Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CUIDADO

Cães e gatos também podem sofrer com doenças cardíacas causadas por obesidade e estresse

Idade avançada, sedentarismo e obesidade estão entre os fatores de risco para o desenvolvimento de enfermidades
12/09/2020 15:50 - Naiane Mesquita


Nem só os seres humanos sofrem com os problemas do coração. De acordo com especialistas, cães e gatos podem desenvolver doenças cardíacas devido à uma série de fatores, como estresse, sedentarismo, idade avançada e obesidade. 

Para alertar aos tutores quanto a importância da prevenção e tratamento de doenças cardíacas em cães e gatos foi criada a campanha "Setembro Vermelho", voltada à conscientização sobre as doenças cardiovasculares, que também acometem os pets.

“Até há algum tempo, as doenças cardíacas não eram comuns nos animais, mas com o desenvolvimento da medicina, a expectativa de vida dos animais aumentou, desta forma, as doenças  degenerativas, comuns nos idosos, ficaram mais frequentes, entre estas, as cardíacas. Mas há ainda os fatores externos, como a obesidade causada pelo sedentarismo e má alimentação”, explica a médica veterinária homeopata, Mônica de Souza.

Algumas raças de cães, selecionadas geneticamente, são mais suscetíveis a desenvolver este tipo de doença, em especial os de porte grande, como Fila Brasileiro e Dog Alemão. Alguns menores, como Lhasa Apso e Shitzu, também correm risco por fatores hereditários. 

“Outro fator de risco é o cruzamento constante entre animais com grau de parentesco próximo. O que pode parecer uma garantia de raça pura, na verdade, é arriscado e, entre outras doenças, a seleção pode resultar em problemas cardíacos nos cães”, esclarece a veterinária. 

Dirofilarose

Causa incomum em Mato Grosso do Sul, a dirofilarose canina é uma doença parasitária, causada pelo verme Dirofilaria immitis (conhecida também como verme no coração), transmitida pela picada de um  mosquito (que pode ser dos gêneros Aedes, Culex e Anopheles), com maior incidência em regiões com altas temperaturas. 

“Neste caso, a doença ataca o organismo do animal, em especial o coração e os pulmões. Os sintomas mais comuns são perda de apetite e de peso, apatia e tosse. Entretanto, na nossa região, este tipo de doença, endêmica no litoral brasileiro, é muito rara”, destaca Mônica.


Gatos – Com menor incidência de sofrer com doença cardiovascular, os gatos podem desenvolver cardiomiopatia – doença do músculo cardíaco. Elas podem ser divididas em Cardiomiopatia Hipertrófica, que é a hipertrofia do ventrículo esquerdo, resultado, em geral, devido ao fator genético e que se desenvolve mais em animais das raças Persa, Rangdoll e Maine Coon.

A outra causa é a Cardiomiopatia Dilatada, que ocorre quando o músculo cardíaco se torna flácido, influenciando na falha no bombeamento sanguíneo, evoluindo para insuficiência cardíaca e ainda a Cardiomiopatia Restritiva, que causa a rigidez na parede do miocárdio. Esta doença não distingue raça e atinge gatos de meia idade e idosos. 

 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!