Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AUTOCINE DE VOLTA

Após três décadas fechado, drive-in de cinema localizado na UFMS atraiu curiosos e saudosistas

Para quem perdeu, projeto continua com exibições gratuitas durante o mês de julho
30/06/2020 07:00 - Naiane Mesquita


 

Neila Janes Viana Vieira, 56 anos, não economizou na companhia durante a reestreia do Autocine, em Campo Grande. O espaço destinado a exibição de filmes no estilo drive-in estava há mais de 30 anos com os portões fechados, mas decidiu reabrir por conta da pandemia do novo coronavírus, em uma ação promovida pela Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande), FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul) e da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).  

“Foi um momento de união entre três gerações. Eu e meu marido, nossos dois filhos e meu netinho. Eles não chegaram a conhecer o Autocine antigo, então estavam todos curiosos para saber como funcionava”, explica Neila.  

A sessão de estreia do Autocine ocorreu na noite de domingo (28), com a exibição do filme “Eu e meu guarda-chuva” em dois horário, às 18h e às 20 horas. Neila foi no último horário, com a família dividida em dois veículos. “Foi uma delícia. É muito bom rememorar  os tempos antigos”, ressalta.

A arquiteta explica que durante a juventude frequentou diversas vezes o Autocine, assim como outros eventos culturais que ocorriam no campus da UFMS.  

“Eu frequentei bastante o Autocine. Eu e meus amigos sempre assistíamos filmes ali. Na época, início da década de 80, eu era estudante e cursava dois cursos, o de arquitetura na Uniderp e o de educação artística na UFMS”, relembra.  

Neila frisa que o espaço era destinado aos melhores filmes da época. “Frequentei uns cinco anos, alguns dos meus amigos também eram estudantes, outros só frequentadores. Hoje eu estava tentando lembrar o último filme que eu vi no Autocine, mas não consegui”, frisa.

Na memória, o longa “Z”, do diretor Costa Grava, foi um dos mais marcantes.

“É um filme politizado e o meu grupo de amigos estava nesse caminho na época. Frequentávamos todas as atividades culturais da universidade, vernissages, o projeto Pixinguinha, no Glauce Rocha, entre outros. Os filmes no Autocine eram os melhores, escolhidos a dedo”, frisa.  

Projeto

Por enquanto, o diretor-presidente da Sectur, Max Freitas, conta que não há uma programação fechada dos próximos filmes exibidos, sendo que uma comissão formada pelas três instituições participantes, escolherão os longa-metragens. “Para nós foi muito prazeroro. O Autocine está parado há 31 anos e mesmo nessa período de pandemia ver o retorno dele, a expectativa do público, a resposta dos que foram, valeu muito a pena”, explica.

O projeto teve um investimento de R$ 100 mil, sendo que para cada exibição, o diretor estima um valor de R$ 20 mil investidos para a locação dos equipamentos. “Ainda queremos fazer algumas adaptações, como a sinalização do piso, no domingo usamos cones”, ressalta.

A exibição seguiu todos os protocolos de biossegurança e não houve nenhum tumulto na entrada e na saída. “O que desejamos é ampliar as sesões e os dias, atingir outros espectadores, já que por enquanto estamos exibindo apenas filmes infantis”, indica.  

Segurança

Os músicos Pedro Paulo de Souza Fattori e Ana Maria Schneider dos Santos, do Duo Vozmecê, participaram da exibição e sairam encantados pela proposta. “Para a gente foi uma experiência incrível, que estavamos vivendo pela primeira vez, a nossa geração só acompanhou o drive-in pelos filmes”, indica Fattori, hoje, com 23 anos.  

Os dois são só elogios para a  biossegurança do ambiente - com medição de temperatura e muito álcool em gel - além do preço acessível das comidas servidas no espaço.  

Eles tiveram dificuldades em conseguir o ingresso para a sessão extra, mas foram com  van e tudo para o lugar. “O local está preparado para receber vários tipos de carro”, frisa.

A única crítica de Pedro é na demora para reativar o projeto. “É louvavel a atitude deles, infelizmente tivemos que passar por tudo isso para reativarem finalmente o cinema”, diz o músico.  

A população pode comprando pipocas, refrigerantes, chips e até mesmo algodão doce das associações beneficentes presentes no local.

A próxima sessão acontece no primeiro domingo de julho (5) e para garantir ingressos é preciso ir até a Praça dos Imigrantes na quarta-feira (01) às 8h. Os ingressos são limitados e gratuitos.

Serviço – A Praça dos Imigrantes está localizada na rua Joaquim Murtinho esquina com a Rui Barbosa. Mais informações pelo telefone 4042-1313 ramal 4307. O Autocine fica no campus da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, ao lado do Morenão. 

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.