Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SAÚDE

Maskne: uso da máscara todos os dias pode aumentar a incidência de acne

Item de segurança, estresse e má alimentação prejudicam a saúde do rosto
29/09/2020 07:00 - Naiane Mesquita


Desde o início da pandemia, a máscara se tornou um item de segurança essencial para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Enquanto no inverno o tecido no rosto já incomodava e criava um ambiente propício ao aparecimento de acne, na primavera, em que as temperaturas beiram 40 graus, a situação piorou.  

A bióloga Carla Kovalski, 25 anos, trabalha oito horas por dia com a máscara no rosto e tem sentido a influência do item de segurança na saúde da pele. “Uso o tempo todo, fico sem somente no horário de almoço, quando retorno para casa. Comecei a sentir a diferença na minha pele depois de uns dois meses usando máscara direto, todos os dias”, explica.  

Mesmo apresentando acne antes do uso da máscara, a bióloga percebeu que o caso começou a piorar ao longo dos meses. “Começou a aparecer acne na região do queixo e do rosto, onde antes não aparecia. E a oleosidade na região onde a máscara cobre aumentou. Eu tinha acne, mas uma quantidade bem menor e mais na região da testa e algumas no queixo”, frisa.

A rotina de Carla antes da pandemia incluía o uso de sabonete, hidratante e protetor solar para pele oleosa. Em uma tentativa de diminuir os efeitos da máscara, ela até começou a lavar mais o rosto, atitude que a médica dermatologista Cristina Katayama não indica. “A gente sempre fala que não adianta você lavar o rosto inúmeras vezes ao dia para tentar limpar a pele e evitar a acne. A nossa pele também tem o efeito rebote, ou seja, se você lavar demais, esfregar demais, o nosso organismo produz muito mais óleo depois”, explica a médica.  

O ideal é fazer a limpeza de pele três vezes ao dia, com o sabonete indicado pelo dermatologista. “Deve ser específico para o seu tipo de pele”, frisa.  

“Maskne”

A acne que surge a partir do uso da máscara é tão popular, que até um termo foi criado para defini-la: maskne. “A acne a partir do uso de máscaras existe, sim, e ela tem piorado por diversos fatores. A acne é uma doença multifatorial, então a gente tem várias causas para o aparecimento dela, como a acne mecânica”, explica a dermatologista.  

Na acne mecânica, a máscara é a grande culpada pelo aparecimento das lesões. “Ao escoriar a pele, você também pode provocar o aparecimento da acne, então a máscara faz isso, principalmente em trabalhadores da área da saúde, que usam aquelas máscaras mais justas e apertadas, tipo a N95. Então eles têm até uma chance maior de ter acne naqueles locais, onde as máscaras ficam mais apertadas e causam fricção”, frisa Cristina.  

No caso de quem costuma usar máscaras de tecido, como de algodão em camada dupla ou tripla, o grande problema é abafar a região.

“Normalmente, para ter um efeito bom, a máscara precisa ser de tecido duplo ou triplo, de um tecido mais grosso ou até mesmo essas N95, o que também causa pouca respirabilidade. Por ser mais grossa, ela abafa o local, então também piora a máscara. Onde tem a tendência, a região vai produzir mais óleo, deixar mais quente e é onde vai aparecer mais a acne”, indica.  

O ideal é fazer a limpeza, mas sem exageros. “A pele deve ser limpa com sabonete específico três vezes ao dia. As pessoas também devem evitar o uso de muita maquiagem, porque além da máscara você vai ter outro fator de oclusão da pele e, consequentemente, mais chance de desenvolver o problema”, pontua.  

Nesse período, a dermatologista explica que o cuidado deve ser redobrado e menos pode ser mais. “Hidrante errado, por exemplo, pode piorar a acne. Os cremes à base de ácido podem irritar mais ainda a pele com a máscara”, cita.  

Outro ponto importante é higienizar a máscara e evitar usar a mesma por longos períodos de tempo. De acordo com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), a máscara deve ser trocada sempre que estiver úmida. “[Deve-se] higienizar bem a máscara, não pode ficar usando ela várias vezes ou por muito tempo e, se estiver suja, a gente tem que guardar e pegar uma nova e sempre lavar muito bem”, indica.  

Estresse e alimentação

Além da máscara, a pandemia também pode causar outras mudanças no hábito da população que interferem diretamente na saúde da pele, como a alimentação e o estresse.  

“Nesse período de pandemia, nós, muitas vezes, mudamos o nosso hábito alimentar. As pessoas que têm tendência a ter acne devem ter cuidado com a alimentação, optar pela escolha de frutas, legumes, pelo consumo de produtos menos industrializados, com menos gordura, menos açúcar e laticínios. Alguns estudos indicam que muito açúcar, muita gordura e muito leite pioram a acne”, pontua.  

O estresse também é um agravante para o aparecimento de patologias na pele. “Não existe um remedinho antiestresse. Eu acho que a gente também tem que escolher o que faz a gente desestressar. Então, acho que esse período de pandemia, máscara, alimentação ruim e estresse fez a acne piorar”, frisa. 

 
 

Felpuda


Racha em entidade religiosa teve péssimas consequências eleitorais na disputa por vagas na Câmara Municipal de Campo Grande.

O quiproquó, também, digamos, com nuance familiar, provocou estragos da-que-les.

Aí, como consequências, fez com que quem está não conseguisse votos suficientes para permanecer em 2021-2024 e quem estava fora tentando retornar ficasse à beira do caminho. 

Como se vê...