Correio B
CINEMA EXPANDIDO

Campo Grande recebe sessões de cineconcerto com música experimental ao vivo

Dupla francesa realiza, na Capital, sessões de cineconcerto com música experimental ao vivo para “Metropolis”, de Fritz Lang, e “Marinheiro de Encomenda”

Marcos Pierry

12/05/2022 10:00

Dois gênios do cinema – o diretor austríaco Fritz Lang (1890-1976) e o comediante norte-americano Buster Keaton (1895-1966) – revistos por dois artistas franceses que exploram a recriação de imagens e sons.

Campo Grande entrou na rota da turnê que Jérôme Lopez e Xavier Garcia realizam no Brasil durante este mês. 

No programa, a dupla faz a projeção de dois longas-metragens dos anos 1920 enquanto executa a trilha sonora, ao vivo, com muita experimentação e improvisos a partir de referências que vão da chamada vanguarda histórica à música eletrônica contemporânea.

Depois da passagem por Curitiba, que começou no domingo e se estendeu até ontem, Lopez e Garcia aportam hoje em Campo Grande para uma curta temporada de apresentações e oficinas. 

Com a proposta do que chamam de cineconcerto, os artistas vão mostrar sua música original, criada na hora, para duas produções fundamentais, que, de certa forma, ocupam extremos opostos na história do cinema.

Hoje, às 19h, na Sala de Música do Sesc Cultura (Av. Afonso Pena, nº 2.270), será projetado “Metropolis” (1927, 148 min), de Fritz Lang, que dialoga fortemente com a estética do expressionismo alemão e estabelece um cânone para a ficção científica e a atmosfera distópica que vigora ainda hoje em muitos trabalhos do gênero que chegam às telas.

Amanhã, no mesmo local e horário, é a vez de “Marinheiro de Encomenda” (1928, 71 min), com direção de Charles Reisner (1887-1962), estrelado por Buster Keaton. 

Longe de ser considerado um dos melhores filmes de Keaton, um gênio da comédia, que protagonizou clássicos como “A General” (1926) ou “O Homem das Novidades” (1928), “Steamboat Bill Jr.”, título original, com o qual “Marinheiro” vem sendo divulgado para a sessão especial de amanhã, tem lá seus apelos.

Além da presença sempre cativante e surpreendentemente cômica de Keaton, o filme guarda para o fim a sequência que é tida como uma das mais hilárias da carreira do ator, quando um ciclone varre tudo em River Junction, um lugarejo às margens do Rio Mississippi, levando pelos ares, inclusive, o Bill Jr. do título original, interpretado pelo astro da comédia burlesca.

No sábado, também às 19h, Jérôme Lopez e Xavier Garcia repetem o cineconcerto com “Metropolis” no Museu da Imagem e do Som (MIS). Repeteco bem entre aspas, já que a dupla, embora lance mão de bases e outras programações pré-gravadas durante as performances, gosta mesmo é de improvisar com a utilização de instrumentos acústicos e traquitanas eletrônicas. O MIS localiza-se na Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 559. Todas as sessões serão gratuitas.

OFICINAS

Parte do laboratório sonoro e visual de Lopez e Garcia será compartilhada com os participantes das oficinas que os dois vão ministrar para jovens do projeto Cidadania Viva, da Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura (Secic), e alunos do Sesc Lajeado. Serão três atividades diferentes:

O “Smartfaust workshop” propõe exercícios práticos em torno da criação de sons com telefones celulares, a partir de um dispositivo chamado Grame, e a composição de uma peça para orquestra com o material desenvolvido coletivamente. 

A oficina “Criação de som em torno do filme-concerto” busca prospectar sons para a remusicalização de trechos de filmes, explorando a produção de loopings musicais. E a oficina criativa com a video malette apresenta esse equipamento de nome curioso.

Trata-se de uma ferramenta para a produção de vídeo e áudio ao vivo. Consiste em uma mesa de vidro, iluminada e retrofilmada, capaz de processar o fluxo de vídeo em tempo real antes de enviá-lo para o projetor.

A dinâmica é conduzida, uma vez mais, em formato coletivo. Os participantes desenham, pintam, produzem e reaproveitam fotografias e outros tipos de registro. A video mallette dispõe de um banco de imagens e sons que também costuma ser utilizado.