Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Com medidas de restrição, universidades e institutos priorizam colação de grau on-line

Colação a distância auxilia os alunos a terem o diploma mais rápido, mas também gerou um pouco de frustração
21/05/2020 07:00 - Naiane Mesquita


 

Aos 24 anos, Noéli Jara tem grandes planos para o futuro. Com a graduação concluída e a colação de grau realizada a distância por videochamada, na terça-feira, os próximos passos da jovem incluem uma pós-graduação e o mestrado. “Espero continuar estudando por muito tempo”, acredita.

Morando em Aral Moreira, cidade do interior de Mato Grosso do Sul, ela saía do município todos os dias durante três anos e meio para cursar Tecnologia em Agronegócio, no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), campus de Ponta Porã. Apesar de ter concluído os estudos em junho do ano passado, os planos de colar grau e ter o diploma nas mãos em 2020 foram impossibilitados por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).  

Porém, a saída veio pela internet, com a cerimônia que uniu várias cidades do estado em uma única videochamada.  

“Eu achei interessante eles terem encontrado essa solução. Foi especial da mesma forma, eu me senti muito feliz, não mudou em nada”, acredita Noéli.  

A webconferência reuniu cerca de 130 participantes,  entre os quais, 26 graduandos do Campus de Ponta Porã colaram grau: sendo 16 do curso superior de bacharelado em Agronomia e 10 do curso superior de Tecnologia Gestão do Agronegócio.

Enquanto a transmissão acontecia, os pais e amigos enviaram diversas mensagens no chat ao vivo parabenizando os estudantes pela conquista. “Minha mãe ficou do meu lado o tempo todo. Nós moramos juntas e foi a minha primeira graduação”, conta Noéli.  

Para ter a validade necessária, a cerimônia contou com uma equipe presencial. Na sede do campus estavam presentes apenas o diretor-geral, Izidro dos Santos de Lima Júnior, dois formandos – para leitura do juramento, recebimento da outorga de grau e assinatura da ata –, além do coordenador de Gestão Acadêmica e de um servidor que atua na área de comunicação e eventos.

Longe de ser algo exclusivo do IFMS, diversas instituições de ensino estão recorrendo as colações de grau on-line.  

De acordo com a reitora da instituição, Elaine Cassiano, todo o processo foi pensado para ser o mais seguro possível. “É tudo muito inusitado, como tem sido desde que a pandemia começou. Nós temos um comitê da Covid-19, formado por enfermeiras e médicos, que nos auxiliaram com a cerimônia para diminuir o risco de contágio”, explica Elaine.

Desta forma, apenas dois estudantes representaram toda a turma. Mas, segundo a reitora, o distanciamento não impossibilitou a beleza do momento. “Para mim foi excelente. Nada suprime o presencial, mas os familiares ainda tiveram a oportunidade de ver os alunos se formarem e colarem grau e para eles isso é importante, já que muitos estão no mercado de trabalho”, esclarece.  

Mudança de planos

Apesar da colação a distância auxiliar os alunos a terem o diploma mais rápido, o método gerou um pouco de frustração. “Não era o que a gente esperava. Nos dedicamos cinco anos presencialmente e agora tivemos que ter a colação a distância”, afirma Camila Miliati, 22 anos, formada bacharel em Agronomia pelo IFMS, campus de Ponta Porã.  

Trabalhando em Mato Grosso, ela explica que o planejamento inicial era realizar uma cerimônia presencial no mês passado em Ponta Porã. “Eu me formei no fim do ano passado. Por causa da pandemia tivemos que cancelar a cerimônia. Foi legal eles terem encontrado essa opção, mas é um pouco triste não ter a cerimônia”, frisa. .  

 

Felpuda


Sem conseguir controlar a verborragia, figurinha estreante no mundo político-partidário, e que se acha “o último biscoito do pacote”, acabou batendo de frente com titãs da política. Primeiro perdeu os anéis e, agora, os dedos correm sérios riscos. Anda “ameaçando” deixar o lugar onde se encontra, só que por lá vem ouvindo frases como “se é por falta de adeus...”, “os incomodados que se mudem” e “não fará nenhuma falta”.

Como se vê...