Clique aqui e veja as últimas notícias!

ARTE

Com mais de 900 discos de vinil, Pedro Espíndola conta sobre paixão que se tornou hobby e negócio

Colecionador, o músico tem discos raros e não esconde a admiração pelo universo artístico
22/10/2020 07:00 - Carol Alencar Cozzatti


Desenvolvido no fim da década de 1940, o disco de vinil permanece vivo para músicos e colecionadores. Por amor à música em si, o campo-grandense Pedro Espíndola, 29 anos, é um colecionador de vinil assumido.  

Criterioso e detalhista no estilo, Pedro, que é fã incondicional de John Lennon, diz que na pandemia conseguiu atingiu a marca dos 100 vinis em sua coleção. “Considero uma coleção bem pequena, mas eu tento ser bem específico na escolha do que eu quero ter em LPs e o que pode ser digital/streaming, para não virar acúmulo desnecessário de coisas que não vou ouvir com a dedicação que gosto”, afirma o músico, que garimpou nada mais do que o disco solo de Rod Stewart – “Gasoline Alley”.

A paixão pela música veio do pai, o músico Celito Espíndola, e na adolescência adquiriu o gosto por lendas do pop, do blues e do rock dos anos de 1960 e 1970. Pedro diz ainda que já passou por muitas fases e permeou pelo rock extremo ao reggae pop nacional.