Correio B

Reality show

Conheça os participantes do BBB11

Conheça os participantes do BBB11

Continue lendo...

 

 

 

 

 

 

 

   

 


Cinema

Confira as estreias da semana nos cinemas de Mato Grosso do Sul

Após 9 anos de espera, continuação de Divertida Mente chega às telonas

20/06/2024 16h00

Dublada por Tatá Werneck, a Ansiedade é uma das novas emoções apresentadas em Divertida Mente 2

Dublada por Tatá Werneck, a Ansiedade é uma das novas emoções apresentadas em Divertida Mente 2 Reprodução

Continue Lendo...

Com elenco de peso na dublagem brasileira, a animação da Pixar, Divertida Mente 2, estreia hoje nos cinemas nacionais. Foram nove anos de espera para o público poder finalmente acompanhar as emoções da pré-adolescência da Riley.

Os dubladores das emoções na versão brasileira são: Miá Mello (Alegria), Katiuscia Canoro (Tristeza), Leo Jaime (Raiva), Otaviano Costa (Medo), Dani Calabresa (Nojinho), Tatá Werneck (Ansiedade), Gaby Milani (Inveja), Eli Ferreira (Tédio) e Fernando Mendonça (Vergonha).

Confira a lista completa de estreias abaixo:

Sinopses

Divertida Mente 2

Divertida Mente 2 marca a sequência da famosa história de Riley (Kaitlyn Dias). Com um salto temporal, a garota agora se encontra mais velha, com 13 anos de idade, passando pela tão temida pré-adolescência. Junto com o amadurecimento, a sala de controle mental da jovem também está passando por uma demolição para dar lugar a algo totalmente inesperado: novas emoções. As já conhecidas, Alegria (Amy Poehler), Tristeza (Phyllis Smith), Raiva (Lewis Black), Medo (Tony Hale) e Nojinho (Liza Lapira), que desde quando Riley é bebê, eles predominam a central de controle da garota em uma operação bem-sucedida, tendo algumas falhas no percurso como foi apresentado no primeiro filme. As antigas emoções não têm certeza de como se sentir e com agir quando novos inquilinos chegam ao local, sendo um deles a tão temida Ansiedade (Maya Hawke). Inveja (Ayo Edebiri), Tédio (Adèle Exarchopoulos) e Vergonha (Paul Walter Hauser) integrarão juntos com a Ansiedade na mente de Riley, assim como a Nostalgia (June Squibb) que aparecerá também.

Diretor: Kelsey Mann

Duração: 1h 36 min

Classificação indicativa: Livre

Título original: Inside Out 2

Onde ver: 

  • Campo Grande: Cinemark (Shopping Campo Grande), Cinépolis (Shopping Norte Sul) e UCI (Shopping Bosque dos Ipês)
  • Três Lagoas: Cinépolis (Shopping Três Lagoas)
  • Dourados: Cine Araújo (Shopping Avenida Center)

 

Bandida - A Número Um

Bandida - A Número Um é um filme nacional de ação dirigido por João Wainer (A Jaula, Pixo) que se passa no Rio de Janeiro da década de 80 e acompanha a história de Rebeca (Maria Bomani), vendida pela avó aos nove anos de idade para o homem que comandava a comunidade da Rocinha. Anos depois, em meio à incessante disputa de território entre os bicheiros e traficantes, as dinâmicas de poder do local passam por mudanças, e Rebeca - agora viúva do traficante-chefe - deve assumir o comando da Rocinha. Assim, se inicia uma eletrizante trajetória de crime, violência, drogas e amor.

Diretor: João Wainer

Duração: 1h 22 min

Classificação indicativa: 18 anos

Onde ver: 

  • Campo Grande: Cinemark (Shopping Campo Grande), Cinépolis (Shopping Norte Sul) e UCI (Shopping Bosque dos Ipês)
  • Três Lagoas: Cinépolis (Shopping Três Lagoas)

 

Clube dos Vândalos

Clube dos Vândalos é um filme ficcional baseado no livro fotográfico de Danny Lyon, que documentou a ascensão de um clube de motociclismo no Centro-Oeste dos EUA durante a década de 1960. Na trama, acompanha-se a ascensão dos Vândalos, um clube de motociclistas, sob o olhar de Kathy (Jodie Comer), uma das integrantes do grupo e também casada com Benny (Austin Butler), um motociclista selvagem e imprudente e melhor amigo de Johnny (Tom Hardy), o líder do grupo. Iniciando apenas como um clube local de forasteiros unidos pela paixão pelas motos barulhentas e o respeito por seu líder, ao longo dos anos a vida dos Vândalos se torna mais violenta e gananciosa, ao ponto de se tornarem uma perigosa gangue. Kathy faz o possível para acompanhar a natureza indomável de seu marido, sua cega lealdade a Johnny, e também pela sua atenção, que muitas vezes é voltada apenas para Johnny. Encurralados pelo destino violento do grupo, os três precisam decidir sobre a lealdade do clube e entre si.

Diretor: Jeff Nichols

Duração: 1h 56 min

Título original: The Bikeriders

Classificação indicativa: 16 anos

Onde ver: 

  • Campo Grande: Cinemark (Shopping Campo Grande)

Assine o Correio do Estado

Alimentação e Saúde

Plantas alimentícias não convencionais rendem boas refeições, fazem bem à saúde e custam pouco

Elas estão mais perto do que você imagina, rendem boas refeições, fazem bem à saúde, custam pouco e podem até ser facilmente cultivadas em casa; conheça as Pancs, tema de um projeto que o Sesc Mais lança hoje, em parceria com o Recanto das Ervas

20/06/2024 10h00

Andryws Leite é um dos expositores do Mercadão Municipal, no centro de Campo Grande, que comercializam Pancs: preços módicos, sabor na mesa e benefícios à saúde

Andryws Leite é um dos expositores do Mercadão Municipal, no centro de Campo Grande, que comercializam Pancs: preços módicos, sabor na mesa e benefícios à saúde Foto: Gerson Oliveira

Continue Lendo...

Elas estão mais perto do que você imagina, rendem boas refeições, fazem bem à saúde, custam pouco e podem até ser facilmente cultivadas em casa. São as Pancs, sigla que representa as plantas alimentícias não convencionais, uma opção mais saudável e mais barata para o cardápio do dia a dia, ou para dietas especiais, do que boa parte da lista de produtos que você encontra com maior facilidade no supermercado.

A cactácea ora-pro-nóbis, por exemplo, é uma dessas plantas. Trata-se da espécie vegetal classificada como Panc mais disponível em Campo Grande e em todo o Brasil. É daquelas que, no dizer popular, você encontra “no mato”, em qualquer tipo de solo, na sombra ou no sol, muito utilizada como cerca viva e para outras finalidades, inclusive na alimentação. A nutricionista Paula Saldanha Tschinkel faz uma lista com várias outras Pancs e compartilha diversas informações sobre essas plantas tão ricas para o organismo e, sim, para o paladar também.

“A mais consumida é sem dúvida a ora-pro-nóbis. Outras mais fáceis de se encontrar [na Capital ou em MS] são: bertalha, beldroega, urtiga, dente-de-leão, capuchinha, carqueja, azedinha, malva e taioba. Elas oferecem uma série de benefícios para os hábitos alimentares e à saúde em razão de sua diversidade nutricional e propriedades medicinais, têm baixo teor calórico e proporcionam uma boa variedade na dieta”, diz Paula.

“São ricas em vitaminas, minerais, antioxidantes e ácidos graxos essenciais. Por exemplo, a beldroega é rica em ômega-3, enquanto a urtiga é uma excelente fonte de ferro e vitamina C. Para a saúde, contam muito as propriedades antioxidantes. As Pancs ajudam a combater os radicais livres no corpo, reduzindo o risco de doenças crônicas”, prossegue a nutricionista.

“A carqueja é conhecida por suas propriedades digestivas e hepáticas, e a urtiga é usada para tratar anemia e problemas urinários. Temos melhora na digestão com a malva: ela é rica em mucilagem, uma substância que ajuda na digestão e no tratamento de problemas gástricos e também no fortalecimento do sistema imunológico”, afirma.

Paula destaca ainda o potencial ecológico das Pancs, assim como seu papel na segurança alimentar.

“Além de benefícios ambientais e de sustentabilidade no cultivo sustentável e fácil, são importantes na preservação da biodiversidade, pois ajudam a preservar a biodiversidade local, incentivando o uso de plantas que muitas vezes são negligenciadas pela agricultura moderna, reduzindo o desperdício alimentar”, argumenta a nutricionista.

“Cultivar Pancs em casas e apartamentos é uma ótima maneira de ter acesso a alimentos frescos e nutritivos, mesmo em espaços limitados”, recomenda Paula Tschinkel.

FUTURO NA MESA

Hoje e amanhã, o Sesc MS, por meio do Sesc Mais, em parceria com o Recanto das Ervas, lança o projeto Panc – Futuro na Mesa, com a proposta de incentivar a inserção das Pancs e frutos do Cerrado na alimentação diária de escolas e instituições sociais.

Michelle Koltermann, nutricionista do Sesc MS, reforça que as Pancs são ricas em sais, vitaminas e minerais, além de terem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

“Nós podemos inserir as Pancs no nosso consumo diário de várias formas: in natura, refogadas, em processos de produção de doces e diversas outras maneiras de preparo”, diz Michelle.

Quanto às partes que são comestíveis, ela informa que são folhas, frutos, raízes e sementes, mas é importante conhecer as características de cada um desses alimentos e seus valores nutricionais para entender como utilizar e qual o modo de preparo indicado.

Segundo a nutricionista, a ora-pro-nóbis pode ser consumida in natura, e o mangará, conhecido como flor de banana, rico em fibra solúvel e insolúvel, pode ser utilizado em diversas receitas, como a caponata. Já a taioba, rica em vitaminas A e C, não pode ser consumida crua, pela presença de oxalato de cálcio.

A jornalista Márcia Chiad, criadora do Recanto das Ervas, considera que inserir as Pancs e os frutos nativos na alimentação do dia a dia de escolas, comunidades e população em geral é resgatar parte da nutrição perdida ao longo dos tempos. “Podemos ser mais independentes e reconectados com a natureza. Este é o verdadeiro futuro na mesa”, aposta Márcia.

Ela observa que as Pancs são resistentes e abundantes e ainda respondem às demandas de soberania e segurança alimentar, conservação e uso do solo e podem melhorar a saúde coletiva e garantir geração de renda.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).