Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

QUALIDADE DE VIDA

Em apartamentos ou casas, plantas são apostas para levarem tranquilidade e bem-estar

Jovens apostam nas folhagens e flores dentro de seus lares para melhor qualidade de vida
17/03/2020 07:00 - Naiane Mesquita


 

Em vez de quadros ou papéis de parede, no apartamento de Patrícia Pirota, 37 anos, quem dá vida ao espaço são as plantas. Samambaias, jiboias e outras folhagens se enrolam nos móveis e encontram um caminho próprio que, para a professora, é capaz de transmitir mais saúde e tranquilidade.  

“Minha mãe é a louca das plantas. Ela veio do sítio e sempre gostou muito de cultivar. Lembro que minha família mudou muito de casa ao longo dos anos. Nas mudanças era sempre um caminhão para os móveis e outro só para as plantas da minha mãe”, ri Patrícia.

A memória afetiva criou na professora o sentido de que uma casa feliz é aquela repleta de verde e de vida. “Quando vim morar sozinha a primeira vez, em 2007, eu já tinha plantinhas. Depois fui para Curitiba e lá era frio e mesmo assim tinha algumas”, conta.  

Hoje, nem mesmo um apartamento de 70 m² impedem que Patrícia tenha mais de 50 vasos de plantas na sala de casa. “As plantas estão em todos os cantos – no banheirinho, na despensa, na sala. Eu parei de contar nos 100 vasos de plantas, mas deve ter mais ou menos isso”, confessa.

De todas, é a samambaia a grande paixão de Patrícia. “Eu sou apaixonada por samambaias. Em casa, em razão do espaço e de ser um apartamento, eu cultivo mais plantas que não precisam do sol direto, como a jiboia e a espada-de-são-jorge”, ressalta.

Bem-estar  

Patrícia se enquadra em uma geração que tenta resgatar o laço afetivo com a natureza e vê no cultivo de plantas uma forma de promover o bem-estar dentro de casa.  

Segundo uma pesquisa divulgada em 2019 pela Associação Nacional de Jardinagem dos Estados Unidos, a venda de plantas domésticas cresceu cerca de 50% no país, movimentando um mercado de US$ 1,7 bilhão.  

As redes sociais foram as principais causas do crescimento, por mostrarem dicas e inspirações para proporcionar bem-estar e uma vida mais saudável a um público interessado no assunto.  

Para Patrícia, as plantas de sua casa são responsáveis em grande parte pelo seu bem-estar. “Elas fazem muito bem para a saúde por diversos motivos – desde o aumento da umidade até para o alívio do calor. Algumas espécies ajudam contra a poluição, como a espada-de-são-jorge e a jiboia. Tirando esse lance da saúde, ver elas se desenvolverem é muito bonito. Eu vejo a minha costela-de-adão crescendo, desenvolvendo, perdendo as folhas e nascendo de novo. É uma alegria”, indica.  

Apesar do carinho, a professora confessa que dá um pouco de trabalho cuidar de tantas plantas. “Eu gasto uma meia hora para aguar todas. Uma vez eu cronometrei”, ri.  

Mesmo assim, deixar de cultivar não é uma opção. “Eu não consigo imaginar uma casa sem plantas. Eu olho pela janela e vejo os vizinhos às vezes sem nenhumazinha e me impressiono. Até no corredor do prédio eu coloquei uma comigo-ninguém-pode. Todo mundo deveria ter ao menos uma para cuidar. Eu acredito que ficamos muito apartados da natureza ao longo dos anos e isso faz muita falta. As plantas em casa são uma pequena forma de retomar essa relação”, acredita.  

A fama de Patrícia é tão longa que até os alunos já aprenderam como agradá-la. “Nas datas comemorativas eles me levam umas mudinhas”, se alegra.  

 
 

Youtube

A médica Juliana Bouchabki Queiroz também é apaixonada por suas “filhas”. “Eu sempre amei plantas e acho que tê-las em casa traz vida ao ambiente.

Minha família toda, principalmente mãe e avós, tem o costume de cultivar e cuidar de plantas. Então foi algo muito natural”, explica.  

Quando a médica decidiu morar sozinha, o desejo de ter seu próprio jardim – também em apartamento – cresceu. Comecei a pesquisar sobre o assunto para aprender mais sobre os cuidados necessários e quais plantas são melhores para cada ambiente. Tem vários canais no YouTube que são excelentes pra iniciantes.

Sempre que posso, também vou pegando dicas com outras pessoas, como minha sogra, vizinha, minhas pacientes. As ‘senhorinhas’ são as com quem mais gosto de trocar experiências”, confessa.  

Ao todo, Juliana tem nove plantas em casa, e jura que não tem preferência por nenhuma espécie. “Acho que cada plantinha tem seu lugar. Não consigo ter mais, pois moro em apartamento, então não são todas as que se adaptam a pouca luminosidade e ventilação. Fui eu mesma quem plantou e preparou cada vaso com sistema de irrigação e adubagem. Acho que estou indo bem porque elas estão crescendo e cada dia mais lindas”, conta.  

Além das plantas, Juliana também gosta de preparar arranjos de flores. “Em casa todo mundo me zoa quando começo a cuidar das minhas ‘filhas’, mas, no fim, todos elogiam.

Quando cuido delas é um momento de distração e relaxamento. Gosto de conversar e observar o crescimento – com certeza é algo que me traz paz”, acredita.  

Temperos

O cultivo pode ir além das plantas ornamentais. Quem deseja começar a cuidar de plantas pode investir nas famosas hortinhas em vasos. A professora Julia Mecchi de Araújo, 27 anos, casou recentemente e decidiu, ao lado do marido, plantar vários vasos com temperos. “Temos alecrim, manjericão, orégano e coentro que usamos para tempero. A sálvia é mais usada para chá, enquanto a nossa hortelã acaba no ‘mojito’”, conta.  

Para ela, além de deixar a comida mais gostosa, as plantas melhoram o bem-estar da casa. “Em pouco tempo elas vão crescendo e é bem bacana de ver”, acredita.

 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo...