Correio B
GASTRONOMIA

Doces tradicionais de festa junina podem ficar mais saudáveis; confira dicas

Sim, é possível acelerar nas guloseimas típicas de junho e julho à base de açúcar mascavo, aveia e arroz integral; se você duvida, confira três receitas

Marcos Pierry

18/06/2022 10:00

Canjica, bolo, pamonha, cachorro-quente, caldos, curau. Depois de tanto desejo represado com as festas juninas virtuais de 2020 e 2021, você manda ver nos banquetes erguidos sob a devoção dos santos da época, que, na prática, estende-se até julho. 

Enquanto isso, a balança e o nutricionista – para não dizer parentes, amigos e colegas de trabalho – seguem de olho na performance da sua versão “boca nervosa”.

Você para e não sabe o que fazer? Quer curtir a comilança da temporada “numa boa” até o fim. Quilinhos a mais pronunciam uma dobra na barriga, sem falar no colesterol e outras taxas do organismo avançando do sinal amarelo para o vermelho. 

E você de olho naquele bolo de milho ou nos pudins de paçoca e doce de leite, que, aliás, o Correio do Estado ensinou a fazer em edições recentes (21/05 e 04/06).

O QUE FAZER? COMER

O que fazer? Você não para de se perguntar. A resposta é coma. Ou melhor, continue comendo, sem culpa. Não precisa encarar nenhuma dieta low carb rigorosa, orgânicos ou veganices, se não for a sua praia. 

Assim, na pressão, o glutão acaba se divertindo, e comendo, menos e sucumbe cheio de culpa ao primeiro grão de açúcar fora do script.

Para ser feliz antes, durante e depois de se deliciar com tanta coisa gostosa, basta diversificar – pelo menos um pouco – os ingredientes dos quitutes preferidos. 

Neste fim de semana, você tem a oportunidade de aprender três gostosuras totalmente do bem, à base de açúcar mascavo, aveia ou arroz integral: bolo de amendoim com doce de leite, arroz-doce com coco queimado e uma paçoquinha para arrematar.

SEM CULPA

Pela tendência do momento, o “caminho da roça” vai levar mais gente de volta aos lares do que para arraiás fora do ambiente doméstico. 

A Meta Foresight – segmento de pesquisas da holding proprietária das plataformas Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger – divulgou recentemente que 59% dos brasileiros pretendem celebrar o período dentro de casa.

“Com o uso de alimentos integrais e produtos que substituem o açúcar, é possível preparar receitas deliciosas e celebrar a festa junina sem culpa ou exageros”, estimula a nutricionista Adriana Zanardo. Fique tranquilo, você não será totalmente afastado dos prazeres proibidos.

SABOR E SAÚDE

O açúcar mascavo em combinação com o branco vai bem na receita do bolo de amendoim. E, não se esqueça, ele, o amendoim, tem por característica, além do sabor estimulante e longevo no paladar, altos índices calóricos. Fora o doce de leite, o coco ralado e a manteiga empregada no preparo das receitas tentadoras. Haja pecado.

Para o bolo, com o qual você deve gastar uma hora para fazer, as colheradas de manteiga devem ser bem generosas. Ou seja, bem cheias. E a porção de doce de leite indicada – duas xícaras – só vale se cobrir o bolo, com sobra, depois de pronto. Para o arroz-doce, não tema a variação integral do cereal. 

Além de tão gostoso quanto branquinho, o arroz integral é mais rico em fibras, vitaminas do grupo B e minerais como fósforo e magnésio.

A aveia, que será utilizada na paçoca, também é um cereal prodigioso. Assim como o arroz, ela é rica em fibras e atua como um excelente antioxidante, com propriedades para prevenir diabetes, aterosclerose, pressão alta e outros males; e ainda reduz o colesterol “ruim”, favorece o controle da glicose, fortalece os ossos, equilibra a flora intestinal e – eureca! – ajuda a emagrecer. Duvida? Então, mãos à obra e bom apetite.