Aniversariantes

Victor Cabrera de Eugenio Filho,
Isolina Dibo,
Dr. Paulo Siufi Neto, 
Maria Aparecida Zotelli Pacheco Barbosa,
Cézar França Costa,
Helenice Ribeiro dos Santos,
Maria Alli Cardoso, 
Dr. Oswaldo Rodrigues de Melo, 
Regina Celia Pinto Brito,
Rachel Rosana de Jesus Portela Giroto, 
Gilsomar Martins Godoy,
Joana Gomes Teixeira,
Dr. Gilberto Victor Cerquetani,
Dra. Mara Cristiane Crisóstomo Bravo, 
Emanuela Cabral Nogueira Gonçalves,
Jaqueline Gonçalves Moura,
Eloisa do Carmo,
Shiguenori Aguni,
Mônica Hugo,
Dra. Maria Lúcia Torrecilha, 
Roberto Figueiredo,
Joel Nascimento dos Santos,
Rosângela Ferreira Monteiro, 
Marilene Delamare Rosa Marques,
Dra. Sara Francisco Ricarte,
Dileuza Pereira dos Santos,
Auxiliadora Souza,
Juracy Calheiros, 
Rogério Silva de Luna,
Sueli Monteiro dos Santos 
de Azevedo,
José Marcos da Fonseca,
Vanessa Lisi de Paula Victório,
Ana Paula Fernandes Strang,
Nicola Ernesto Canale Vilas Boas,
Jair Leite Viana,
Ursula Andress de Menezes,
Quirino Mariano de Souza,
Jorge Luiz Sanches,
Ricardo Ferreira Nantes,
Mara Regina Bertagnolli 
de Gonçalves,
Dr. Tadayuki Fujii, 
José Henrique Pompeu Ferreira,
Itamar Bilibio,
Denise Vilarinho Albuquerque, Elizabeth Gouvêa da Silva,
Judith da Silva Conceição, 
Marlene Carvalho de Andrade,
José Spencer Gonzaga,
Nilda Noriko Chinem, 
Maria Marizete Santos dos Reis, 
Djalma Rodrigues de Souza, 
Iran Expedido Hvala, 
Maria Bernadete Silva Flôres, 
Tâmara Barbosa de Almeida, 
Eurico Santos Ferreira,
Newton Renato Couto,
Antônio de Jesus Arf,
Lorenzo Torres Martinez,
Maria de Lourdes Rezende,
Roselânia Rodrigues de Araújo Gonçalves,
Rosemar Rodrigues de Araújo Mesquita,
Dr. Luiz Carlos Buchele, 
Dra. Sara Francisco Silva, 
Silvia Alves Conciani,
Kunio Hatakeyana,
Telma Conceição Alves Ferreira Soares,
Jaqueline Karina Rodrigues 
de Lima,
Celso Aparecido Pilegi,
Aridalton José de Souza,
Silvio de Oliveira Pereira,
Irineu Ferrari,
Maria Ozoria Ribeiro da Silva, Danubio Flores Maciel,
Edna Lucia Pereira Zório Pereira,
José Nilton Botelho Ribeiro,
Adonai José da Cruz, 
Marcos Zaia,
Osvaldino Monteiro, 
Ariovaldo Gil Sarzi,
Eraldo Holosback de Azambuja, 
Anderson Figueiredo de Almeida,
Adriana Mara Moreira, 
Dr. Augusto Daige da Silva, 
Letícia Arashiro Tibana, 
Goreth de Aguiar Arruda, 
Fábio Paulo da Costa Latorraca, 
Ana Paula Santos de Moura Vergueiro Macchione,
Gabriel Machado Maranhão 
da Rosa,
Fábio Odacir Marinho de Rezende, 
Osvaldo Dantas,
Ana Gonçalves Lima do Prado, 
Elisiane Pinheiro,
Baldomero Flores,
Renata dos Santos Laranjeira,    
Francisco Carlos Trindade Braga,
Robson Luiz Martins,
Gislaine Garofallo Garcia,
Thaila Moura Campos,
José Marcelo Carriço Garcia,
Rosystella Helena Seefelder Poletto.

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).