Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VIA STREAMING

3 sugestões de filmes e séries nas plataformas para assistir essa semana

A dica da semana é a série “Bones“, que conta com 12 temporadas disponíveis
10/09/2020 15:51 - Kreitlon Pereira/Via Streaming


Dica da Semana: “Bones”

Sucesso da Fox junta uma cientista calculista com um agente do FBI para resolver assassinatos

Temperance Brennan (Emily Deschanel) é uma doutora em antropologia forense pragmática, com habilidades sociais limitadas que trabalha no prestigiado instituto de pesquisa Jeffersonian e ainda encontra tempo para escrever romances policiais nas horas livres. Com a formação de uma parceria entre o Jeffersonian e o FBI, o agente Seeley Booth (David Boreanaz), um antigo atirador de elite do exército que mascara seu respeito pela ciência com piadas, é designado a trabalhar com a doutora Brennan para resolver assassinatos. Enquanto ela é uma ateísta, que segue a lógica e as evidências a todo custo, ele é um católico fervoroso que acredita fielmente em sua intuição. Não podiam ser mais diferentes, e isso fica claro desde o primeiro episódio, em que mal conseguem suportar um dia de trabalho juntos. Com o passar do tempo, desenvolvem um enorme respeito um pelo outro e até se tornam amigos. Apesar de “Bones” não ser bem vista pelas críticas, sua popularidade conseguiu sustentar 12 temporadas e se tornar a série não animada mais duradoura já produzida pela Fox. No Brasil, está disponível na íntegra na Amazon Prime Video, e é a escolha perfeita para os fãs de CSI que procuram se apaixonar por uma nova história.

Cada episódio dura em média 42 minutos, tempo suficiente para “Bones”, apelido carinhoso que o parceiro dá para doutora Brennan, e Booth resolvam um assassinato. Para isso, contam com a ajuda de toda equipe por trás do instituto Jeffersonian, que por vezes funciona como um alívio cômico para série. Dentre eles há o assistente prodígio Zack Addy, o especialista em insetos Jack Hodgins, apaixonado pela desenhista Angela Montenegro, amiga de longa data de Temperance que trabalha na reconstrução gráfica dos crimes. Todos eles são postos na linha pela diretora do Instituto, Cam Saroyan.

 
 

Eventos sinistros

Novo longa da Netflix conta com Tom Holland e Robert Pattinson para retratar um drama gótico sulista

Ao longo do Século XX, o mundo presenciou uma série de conflitos, agravados por inovações tecnológicas nas indústrias química e bélica, que revelaram a natureza cruel do homem. Para explorar o decorrer das décadas entre a Segunda Guerra Mundial e as batalhas no Vietnã a partir da óptica de uma família no interior de Ohio, chega “O Diabo de Cada Dia”, que estreia 16 de setembro na Netflix. Com direção de Antonio Campos, o filme é baseado no romance homônimo de Donald Ray Pollock.

Willard Russel é um veterano da Segunda Guerra que viu um de seus companheiros ser esfolado e crucificado vivo nas ilhas do Pacífico. Ao retornar para sua cidade natal, Knockemstiff, em Ohio, essa visão continua a atormentá-lo e se desenvolve numa estranha fixação por crucifixos. Eles estão por toda parte e representam uma deturpada crença de Willard que a redenção só é alcançada pela agonia. Assim, após a morte de sua mulher, o veterano começa a realizar sacrifícios de sangue - humanos e animais – para essas imagens. Mas o verdadeiro protagonista desta história é Arvin Eugene Russel (Tom Holland), um cristão devoto que, após ser presenteado com a arma de seu falecido pai, Willard, se afasta gradualmente da religião ao se tornar ciente das depravações que ameaçam ele e sua família.

Dentre estas há um xerife corrupto (Sebastian Stan), uma assassina em série (Riley Keough) que realiza viagens de carro com o marido (Jason Clarke) para que ele tire fotos comprometedoras daquelas que serão suas vítimas. Além de um pastor e predador sexual (Robert Pattinson) cuja crença de que, para ir ao Paraíso, basta se arrepender pouco antes de morrer, não encontra nenhum remorso em suas atitudes. E o caminho de todas essas personalidades se cruza com o de Arvin, que fornece um suspiro de esperança nessa história sombria ao combater as más influências e buscar todos os dias pela redenção, mesmo quando sua própria herança familiar lhe mostrou o contrário.           

Link para o trailer de “O Diabo de Cada Dia”.

 
 

Ideia inusitada

Em “A Duquesa”, Katherine Ryan interpreta uma mãe solteira bastante decidida que resolve ter um segundo filho com o ex-namorado que detesta 

Escrita, produzida e protagonizada por Katherine Ryan, a nova série original de comédia da Netflix, “A Duquesa”, estreia na plataforma no dia 11 de setembro. Ryan é uma atriz e comediante canadense bastante conhecida pelo seu humor ácido e direto, mesmo em um ramo dominado por homens. Ryan já trabalhou anteriormente com a Netflix, tendo realizado dois especiais de comédia para a plataforma de streaming: “Glitter Room” (2019) e “In Trouble” (2017). Porém, “A Duquesa” marca a primeira vez em que Katherine se aventura no mundo dos roteiros e leva para fora dos palcos a sua querida persona dos stands-up. A série é composta por seis episódios, cada um com aproximadamente 30 minutos de duração. 

Ambientada em Londres, “A Duquesa” acompanha a vida de uma mãe solteira melodramática e com um grande senso de estilo que possui uma relação muito próxima com sua única filha, Olive (Kate Bryne). Ao mesmo tempo em que está envolvida em um relacionamento que parece estar indo bem, Katherine pensa em ter um segundo filho com Shepard (Rory Keenan), pai de Olive e ex membro de uma boy band, por meio de inseminação artificial. Como se a situação não fosse complicada o suficiente, os dois ex namorados não se suportam, o que faz com que seus encontros sejam mais estranhos ainda.   

As semelhanças entre a atriz e a protagonista de “A Duquesa” vai além do fato das duas se chamarem Katherine. Na verdade, a série é um pouco inspirada na própria vida da comediante, que também é mãe solteira e, assim como a personagem, pode não ter a personalidade mais fácil de se lidar, mas ama ser mãe e é boa nisso. Porém as semelhanças acabam aí, deixando todo o drama de uma segunda gravidez com o ex-namorado para a protagonista da série. “A Duquesa” promete ser uma produção divertida e envolvente, principalmente para aqueles que já apreciam o peculiar humor de Katherine Ryan.   

Link para o trailer de “A Duquesa”.

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!