Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

COMPORTAMENTO

Nathália criou acessórios para sua cachorra e tem mais de sete mil seguidores no Instagram

Arquiteta, Nathália decidiu desenvolver roupas para sua cachorrinha e acabou virando empresária do ramo
04/11/2020 07:30 - Carol Alencar Cozzatti


Vestidinhos pomposos, coletes bufantes e laços com a paleta de cor da época mais mágica do ano, o Natal. Os bichinhos de quatro patas não ficarão de fora da festividade e estão, diga-se de passagem, bem assessorados pela arquiteta e empresária campo-grandense Nathália Henrique Falqueiro, 25 anos. Idealizadora da grife canina Formomusas, ela lançou uma coleção de fim de ano que resultou em inúmeras fotos fofas dos cãezinhos.

Há um ano e cinco meses, ela teve a ideia de criar a própria marca de acessórios, que no início era apenas uma inspiração para usar na própria cachorrinha, a spitz alemão Pandora, de três anos. “Quando eu adotei Pandora, minha filha de quatro patas, queria comprar as coisas para ela, acessórios e roupas, e não encontrava nada que eu gostasse, tudo era relacionado a cachorros, como estampas de patas e ossinhos. Não gostava daquilo, e a qualidade era sempre muito baixa. Então comecei a fazer minhas próprias peças para ela usar, as pessoas começaram a ver e a querer também”, conta.

Do hobby de confeccionar as roupinhas da filha de quatro patas a um negócio sério: assim nasceu a Formomusas, que tem já mais de sete mil seguidores no Instagram e cativa cada vez mais mamães e papais de cachorros de todo o País.  

Segundo a empresária, a página do Instagram é o grande chamariz de sua marca e foi crescendo de maneira orgânica. “Patrocino às vezes alguma publicação, principalmente quando é coleção nova, para alcançar mais pessoas. Em alguma data especial fazemos sorteios e, este ano, tivemos concurso de embaixador também, que é um concurso em que seleciono algum dog influencer para receber por três meses nossos produtos e fazer divulgação”, comenta.

Em um ano de reflexão como foi este 2020, os animais de estimação supriram ainda mais a carência dos seres humanos. Além de carinho e cuidados básicos, como passeio, comida e banho, muita gente passou a ter um olhar diferente, para além do cuidado.  

Ainda de acordo com Nathália, a procura tem sido cada vez maior de pessoas interessadas em deixar os animaizinhos bem vestidos. “Eu crio e desenho as peças pensando em como vestiria minha filha, uma criança e até mesmo um adulto. Adapto as ideias para trazer não só beleza, mas conforto para eles”, garante.

 

 
 

Outras coleções

Antes de cada coleção, a empresária afirma que realiza uma pesquisa e estuda o que está por vir, as tendências de estampas, cores e caimentos, e assim se inspira para criar as coleções, que vão de roupinhas clássicas, como vestidinhos de passeio, a especiais, como roupinha para cão daminha de honra. “Faço sempre vestidinhos de dama ou pajem de casamento para os cachorrinhos, e o pedido mais inusitado que me fizeram foi para fazer uma roupa de Natal para uma cabra! Ainda estou aguardando a cliente mandar as medidas”, brinca a empresária.

Ela ressalta ainda que a estação mais fria do ano rende muitas encomendas. De casaquinhos a minicardigãs, as opções são infinitas para a coleção Outono/Inverno.  

Já para o verão, há também peças de passeio primaveril, ricas em tecidos da estação, e até óculos de sol canino, que dá um charme especial à ocasião. E, semelhante a quem tem filhos e lança estilos “tal mãe, tal filho”, Nathália diz que roupinhas que imitam o look do tutor têm feito sucesso. “Fizemos uma edição de pijamas que bombou, foi muito divertido”, diz.

Quanto aos acessórios, além de laços de todos os tipos, ela confecciona bandanas, inclusive com pedrarias. “As bandanas saem muito porque são acessórios simples”.

Sobre ser uma marca regional, a empresária enfatiza: “Pretendo, sim, expandir, ser referência nacional e, quem sabe, internacional na área da moda pet. Quero inspirar as pessoas e mostrar que beleza e conforto podem andar juntos, afinal, não importa qual a época em que estamos, qual dificuldade passamos, eles [pets] estão sempre ao nosso lado”.

 
 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.