Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FOLIA

Carnaval terá festas, desfile e blocos na Capital

Programação em Campo Grande inclui festas gratuitas e pagas, além do desfile de blocos e escolas de samba
12/02/2020 07:00 - Daiany Albuquerque


 

Ontem, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) lançou a programação da cidade para o Carnaval deste ano. Ao todo são 32 atividades, entre gratuitas e pagas, distribuídas por toda a cidade.  

Entre as novidades do ano está o retorno da folia na Fernando Corrêa da Costa. O evento começa no dia 22, com show do Art Popular, e segue no dia 23 com apresentação da dupla Henrique e Diego. Já no dia 24, a programação continua um mistério. “No dia 24 estamos fazendo ação nas nossas redes sociais para trazer uma atração surpresa. É uma brincadeira para saber se eles vão descobrir quem é que vai vir”, explica Melissa Tamaciro, secretária municipal de Cultura e Turismo.  

Para o encerramento, no dia 25, a atração da vez será o grupo Boka Loka.  

Enquanto isso, as estrelas do Carnaval em Campo Grande, os bloquinhos de rua, começam a agitar o centro da cidade no dia 15 de fevereiro, com o Bloco das Depravadas. O Cordão da Valu vai para a Esplanada Ferroviária nos dias 22 e 23 de fevereiro, enquanto o Capivara Blasé realiza seu desfile no dia 24 e 25 de fevereiro.  

Na outra ponta da cidade, na Praça do Papa, acontece o desfile das escolas de samba da Capital. O evento será nos dias 24 e 25 de fevereiro, a partir das 19h30min.  

DIVERSIFICADO

A programação com todos os eventos, que começam no dia 13 de fevereiro, foi reunida em um site especial, que é atualizado diariamente. “Dentro do nosso site, a gente transformou o agendão do Carnaval em um acontecimento dinâmico e vivo. Todos os dias têm alteração de agenda e inclusão de atividades. É o Carnaval mais integrado e mais plural, porque tem evento para todo e qualquer tipo de gosto”, disse Melissa Tamaciro.

De acordo com a secretária, o objetivo é de que Campo Grande se torne a capital com o maior Carnaval do Centro-Oeste.

“As entidades privadas e as associações acreditaram na nossa organização. Criamos, como prefeitura, um selo único, para que todos pudessem se unir na comunicação e criar uma identidade nesse Carnaval. Todos estão unidos para transformar Campo Grande na maior capital do Carnaval do Centro-Oeste e o que a gente está fazendo é divulgar as manifestações das entidades, quando elas demonstram interesse em criar uma programação específica para esse período”, afirmou a secretária.

A prefeitura também planejou atividades para as pessoas que não gostam de folia. “Fizemos uma pesquisa e verificamos que uma boa parte da população deseja o refúgio, a reflexão; outra parte quer a diversão, a folia nas ruas. Portanto, nós fizemos uma programação tanto para aqueles que querem ficar isolados, orando ou praticando a sua fé, como para aqueles que querem andar nas ruas, nos blocos ou nos cordões”, explicou o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD).

Entre as opções para os não adeptos à folia está o Carnaval Holístico, que ocorre nos dias 22 e 23 deste mês, no Bosque da Paz, localizado no Bairro Carandá Bosque, das 15h às 19h. Também haverá opção de trilhas, boia-cross e rapel.

A Sectur também fez uma parceria com alguns hotéis da Capital, que oferecerão um preço menor durante os dias de folia. O propósito é o de incentivar a presença de foliões do interior que queiram se divertir no Carnaval de Campo Grande.  

A Prefeitura de Campo Grande investiu cerca de R$ 300 mil, conforme a secretária de Cultura, além dos R$ 380 mil destinados às escolas de samba da Capital pelo governo do Estado.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!