Correio B

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

Prata da casa na telinha

Documentário "Gruta do Lago Azul", de Ricardo Aidar e Túlio Schargel, sobre santuário ecológico de Bonito, e série "Mitos Vivos", dirigida pelo campo-grandense Fábio Flecha, entram em cartaz, respectivamente, no canal CINEBRASiLTV e na plataforma Prime Vi

Continue lendo...

Não é a primeira vez, mas não é sempre que acontece. Duas produções audiovisuais trazendo de diferentes maneiras a marca de Mato Grosso do Sul e ainda ganhando espaço de destaque em canais e plataformas de exibição de alcance nacional e internacional. Como um feito desses, infelizmente, é raro, a estreia de “Gruta do Lago Azul” e “Mitos Vivos” acaba gerando comoção e expectativa.

O documentário “Gruta do Lago Azul” conta com a dupla Ricardo Aidar e Túlio Schargel, de São Paulo, na direção e estreou na noite de sábado (às 20h30min, no horário de MS) e terá mais 10 exibições até o dia 30, ocupando a faixa Filme do Mês do canal pago CINEBRASiLTV. Já a série “Mitos Vivos”, também documental, dirigida pelo campo-grandense Fábio Flecha, tem 13 episódios e está em cartaz desde a semana passada na plataforma de streaming Prime Video, da norte-americana Amazon, holding de tecnologia, e-commerce e entretenimento.

Além dos seus 6 milhões de assinantes, a partir da Oi TV e de operadoras por cabo, o CINEBRASiLTV acaba chegando em muitos lares pela própria TV aberta. Em funcionamento há duas décadas, tem como slogan “O canal da produção independente”, por buscar, desde o início de suas transmissões, a adesão de produtoras e espectadores voltados para esse nicho da produção audiovisual brasileira.

O diretor Fábio Flecha informa que a série “Mitos Vivos” está disponível inicialmente em toda a América Latina. Um dos episódios da produção retrata o mito do saci a partir de como essa tradição do folclore brasileiro alimentou crenças, temores, hábitos e rodas de conversa na cidade de Corumbá.

Criada em 2006, a Prime Video chegou ao Brasil 10 anos depois. A plataforma de streaming registra 200 milhões de usuários em mais de 200 países, mas não fornece dados de audiência de sua programação por território nacional onde oferece programas de televisão e filmes para aluguel ou compra.

Uma pesquisa da Opinion Box, divulgada em abril, apresenta a Amazon Prime como a segunda plataforma de streaming mais popular do Brasil, com 33% dos consumidores, contra 56% da Netflix, que ocupa a primeira posição no levantamento. Com uma estratégia que vem buscando uma fatia cada vez maior da audiência, a Amazon, além de praticar valores mais em conta, passou a transmitir, em 2021, o Campeonato Brasileiro das Séries A e B em 2021 e, desde 2022, também transmite a Copa do Brasil, alguns campeonatos estaduais de futebol e os jogos da NBA.

“GRUTA DO LAGO AZUL”

O longa-metragem documental “Gruta do Lago Azul” apresenta, por meio de imagens de notável riqueza plástica, diversos aspectos da gruta de mesmo nome, “uma joia incrustada no Cerrado brasileiro”, como diz o filme, sendo uma pequena parte da rede subterrânea do relevo cárstico, onde há muito para ser explorado.

Localizada a 70 quilômetros de Bonito, é uma caverna fora do comum, única no Brasil, onde os raios de sol atingem águas cristalinas com profundidades que podem chegar a mais de 80 metros, e o melhor, isso tudo não se trata apenas de um belo paraíso. O documentário se coloca como mais uma peça no complicado quebra-cabeça do passado histórico do homem e da megafauna a partir do manancial da gruta sul-mato-grossense.

O diretor Ricardo Aidar, que assina diversos documentários sobre times de futebol (Corinthians, Santos, Palmeiras), atuou como produtor executivo da série “Pantanal”, dirigida por Haroldo Palo Jr. e Lawrence Wahba. O documentarista Túlio Schargel, seu parceiro na direção de “Gruta do Lago Azul”, tem grande experiência como cinegrafista de imagens subaquáticas e assina a produção -executiva do documentário “Onça, Mais Perto do que se Pode Imaginar” (2014).
 

Assine o Correio do Estado

Correio B+

Gastronomia B+: Receita argentina com ovos para a saúde e bons hábitos

Aproveite os benefícios do ovo para saúde e faça uma refeição nutritiva e deliciosa para começar todos os dias

16/06/2024 11h00

Continue Lendo...

O ovo é um ingrediente versátil e nutritivo, conhecido por seus benefícios para a memória e a concentração. A nutricionista Lúcia Endriukaite, do Instituto Ovos Brasil, destaca que os ovos são uma excelente fonte de proteínas e gorduras saudáveis, além de conter vitaminas e minerais essenciais para a saúde.

"Os ovos são ricos em vitaminas A, D, E, K, vitaminas do complexo B em especial a colina, vital para transmissão do impulso nervoso, além de minerais como ferro, zinco, fósforo e selênio. Eles também possuem luteína e zeaxantina, antioxidantes que contribuem para a saúde dos olhos,", afirma Lúcia.

O ovo é um ingrediente fácil de encontrar em qualquer mercado, além de ter um custo-benefício que quase nenhum outro alimento possui nos dias atuais. Seja em receitas doces ou salgadas, os ovos de galinha são essenciais no preparo de diversos pratos deliciosos. 

Neste domingo a gastronomia do Correio B+ ensina auma receita com ovos, a famosa Medialuna Argentina.
O medialuna é um tipo de pãozinho muito popular na Argentina e em outros países da América Latina. Trata-se de um pão em forma de meia lua, feito geralmente de massa folhada, que pode ser recheado com doce de leite, doce de marmelo ou simplesmente açúcar e canela. Podem ser croissants de manteiga ou de gordura.

Confira a receita!

Medialuna Argentina*

Ingredientes:

  • 1 ovo
  • 1/2 xícara de água
  • 1/3 de xícara de açúcar
  • 250 gramas de farinha
  • 1 colher de chá de sal
  • Raspas de 1 limão
  • 50 gramas de manteiga
  • 2 colheres de chá de fermento para pão

Para pincelar:

  • 1 gema de ovo com um pouco de água
  • Manteiga
  • 60 ml de água
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de amido de milho

Preparo  (1 hora e meia):

Comece preparando a esponja. Para isso misture 1/4 de xícara da água, o fermento, 1 colher de sopa do açúcar e 2 colheres de sopa de farinha de trigo.

Deixe descansar por 10 minutos.

Em uma segunda tigela, misture o que restou da farinha, o açúcar, o sal e as raspas de limão.

Em seguida, coloque também o ovo, a manteiga, o restante da água e a esponja.

Quando ficar homogêneo, deixe descansar por mais 10 minutos.

Enfarinhe uma superfície e sove a massa por 10 minutos.

Deixe descansar até que dobre de volume.

Abra a massa em um círculo e pincele manteiga.

Corte como se fossem pedaços de pizza.

Depois enrole a massa, da ponta mais larga para a mais fina e aperte bem as pontas para uni-las.

Unte uma assadeira e espalhe as medialunas, depois deixe descansar por 1h.

Pincele as medialunas com a mistura de gema de ovo e água.

Asse em forno preaquecido a 200 °C até dourar.

Enquanto isso, misture a água, o açúcar e o amido de milho em uma panela e mexa até ferver e reserve.

Para finalizar, pincele a mistura nas medialunas frias e já pode servir.

Correio B+

Moda B+: Se você usa essas peças depois dos 50 anos, você está fora de moda... É mesmo?

A consultora de imagem e estilo Letícia Rodrigues fala sobre moda e suas ditaduras com exclusividade para o Correio B+

15/06/2024 19h30

Letícia Rodrigues é consultora de imagem e estilo

Letícia Rodrigues é consultora de imagem e estilo Foto: Divulgação

Continue Lendo...

Caro leitor (a), caso você tenha se interessado por esse assunto pensando em uma lista com peças ditando o que você pode ou não usar, está enganado.

Afinal, preciso dizer algo... Se você ainda pensa nesse tipo desse lista que funcionam como regras e ditaduras referente a moda, pode ser que quem esteja fora de moda, (deixa pra lá)... Risos...

A verdade é que muito se fala em moda disruptiva e para todos, no entanto, se de um lado temos uma parcela pensando em quebra de barreiras e preconceitos de outro, temos uma que vai na contramão, ditando o que se deve ou não fazer, e ainda existe aquela parcela que se diz disruptiva, porém mais ditando regras que todos os outros juntos.

O que existe é um grande número de mulheres com receio de usar roupas e serem julgadas como impróprias, indevidas e serem rotuladas como cafonas ou fora de moda?

Parte da culpa? A própria mídia! Não tem como negar que ela tem grande responsabilidade nisso, seja por influenciadores, programas de TV e até mesmo pelo próprio mercado de varejo que se retém em grande número de roupas para uma minoria.

A outra parte? Aqui eu não diria culpa, mas sim, desinformação. E tudo começa com a falta de conhecimento sobre você mesma. Perguntas como: Quem sou eu? Como quero me sentir? O que tenho vontade? Como quero me expressar? O que me representa? Qual é o meu estilo?

Essas e tantas outras caíram em desuso, foram esquecidas e com isso todos começaram a seguir a manada, a correria, as ditaduras, regras, e ter que se manter numa caixa para se sentirem pertencentes e estar adequada aos padrões impostos, ou seja, a sua parte em se ouvir mais e “fechar” os ouvidos para tanta informação desinformada.

Não existem peças que você não possa usar, a menos claro, que você não queira. A moda pode e deve ser uma grande ferramenta e aliada para representar que você é e te ajudar na mais linda forma de se expressar.

Meu conselho pra você como consultora de imagem é: Deixe de lado os pensamentos: “isso não é pra mim”, “já passei da idade”, para “o que eu tenho vontade?” “quais são meus desejos”, “como quero me sentir?”. Você não imagina a realização e alegria de se permitir ser quem é!

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).