Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AUTORA DE HARRY POTTER

J. K. Rowling vai publicar conto de fadas gratuito para crianças em quarentena

Autora alertou fãs que não se trata de spin-off de Harry Potter
27/05/2020 04:00 - Estadão Conteúdo


A escritora J.K. Rowling anunciou nesta terça-feira, 26, que vai publicar um conto de fadas que escreveu ao longo de 10 anos em um site, para que as crianças em quarentena ou aquelas que já estão voltando às aulas possam ler durante a pandemia.

o Twitter, ela alertou os fãs: The Ickabog não é um spin-off de Harry Potter. Ela explica, porém, que teve a ideia durante o processo de escrita de sua série best-seller.

Os capítulos serão publicados aos poucos, um ou dois por vez, nos dias de semana, e o acesso a eles será gratuito. Os dois primeiros entram no ar nesta terça. O último será publicado em 10 de julho.

"Ao longo de 10 anos eu escrevi um conto de fadas chamado The Ickabog e até muito pouco tempo apenas duas pessoas conheciam essa história - meus dois filhos", disse a escritora em seu perfil do Twitter. Ela revelou ainda que o manuscrito ficou guardado em seu sótão até algumas semanas atrás, quando ela o resgatou e reescreveu algumas partes.

"Eu decidi oferecer The Ickabog gratuitamente para que as crianças em lockdown ou mesmo aquelas já de volta à escola nesses tempos estranhos e inquietantes, possam ler ou ouvir essa história", disse Rowling.

"The Ickabog é uma história sobre verdade e abuso de poder. A ideia surgiu para mim mais de uma década atrás, ou seja, ele não foi escrito intencionalmente como uma resposta a nada do que está acontecendo no mundo hoje. Os temas são atemporais e dizem respeito à qualquer tempo ou país", explicou a autora no site.

No Twitter, Rowling conta que a publicação, no entanto, não é um e-book. O livro mesmo, nas versões digital e capa dura, será publicado em novembro. E ela espera contar com ilustrações enviadas pelas crianças.

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.