Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

CULTURA

Autocine exibe no domingo "O bem amado", clássico da dramaturgia brasileira

Grupo Arte Deac vai apresentar vídeo de contação de história antes do filme
23/10/2020 13:32 - Gabrielle Tavares


O Autocine da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), vai exibir o filme “O bem amado” no próximo domingo (25). Sessão terá ainda vídeo com contação de histórias do Grupo Arte Deac.

Ingressos retirados semana passada que não foram utilizados em razão ao cancelamento da sessão do último domingo, motivado pela chuva, ainda podem ser usados.

O filme começará às 18h. Baseado na obra de Dias Gomes, O bem amado conta a história do prefeito Odorico Paraguaçu, que tem como meta prioritária em sua administração na cidade de Sucupira, a inauguração de um cemitério.

De um lado é apoiado pelas irmãs Cajazeiras. Do outro, tem que lutar contra a forte oposição liderada por Vladimir, dono do jornaleco da cidade.  

Por falta de defunto, o prefeito tem dificuldade para realizar sua meta, mesmo depois da chegada de Ernesto – um moribundo que não morre – e a contratação de Zeca Diabo, um cangaceiro matador.

O elenco conta com Marco Nanini, Andréa Beltrão, José Wilker e Caio Blat. A direção é de Guel Arraes e produção por Miravista, Natasha Filmes e Globo Filmes.

Além disso, antes do longa será exibido vídeo produzido pelo Grupo de Arte Deac baseado no livro Flicts, do escritor, desenhista e cartunista Ziraldo Alves Pinto.

A narrativa conta a história de uma cor sem vida, semelhante a bege ou nude, que tenta de todas as maneiras encaixar-se entre as demais cores, se misturar, mas sempre é rechaçada por elas.

Flicts gera reflexões sobre bullying, aceitação e combate ao preconceito.

 
 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!