Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SÉRIE

Rafael Infante na divertida “Cine Holliúdy”

De volta ao Porta dos Fundos, o ator valoriza participação como galã
28/07/2020 16:08 - Caroline Borges/TV Press


Para Rafael Infante, cada novo trabalho representa um acréscimo de conhecimento. Por isso mesmo, nos últimos anos, o ator tem ficado de olhos bem abertos a cada nova passagem pela tevê. Cada vez mais presente na televisão, ele busca aprender com cada projeto que atravessa seu caminho no vídeo, como foi o caso da série “Cine Holliúdy”, em que interpreta o galã Armando Fagundes. A participação especial de Rafael está prevista para ir ao ar hoje, dia 28. “Foi um trabalho delicioso de participar. As gravações no interior de São Paulo foram ótimas, a equipe e o elenco foram super receptivos e o clima foi leve e descontraído, assim como a série. Tive a chance atuar ao lado de colegas maravilhosos e experientes. Foi mais um grande aprendizado na tevê e no formato”, valoriza.

Na produção, o Prefeito Olegário, papel de Matheus Nachtergaele, manda contratar o galã de novela Armando Fagundes para atuar no filme de Francis, interpretado por Edmilson Filho. Dessa forma, o político consegue justificar o empenho de recursos públicos em cultura. No entanto, ao perceber que Marylin, de Letícia Colin, sua protagonista, terá de contracenar com o galã, Francis decide produzir “A Paixão de Cristo”, um filme de amor, mas sem beijo. “Fiquei muito feliz com a notícia da reexibição da série. É um trabalho feito com muito carinho e uma história muito gostosa de assistir”, afirma. 

Apesar de dispensar o rótulo de galã na televisão, Rafael também interpretou um fictício mocinho de novelas na recém-finalizada “Bom Sucesso”. Na história escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, ele viveu o vaidoso ator Pablo Sanches, um galã que não revelava sua verdadeira orientação sexual a quase ninguém. E, inclusive, simulou um namoro com a colega de elenco Silvana Nolasco, de Ingrid Guimarães. “Foi interessante viver dois galãs com pegadas bem diferenciadas. Os dois vieram em um curto espaço de tempo, mas ambos foram feitos especificamente para suas histórias, então o processo de criação de cada um teve seu momento”, ressalta.

De folga da tevê desde o fim de “Bom Sucesso”, Rafael viu seu planejamento profissional ser totalmente modificado por conta da pandemia do novo coronavírus. O ator não ficou ocioso durante as medidas mais duras de isolamento social. Ao contrário, ele seguiu criando de casa e, inclusive, voltou a integrar o elenco do coletivo de humor “Porta dos Fundos”. “O ‘Porta’ é uma família. Voltar ao ‘Porta’ é como se fosse voltar para casa, eles me deram momentos inesquecíveis na minha carreira e personagens que me fizeram muito feliz. Acho que é essa característica que temos muito em comum, o de querer levar alegria para as pessoas”, ressalta. Nas últimas semanas, o humorista tem feito sucesso com o personagem Carlinhos Avelar, que comanda o fictício jornalístico “Plantananã”, que repercute assuntos do momento, como a desastrosa reunião ministerial e o resultado positivo para Covid-19 do Presidente da República. “Fico muito feliz com a repercussão e ainda mais em saber que, de alguma forma, posso levar um pouco de alívio nesse momento difícil. É necessário nos mantermos protegidos e informados. E quando puder aliviar a tensão, o riso é um mecanismo muito potente”, defende.

 
 

Felpuda


Candidato a prefeito de cidade do interior foi buscar “inspiração” para elaborar seu programa de governo.

Assim, não se fez de rogado em beber da fonte de prefeito que tenta a reeleição em município da Bahia.

O dito-cujo cá dessas bandas copiou as propostas e vinha as apresentando como sendo de sua autoria.

A população já descobriu o plágio e ainda aguarda uma explicação.

Se não houver, as urnas certamente a darão.