Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PONTO DE VISTA

Notícia com grife

Depois de anos de negociações, CNN estreia no Brasil com elenco conhecido e tom informal
19/03/2020 14:00 - Geraldo Bessa/TV Press


 

Muitos mistérios envolvem a chegada da CNN ao Brasil. O plano de cultivar relações com um dos canais jornalísticos mais prestigiados do mundo começou com a Rede TV!. Em 2015, executivos da emissora quase assinaram um contrato de cooperação, onde poderiam utilizar a marca e as notícias veiculadas pela CNN ao redor do mundo. A negociação durou cerca de dois anos e terminou frustrada por conta dos problemas financeiros da Rede TV!. Na sequência, descontente com a pouca repercussão do canal Record News, a Record TV demonstrou interesse em fazer uma aliança e fortalecer seu setor de jornalismo. Entretanto, por conta da relação íntima entre a emissora brasileira e a Igreja Universal do Reino de Deus, a CNN simplesmente agradeceu o contato e se mostrou satisfeita em manter apenas uma versão voltada ao mercado latino e falada em Espanhol. Estranhamente, em 2018, Douglas Tavolaro, então Vice-Presidente de Jornalismo da Record TV, e um dos nomes de maior confiança de Edir Macedo, o todo-poderoso da Universal, pediu demissão do cargo para realizar uma nova proposta de criar uma versão nacional da CNN no Brasil, projeto patrocinado pelo empreiteiro e banqueiro Rubens Menin. Por conta dessa movimentação, mesmo que neguem qualquer associação, a CNN Brasil estreia carregada de desconfiança sobre a realidade de sua fundação e quais os verdadeiros nomes por trás de sua proposta jornalística.

A única coisa que se sabe de concreto é que o canal chega ao país sem depender da matriz americana. É claro que algumas reportagens até podem ser reutilizadas. Porém, em vez de apenas retransmitir notícias, Tavolaro e seu sócio negociaram a marca CNN com o conglomerado de mídia Turner com o objetivo de fazer um trabalho que respeita as diretrizes mundiais do grupo, mas com autonomia editorial. Por isso, têm total liberdade de uso da imagem da marca, mas investe em conteúdo próprio e adaptado à realidade brasileira. Um pouco menos sóbria que o canal-mãe, a versão nacional equilibra sisudez e informalidade mais próxima do tom utilizado pelos jornalísticos da Globo. Aliás, em uma atitude arriscada, veio da Globo um dos nomes mais polêmicos contratados para a CNN Brasil: William Waack. Depois de ser dispensado ao protagonizar um deprimente caso de racismo, Waack é um dos âncoras do novo canal e tem ao seu lado outros nomes da antiga emissora, casos de Monalisa Perrone, Evaristo Costa, Cris Dias, o casal Phelipe Siani e Mari Palma. Mexendo com o mercado, mostrando seu poder de persuasão e querendo se mostrar uma rival de peso, a CNN Brasil atacou até a Record com a contratação do popular Reinaldo Gottino, ex-âncora do “Balanço Geral”, uma das maiores audiências da emissora.

Acostumado a um jornalismo mais policialesco e assistencialista, Gottino ainda tenta encontrar um estilo mais equilibrado à frente do “CNN 360°”, versão nacional do programa analítico sobre política e costumes apresentado nos Estados Unidos por Anderson Cooper. É nítido o desconforto de Gottino sem os exageros da Record e se contendo em um cenário bem mais modesto. Aliás, os gastos da CNN Brasil com contratações devem ter sido prejudiciais ao orçamento de cenários e novas tecnologias em suas transmissões. No “quente” “Live CNN Brasil”, programa matinal apresentado por Mari e Siani, a falta de telões faz com que o cinegrafista tenha de filmar a tela do notebook dos jornalistas e o resultado ultrapassa o estranho e chega a ser constrangedor, visto que até as propagandas dos sites “vazam” no vídeo. Em geral, parece que as instalações ainda estão em processo de montagem. Além dos estúdios da sede em São Paulo, a mesma carência técnica se repete nas sucursais do Rio de Janeiro e Brasília, onde uma pequena bancada com fundo de vidro para uma paisagem sem grandes atrativos é o que resta aos jornalistas. Sem ostentação técnica e com linguagem oscilante, a CNN Brasil busca relevância a partir de um elenco experiente e conhecido do grande público e se vende como uma alternativa à hegemonia da GloboNews.

 

Live CNN Brasil” - CNN Brasil, de segunda a sexta, às 9h.

CNN 360°” - CNN Brasil, de segunda a sexta, às 15h.

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo...