Clique aqui e veja as últimas notícias!

EDUCAÇÃO

Remoto e presencial: como preparar os pequenos para a volta às aulas em 2020?

Especialista em desenvolvimento infantil dá dicas práticas de como lidar com esse momento
19/01/2021 06:00 - Ricardo Campos Jr

Para manter quantidade de alunos compatível com o isolamento previsto nos decretos do poder público, muitas escolas particulares devem retomar as aulas de forma escalonada, com grupos intercalando atividades presenciais e remotas. E nos estabelecimentos públicos, o ensino deve continuar à distância até a segunda ordem. Diante disso, como preparar os alunos para o ano letivo que deve começar no fim de janeiro e começo de fevereiro?

A psicóloga Janaína Lobo, especialista em neuropsicologia e desenvolvimento infantil, afirma que o assunto é bastante complexo e deve envolver bastante empenho por parte das famílias.

“Quando a pandemia começou, nós arrancamos as crianças do universo que elas conheciam e as colocamos dentro de outro completamente desconhecido durante um ano porque o momento em que nós vivíamos assim exigiu. Esse retorno vai demandar muita paciência”, disse à equipe de reportagem.

Um dos problemas é a adaptação de muitas crianças à rotina com aulas remotas. “Elas sofreram no começo, mas depois se encaixaram e agora nós vamos promover uma nova desorganização. É por isso que é preciso prepara-las com antecedência, conversar sobre o retorno, explicar que as coisas serão um pouco diferentes, que não vai poder abraçar, por exemplo, porque as crianças são carentes de afeto, de contato”, afirma Cristiane.

O ideal é que os pequenos pisem na escola já sabendo que vão precisar ter distanciamento e que vai ser difícil.

“Eu acho importante essa volta parcial. As crianças, especialmente os pequenos, não tem como dizer se eles vão se comportar, acho difícil que os menores respeitem coisas como uso constante de máscaras, por exemplo”, diz a especialista em desenvolvimento infantil. 

Uma dica preciosa de Cristiane é simular em casa um dia na escola diante da nova realidade. “Mostrem como que eles vão ter que cumprimentar os coleguinhas. O que fazer se eles esquecerem e derem um abraço nos companheirinhos, que terão que higienizar as mãos. Tudo isso feito em forma de brincadeira mesmo”, pontua Cristiane. 

Ainda não acabou... Faça login ou cadastre-se para continuar lendo essa notícia gratuitamente

Receba acesso também a outras notícias exclusivas. É rapidinho e não pediremos seu cartão de crédito :)

Quero Me Cadastrar

Já tem cadastro? Faça login clicando aqui