Correio B
ARTE PROTESTANTE

"Silêncio Branco" trata da violência contra mulher em Campo Grande, capital com maior taxa de estupro no País

Espetáculo da Ginga Cia de Dança será apresentado na próxima quarta-feira (06), às 20h

Leo Ribeiro

02/07/2022 17:59

 

Violência contra a mulher, nas suas mais diversas formas, é tema que baseia "Silêncio Branco", obra da Ginga Cia de Dança, com apresentação marcada para a próxima quarta-feira (06), às 20h.  

Como apontou o Correio do Estado, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública destaca Campo Grande como a capital com maior taxa de estupro no País.  

Conforme os números, são 80,2 casos a cada 100 mil habitantes, sendo que 735 ocorrências de estupro foram registradas na Capital, cerca de dois casos por dia.  

Segundo a Cia. de dança, justamente tratar - em dança e música - dessa objetificação da mulher, que leva à diversas agressões e até ao feminicídio, é o maior desafio dos integrantes em cena.  

“A comunidade não enfrenta este tema com a gravidade e a força necessária. Parece que estamos todos inertes, congelados, apenas assistindo os casos acontecerem e foi isso que nos motivou a fazer alguma coisa. Estamos colocando a dança à serviço desta discussão, colocando nossa arte para que, com outra linguagem, contribua para arrancar a venda dos olhos da sociedade", explica Chico Neller, criador e coreógrafo da Ginga.