Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROGRAME-SE

Live comemora o Dia Mundial do Rock na Capital

Apesar de mundial, a data é celebrada apenas no Brasil: confira contexto e atrações
12/07/2020 11:47 - Da Redação


Nesta segunda-feira, 13, o Brasil comemora o dia Mundial do Rock, com atenção aos protocolos de saúde claro. Em vez de shows, serão realizados lives de vários rockeiros.  A prefeitura de Campo Grande, por meio de ação da Secretaria de Turismo (Sectur), entra no jogo com show transmitido direto da esplanada ferroviária.  

A transmissão acontece a partir das 17h no YouTube e Facebook e conta com as seguintes bandas regionais. Banda Falange da Rima, Social Brothers, CortiCore, Neblina 90, BarGanhas e Plebheus. Será possível também fazer doações de alimentos  não perecíveis por um QR Code, que direcionará para um número de WhatsApp.  

Os alimentos serão destinados a União dos Músicos de Mato Grosso do Sul (UMMS), que distribuirá os itens para os músicos de Campo Grande.

Dia Mundial Tupiniquim  

Pode parecer estranho, mas o dia do rock é tipicamente brasileiro e celebrado apenas por aqui. A ideia de celebrar o dia partiu do cantor Phil Collins, logo após o Live Aid. A data foi  instituída como uma campanha de algumas rádios paulistas no final da década de 1980, para relembrar o show.  

O evento mundial em combate à fome na África aconteceu em um 13 de julho de 1984, no Wembley Stadium em Londres e no John F. Kennedy Stadium na Filadélfia. Além disso,  reuniu as maiores estrelas do gênero, como Queen, Led Zeppelin, David Bowie entre outros e foi transmitido em mais de 100 países.

Bob Geldof, músico que até então tinha como maior feito ter estrelado o papel principal no filme The Wall, baseado no álbum homônimo do Pink Floyd, recebeu até uma indicação ao Prêmio Nobel da Paz pela organização dos shows. O irlandês arrecadou mais de 100 milhões de dólares com a ação. 

 
VEJA TAMBÉM

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.