Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MÚSICA

Morre o maestro Vitor Marques Diniz, um dos nomes mais importantes da música erudita do Estado

Diniz fundou a Sociedade Coral e Orquestra Clássica de Mato Grosso do Sul
25/08/2020 18:30 - Marcos Pierry


A classe artística perdeu ontem o maestro Vitor Marques Diniz, um dos mais importantes nomes da música erudita e da educação musical do estado. A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul publicou uma nota de pesar sobre a morte do maestro, que nasceu em Portugal, nesta segunda-feira.

Seguem trechos da nota, escrita por Evandro Rodrigues Higa e Manoel Camara Rasslan, professores da UFMS:

“Nascido em Portugal, o maestro formou-se em piano e violino no Conservatório Nacional de Lisboa e seguiu estudos aperfeiçoando-se em regência, educação musical, composição, didática musical e música antiga na Suíça, França e Alemanha.

Foi regente do prestigiado Coro da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, e em 1970 criou o Departamento de Música da Universidade de Lourenço Marques (hoje Maputo) em Moçambique.

Em 1974 veio para o Brasil, onde regeu concertos com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, lecionou no Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro e fundou a Orquestra Filarmônica do Espírito Santo.

Em 1981 se fixou em Campo Grande para fundar a Orquestra Filarmônica de Mato Grosso do Sul, na Fundação Barbosa Rodrigues.

Em 1985, junto com músicos de Campo Grande, fundou a Sociedade Coral e Orquestra Clássica de Mato Grosso do Sul que, durante quase vinte anos de intenso de trabalho de divulgação da música de concerto e de formação de músicos e professores de música, realizou inúmeros concertos dentro e fora do Estado.

Maestro Diniz foi aluno de Edgar Willems e sua atividade docente era orientada pelo método ativo de educação musical desenvolvido pelo reconhecido educador musical, uma das referências mundiais na área.

Entre os anos de 1986 e 1988 Vítor Diniz desenvolveu intensa atividade musical na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Contratado pela FAPEC, implantou na antiga Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários (PRACOM) o Projeto Arsis. Por meio do referido projeto promoveu concertos didáticos itinerantes (em Campo Grande e diversas cidades do interior de Mato Grosso do Sul), cursos livres de prática musical (instrumentos de cordas, canto coral, flauta doce), assim como cursos intensivos de instrumento com professores convidados e cursos de Prática e Regência Coral. Esses cursos estimulavam e apoiavam a atividade dos coros e reuniam regentes de Mato Grosso do Sul, de outros Estados brasileiros, do Paraguai e da Bolívia.

Todo seu trabalho, seja como regente ou educador, foi marcado por um extremo cuidado, competência indiscutível e profundo respeito pela música que fazia. Impossível esquecer o apuro estético e as apresentações impecáveis que marcavam seus concertos, fosse em um Festival Internacional de Coros de Porto Alegre, fosse em uma fazenda-escola no pantanal sul-mato-grossense, fosse nas escolas públicas dos bairros de Campo Grande.

O Curso de Música da UFMS reconhece a sua importância no cenário musical e artístico regional e nacional, bem como se solidariza com seus familiares e amigos".

 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!