Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DE VOLTA

Setor de eventos comemora liberação de festas particulares, cinema e shows

Prefeitura municipal publicou decreto que permite o retorno da promoção de eventos
15/09/2020 11:30 - Naiane Mesquita


O setor de eventos foi um dos mais atingidos pela crise econômica do novo coronavírus (Covid-19). Sem a possibilidade de realizar festas há seis meses, os profissionais pressionaram o poder municipal para voltar a atuar, ao menos em regime especial, com restrição do número de convidados e medidas de biossegurança.  

“A nossa categoria foi muito prejudicada, foi extremamente abalada com toda essa situação dessa pandemia. Nós paramos em março e vamos ser um dos últimos a retornar às atividades”, explica a cerimonialista Karla Lyara.  

Segundo a profissional, diversos casamentos e eventos foram remarcados para 2021, justamente em função da instabilidade provocada pelo coronavírus. 

Apenas alguns permanecem marcados em meados do mês de novembro. 

“Até porque nós sabemos que esse decreto vai vir com várias restrições, recomendações de biossegurança, diante dessa pandemia toda. Acredito que até essa vacina sair nós teremos que lidar com esse novo normal”, frisa.  

O decorador André Furquim, que trabalha há 15 anos no setor de eventos, explica que o impacto econômico foi difícil para muitos profissionais. 

“Está terrível, muito triste, quem não tem uma estrutura não está aguentando. Há muito buffet infantil fechando, por exemplo, vendendo decoração, mesa, cadeira, ar-condicionado”, cita.  

Segundo Furquim, o poder público precisa entender que uma festa emprega diversos profissionais direta e indiretamente. 

“A impressão que eu tenho é a de que as autoridades não percebem a quantidade de profissionais que um evento envolve direta e indiretamente, a economia que o evento gera, absurdo”, pontua. 

 
 

Ansiedade

Karla explica que mesmo com a possibilidade de remarcar o casamento é impossível os noivos não sentirem frustração ou ansiedade. 

“Os noivos vivem um sonho, e esse sonho gera muita expectativa. E, de repente, nós tivemos esse momento, esse período difícil, então eu acho que afetou todos de uma maneira geral, os casais, os familiares, os fornecedores”, acredita. Porém, o importante é manter a esperança.

 “O que nós temos reforçado é que o sonho vai ser apenas adiado, então, quando tudo isso passar, nós teremos uma comemoração bem mais emocionante, ao lado das pessoas que eles amam, com uma festa linda como eles planejaram e sonharam”, aponta.  

Enquanto a pandemia não passa, Karla atende os noivos pela internet e realiza eventos ao lado de parceiros, como uma apresentação drive-in com o grupo É de Bom Tom. 

“Diante de todo prejuizo financeiro, nosso setor foi muito afetado, direta e indiretamente. Muitos parceiros tiveram de se reinventar”, frisa.

Antes mesmo da decisão de reabertura, o casal Talita Gomide e Thiago Olevar decidiu adiar o casamento. A festa, que seria no dia 31 de outubro, passou para o dia 20 de março. 

“Adiamos uns cinco meses. O nosso casamento é para 280 pessoas, e eu fiquei com medo de fazer um investimento alto e precisar ter uma festa com várias restrições ou de esperar e não ter mais vaga no ano que vem. Então eu liguei para a Karla Lyara, que é a minha cerimonialista, e ela concordou em adiar”, frisa.  

A primeira escolha de Talita foi uma data perto do feriado, para que amigos e familiares que moram longe pudessem compartilhar do momento do casal, que está junto há oito anos.  

“A gente planejou bastante, marcamos pensando em 2020. Iniciamos uma obra no futuro apartamento pensando justamente nisso. Inclusive, até a obra estamos fazendo com mais calma”, explica. 

 
 

Decreto  

A Prefeitura Municipal de Campo Grande acabou ouvindo as queixas da classe e publicou no fim da tarde de ontem um decreto liberando a realização de eventos em Campo Grande, assim como cinemas, shows e casas noturnas. 

A publicação altera o Decreto 14.257, publicado em 17 de abril, e começa a valer a partir de hoje. 

“Vai haver, mediante regramento, alguma flexibilização. A curva de contágio já caiu bastante, nós temos 74% de ocupação [de leitos] e o setor de eventos também precisa respirar um pouco na economia”, explicou o prefeito Marcos Trad (PSD).

De acordo com a publicação, para a promoção de eventos particulares, o responsável legal pela organização e promoção deve protocolar, para cada evento, o Termo de Compromisso e o Plano de Contenção de Riscos (biossegurança) específico em até 5 dias úteis antes da data da realização do evento, o que não desobriga a apresentação do plano do estabelecimento onde acontecerá o evento.

Neste plano, o layout e o perfil do local onde será realizado o evento deve ser apresentado, respeitando a lotação máxima de 50% de sua capacidade normal e as regras de distanciamento de 1,5 metro.

Outro ponto do decreto é que os organizadores devem informar os mecanismos adotados para garantir o rastreamento das pessoas que participaram do evento e informar as medidas adotadas para evitar a utilização de brinquedos de uso coletivo e formas de desinfecção dos brinquedos individuais.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!