Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CHOCOLATE

Delivery de ovos de Páscoa é solução para comprar o doce sem precisar enfrentar fila

Mesmo com a pandemia de coronavírus, ainda dá tempo de encomendar o chocolate
09/04/2020 07:00 - Naiane Mesquita


 

Com a pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19, no mundo inteiro e o aconselhamento pelo isolamento social, muita gente acreditou que a Páscoa seria prejudicada.

Apesar de as vendas não serem as mesmas de um ano convencional, empresas e microempreendedores lançaram uma campanha pela entrega de ovos de Páscoa em casa, no formato delivery, diminuindo os riscos de contágio para quem encomenda.  

É o caso da confeiteira Márcia dos Santos Gomes Miyashiro, proprietária da By Cake.  

“Na verdade, nós não trabalhávamos com entregas na maioria das vezes. Mas, agora, até preferimos, porque tomamos todo o cuidado com a higienização – do processo de fabricação até a entrega”, explica Márcia.

Atuando há quatro anos na confeitaria, Márcia prepara ovos de Páscoa de colher recheados, e as encomendas precisam ser feitas com no mínimo um dia de antecedência. “Precisamos de tempo hábil para preparar, e caso não tenha o ingrediente eu consigo comprar”, ressalta.

Os mais pedidos nesta temporada são o de Ninho com Nutella e Oreo. “Dois amores, que é o brigadeiro branco com o tradicional também faz muito sucesso”, frisa.  

Os ovos podem ser adquiridos em duas opções, com embalagem dupla de 150 g ou única de 350 g, ambos no valor de R$ 50.  

Para quem acredita que doce a mais nunca é exagero, Márcia oferece a opção de adicionais por R$ 10, que incluem pedaços de brownie, Kinder Bueno, Kit Kat ou Ferrero Rocher.  

Os ovos podem ser encomendados pelo telefone (67) 99265-5755.

Frases

Quem estiver longe da pessoa querida pode investir em ovos de Páscoa com frases, como “eu te amo”.  

Aline Costa de Araújo, da Doce Talento, recebe as encomendas e pode entregar no endereço da pessoa amada. “Há cinco anos fazemos ovos de Páscoa, principalmente os de colher. Pedimos um dia, no mínimo, de antecedência porque produzimos os ovos conforme a demanda”, ressalta Aline.

Sobre a segurança, ela garante que está mantendo em dia as questões de higiene e incluiu a máscara como proteção adicional. “Eu e minha irmã que preparamos os chocolates e os entregamos. Higienizamos também a máquina de cartão e evitamos o contato ao máximo”, frisa.  

A média de preços dos ovos varia de R$ 15 (150 g e sem recheio) a R$ 60 (com recheio e 500 g).  

Os sabores também variam e incluem brigadeiro, beijinho, Leite Ninho, maracujá, entre outros.  

As encomendas podem ser feitas pelo telefone (67) 99278-6942.  

 
 

Linha especial

O confeiteiro Felipe Moreno, da Doce Açúcar, também investiu no delivery e não tem do que reclamar. Aceitando encomendas até hoje, ele tem diversas opções, desde miniovos de R$ 5 até recheados e de colher na faixa de R$ 60. “Eu fechei provisoriamente a loja física por causa do coronavírus há 20 dias e estou utilizando a estrutura da minha casa para fazer os doces. Não tinha tanta expectativa, mas deu muito certo. Minha especialidade na loja era um bolo de pamonha com requeijão, vendido às sextas-feiras, que na quarentena ampliei para três dias na semana. Estou com um movimento muito maior do que se estivesse aberta a loja”, explica Moreno.  

Um dos mais bonitos do catálogo, o ovo colorido, com casca de chocolate, recheio e granulado por cima, com 600 g sai por R$ 52. O telefone para encomendas é 99285-6409.

Grandes lojas

As grandes empresas do ramo também estão com opções em delivery. Cacau Show, Kopenhagen e Doceria Amor aos Pedaços disponibilizaram o catálogo em seus sites oficiais e as entregas podem ser retiradas mesmo com os shoppings fechados.  

A Doces Momentos também está atendendo delivery – uma quantia de suas vendas será destinada ao Asilo São João Bosco, como forma de ajudar a instituição a manter suas atividades. 

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.