Correio B

Variedades

Como pensam os homens

Como pensam os homens

Scheila Canto

14/01/2011 - 00h00
Continue lendo...

Todas as mulheres são iguais – os homens, idem. Quando se aborrecem eles querem silêncio e solidão. Já entre elas, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois falando, acalmam-se. O ego masculino é a base de conquistas – o feminino é a emoção. Conclusão: ele e ela não falam a mesma língua, é o que garante o psicólogo e escritor John Gray em seu best seller "Homens são de Marte – Mulheres são de Vênus". É justamente por essas diferenças que um sempre acha difícil comunicar-se com o sexo oposto. Por falar mais, as mulheres são as que mais reclamam.

Outros estudos confirmam que há diferenças neurofisiológicas e anatômicas entre o cérebro feminino e masculino. Embora sutis, são muitas as diferenças na maneira pela qual o cérebro dos homens e mulheres processa a linguagem, as informações e o conhecimento.

De acordo com estudos comportamentais as mulheres são melhores que os homens nas relações humanas, em reconhecer os aspectos emocionais nas outras pessoas, na linguagem, na expressão emocional e artística, na apreciação estética, na linguagem verbal e na execução de tarefas detalhadas e pré-planejadas. Os homens por sua vez são mais lógicos e objetivos.

Sendo assim, cabe a nós mulheres, saber mais sobre os homens, afinal o mandamento secular e bíblico diz que "... a mulher sábia, edifica seu lar...". Portanto, leitoras confiram a lista com dez coisas que toda mulher deve saber – e guardar – sobre eles, publicado pela revista científica "LiveScience". São explicações científicas para as reações que você não compreende e para as que eles querem esconder!

Diálogo

Confira a coluna Diálogo na íntegra, deste sábado e domingo, 22 e 23 de abril de 2024

Por Ester Figueiredo ([email protected])

22/06/2024 00h01

Continue Lendo...

 

Martha Medeiros escritora brasileira
Solidão não se cura com o amor dos outros. Se cura com amor-próprio”.

FELPUDA


Conversas olhos nos olhos estariam ocorrendo em reuniões para poucos, segundo os bastidores, em que algumas lideranças partidárias estariam discutindo o presente e o futuro não muito distante, ou seja, 2026. No centro da mesa das conversações, o tabuleiro de xadrez político da sucessão à Prefeitura de Campo Grande e, do lado, uma bola de cristal. A maioria dos participantes, olhando para a esfera colorida, estaria mostrando certa preocupação com o que consegue ver no que se relaciona ao desempenho de certa candidatura. Vixe!

Números


Dados do Ministério do Turismo, da Embratur e da Polícia Federal mostram que o Brasil recebeu 3.264.765 de turistas de outros países, o que representa aumento de 8,6% no acumulado dos cinco primeiros meses, em comparação com a mesma época de 2023, quando o registro foi de 3.005.505.

Mais


Este é o terceiro melhor desempenho da série histórica, iniciada em 1995, ficando atrás apenas de 2017, com 3,3 milhões.  Um dos principais destaques foi a chegada de visitantes chilenos, que tiveram salto de 46,3% neste período.

Sete


O número de adiamentos do julgamento no Superior Tribunal de Justiça para tornar réu ou não o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado Ronaldo Chadid é igual ao de integrantes daquele órgão: sete. Até comparecimento em missa de sétimo dia levou à mudança da data dos trabalhos dos magistrados. Com isso, a comissão criada na Assembleia Legislativa de MS para fazer o acompanhamento dos processos daquele e de outros dois conselheiros defenestrados temporariamente desuas cadeiras de malfeitos bateu às portas da Corregedoria do STJ.

Insegurança


A Assembleia Legislativa de MS é responsável por julgar as contas do TCE e vice-versa. A comissão encarregada de acompanhar a tramitação dos processos contra os conselheiros afirma em sua reclamação ao STJ que está havendo insegurança jurídica, pois os afastados estão sendo substituídos por auditores fiscais que, obviamente, não são conselheiros designados originariamente para a função. 

Composição


É óbvio, porém, que deputados estão de olho principalmente na cadeira ocupada por um dos conselheiros, que, na composição daquele órgão, é de indicação da Assembleia Legislativa de MS. As outras duas são para o Ministério Público de Contas e Auditoria. O quadro atual é composto por três integrantes 
da “cota” do Legislativo, e o quarto, de livre indicação do governador da época, conforme prevê a lei.

Aniversariantes


Renatha Camargo,
Luciana do Amaral Rabelo, 
Jane Serrou Camy Mandetta, 
Juliana de Oliveira Ayala, 
Cecília de Oliveira Bernardo,
João Romero de Lima,
Joana Ubalda Pereira de Sant’Ana,
Eneida Peixoto de Azevedo,
João Batista Bandeira Almeida,
Joana Paes de Almeida,
Joanita Rodrigues da Rosa,
Maria José Santos Fernandes,
Emanuel Ubirajara da Rocha Porfírio,
Nelson Fernando Dauer Júnior,
Roberto Shigueo Bando,
Hélio de Lima,
João Antônio de Marco,
João José Jallad,
Beatriz Barros Marinho,
Dr. Abadio Rezende,
Francieli Mascolli Benante Montalvão,
Marilene Moraes Coimbra, 
João Massatoshi Kawaguchi,
Dr. João Roberto de Lima,
Júlio Sacco,
Valterlina Pereira da Silva,
Wellington João Santiago Ramos,
Dr. Marcos Vinicius Vieira de Lima,
Dra. Auristela Machado Vidal,
Joana D’Arc Migliorini,
Dênis Renato Damaceno Lima,
João Batista de Cardoso,
Ângela Maria Costa,
João Lemes de Souza,
Túlio Alves Filho,
Sandra Elena Inocêncio,
Iracy Menezes Lourenço,
Sônia Aparecida Pereira,
José Roberto Tecchio,
Sandra Barberato Lobo,
Fábio Jun Capucho,
Vanessa Menezes Amorim,
Mário Gonda, 
Daniel Ramalheira, 
Gilberto Congro Bastos Filho, 
Alberto Duque Portugal,
Antonio Batista Sancevero,
Ana Lúcia Gomes dos Santos,
Fernando Silva Rocha,
Vicência Bezerra de Souza,
Elenir Rodrigues Pereira,
Fernando de Matos Wanderley Neto,
Thiago Luiz Morente,
Joana Aparecida Stiegler,
Jonia Salgado Schultze,
Aparecida Moura Queiroz,
Gilberto Hidetoshi Ianas,
Joana Lugo de Cáceres,
Bruna Viveiros Barros,
Juliana Gava Boin,
Dorotéa de Araujo Rodrigues,
João Pedro Gay, 
João Batista Dauria,
Hudson Garcia Moreira,
João Gonçalves, 
José Luiz Higa da Silva,
Luiz Batista Sguissardi da Rosa,
Elvira Pinto de Araújo Alarcon,
Dalva Ferreira Leite,
Maria Cristina Borges de Lara Campos,
Deyse Cristina da Silva Dias,
João Paulo Coimbra Neto,
Dulcelina Pereira Nantes,
Renan Fonseca,
Eliene Marta Breguedo 
do Nascimento,
Elisabeth Maria de Mendonça Silva,
João Batista Trindade Rodrigues,
Glauce Marla Arakaki,
Anaide da Silva Figueiredo,
Lhays Raquel Martins Regis,
André Luiz Fernandez de Moraes,
Fabiano Goes Nagata,
João Batista Ramos de Morais,
João Okogusiku,
Valéria Siqueira Jacini,
João Carlos Diaz Rodrigues,
Wilson João Bittencourt Bellincanta,
Jorge Luiz Godoy Gabinio,
Paulo Domingos Ribeiro Junior,
João Batista Pereira Lopes,
Paulo Douglas Almeida Moraes,
Armando Albuquerque,
Edilson de Alvarenga,
João Antonio Gusso,
Otávio Nascimento Prestes,
Elisângela de Paula Videgoi,
Scheilla Gauze,
Dilmara Monteiro Ferreira,
Ariadne Nobre de Oliveira Silva,
Rosely Debesa da Silva, 
Alessandra Paulino Matheus,
Joana Ramos da Silva Cruz,
Maria de Fátima da Silva Gomes,
Luiza Conci,
Rodrigo Santana,
João Magno Nogueira Porto,
Volnei Leandro Kottwitz.

 

Colaborou Tatyane Gameiro

Assine o Correio do Estado
 

Desenho infantil

Artista de MS trabalhou na animação "Lupi e Baduki", disponível na Max e Discovery Kids

Estudante de Artes Visuais e professora de desenho para crianças e adolescentes, Sophia Goulart participou do projeto por seis meses, colaborando com a criação das cenas da animação infantil

21/06/2024 16h00

Animação nacional

Animação nacional "Lupi e Baduki" Reprodução

Continue Lendo...

Estreou na última segunda-feira (17), a animação nacional "Lupi e Baduki", disponível na Max e no Discovery Kids. A produção do desenho, que possui 10 episódios, contou com a participação da artista sul-mato-grossense Sophia Goulart.

Natural de Campo Grande, Sophia, de 20 anos, é estudante de Artes Visuais na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Apaixonada por desenho, animação e cinema, ela teve a oportunidade de contribuir como Revisionista de Storyboard na primeira temporada da série.

No mundo da arte, Sophia atua como professora de desenho para crianças e adolescentes em Campo Grande, mas já estudava a área do storyboard, que lhe abriu portas na animação. "O revisionista de storyboard é um cargo de entrada na área da animação. Não é um pleno, ele é um cargo para quem não tem muita experiência, como eu não tinha, foi a primeira série que eu trabalhei. Então como eu não tinha muita experiência, mas já estudava a área do storyboard, eles me contrataram como revisionista", explica.

Lupi e Baduki

"Lupi e Baduki" é uma produção infantil que explora temas como diversidade e diferenças, inspirada na rica fauna brasileira. Lupi é descrita como uma loba-guará extrovertida e cheia de energia, e Baduki um bicho preguiça introvertido e sonhador.

Além da dupla protagonista, vivem com eles na Vila Figueira as irmãs felinas Ceci e Tati, o jabuti Jabu, o ouriço Carlos e a jaguatirica Ana Maria.

A série "Lupi e Baduki" está disponível na plataforma Max e é exibida no Discovery Kids de segunda a sexta-feira, às 8h30. A animação promete encantar crianças e adultos com suas histórias cativantes e educativas, refletindo a diversidade cultural e natural do Brasil.

 

Storyboard

O storyboard é fundamental dentro do processo de criação, tanto de mídias apenas visuais, quanto audiovisuais. É a partir dele que a narração começa a surgir e que algumas noções de como será o produto final ficam mais claras.

Na prática, os storyboards são uma série de ilustrações ou imagens arranjadas, com uma sequência cronológica, feitas com o objetivo de pré-visualizar um quadrinho, jogo, animação, publicidade ou alguma outra forma de mídia audiovisual.

Ele deve interpretar o roteiro já produzido e organizá-lo em uma narrativa visual, marcando as principais passagens da história e a gradatividade/ritmo das cenas. Isso cria uma noção de como a história será exibida, além de diminuir as dúvidas para as próximas etapas de produção, possibilitando assim, um planejamento e uma execução mais precisa do projeto.

Conforme descreveu Sophia, o storyboard é transformar o roteiro em cenas. "Desenhar os personagens, posicionar a câmera, posicionar os personagens no cenário. Às vezes até criava algumas cenas extras e tal". 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).