Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VIA STREAMING

3 sugestões de filmes e séries nas plataformas para assistir essa semana

A dica da semana é o filme "A Árvore da Vida", e está disponível online
05/08/2020 09:39 - Kreitlon Pereira/Via Streaming


Dica da semana:  “A Árvore da Vida” 

Uma reflexão sobre a existência das coisas, é muito mais que um filme sobre a relação de pai e filho

O longa-metragem norte-americano “A Árvore da Vida”, lançado em 2011, pode ser descrito como um filme-poema. Com uma preocupação singular com a construção de sentimentos no espectador, sua história é passível a diversas interpretações. Como um todo, o filme é uma reflexão acerca da vida, da natureza e da fé. “A Árvore da Vida” foi escrito e dirigido por Terrence Malick, sendo – na época – o quinto longa na carreira de mais de quarenta anos do aclamado diretor, conhecido por abordar temas filosóficos em suas criações (“Uma Vida Oculta” e “Cinzas no Paraíso”, por exemplo). 

Apesar de difícil de resumir, a história se centra na tradicional família texana dos O'Brien. Brad Pitt e Jessica Chastain interpretam os pais de três meninos nos anos 1950. Enquanto a mãe é compreensiva e gentil, as tensões da família centram-se principalmente na figura paterna. Tendo abandonado seu sonho de se tornar músico para seguir em uma carreira não tão bem sucedida como empresário, Pitt vive um pai severo e rígido que quer que seus filhos sejam fortes acima de tudo. Por conta disso, o personagem tem diversos atritos com seu filho mais velho, Jack, que em certo momento se rebela contra o pai. O filme se divide entre cenas que contam a história da família, incluindo os traumas mais pesados que tiveram que passar - como a morte de um membro familiar - e os impactos dessa criação singular na vida de Jack anos depois, quando Sean Penn interpreta um homem no final de seus quarenta anos e à beira de uma crise existencial. 

“Árvore da Vida” é um filme diferenciado por conta de seu potencial reflexivo e, justamente por isso, não é uma criação para todos os gostos. Mesmo assim, o longa recebeu grandes elogios da crítica cinematográfica, sendo vencedor da Palma de Ouro de Melhor Filme no Festival de Cannes e também indicado em três categorias no Oscar de 2012, incluindo de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Fotografia. O drama fantástico de 138 minutos está disponível no Looke, na Amazon Prime Video, no GloboPlay e na TeleCine Play.            

Link para o trailer de “A Árvore da Vida”.

Nas asas do pioneirismo

O filme indiano “A Tenente de Cargil” estreia 12 de agosto e conta a história da primeira mulher a servir como piloto de combate na Índia

No dia 12 de agosto a Netflix disponibilizará em seu catálogo a produção original “A Tenente de Cargil”. O filme indiano estrelado por Janhvi Kapoor conta a história real da primeira mulher a ser piloto de combate nas Forças Aéreas Indianas. Com uma história inspiradora e uma protagonista feminina fortíssima, “A Tenente de Cargil” mostra as dificuldades que as mulheres encontram ao entrarem em ambientes dominados por homens e a perseverança necessária para seguir em frente e realizar os seus sonhos, mesmo com todos dizendo que ela deveria desistir. 

O filme acompanha a história de Gunjan Saxena. Inspirada por seu pai e irmão, que também serviam no Exército Indiano, Gungjan resolveu seguir seu sonho e integrar a IAF, mesmo sabendo que era um mundo completamente dominado por homens, que de nada fariam para tornar o seu ambiente de trabalho agradável. Pelo contrário, Saxena foi alvo de preconceitos e discriminações enquanto servia. Porém, nem isso poderia abalá-la pois Gungjan pilotou um avião durante a Guerra de Cargill, em 1999, e, mais tarde, recebeu do governo indiano o prémio Shaurya Vir por seu exemplar de coragem e bravura durante a guerra. 

A guerra da Caximira foi um confronto armado que ocorreu de maio a julho de 1999 entre a Índia e o Paquistão, dois países que compartilham de uma grande rivalidade desde de suas independências. O motivo do embate entre as potências asiáticas foi a infiltração de soldados e militantes paquistaneses na Caxemira, território que fica localizado bem na fronteira da Índia com o Paquistão e que tem maioria muçulmana. O principal palco do conflito foi o distrito de Cargill (Caximira). Com intervenção direta dos Estados Unidos para um cessar fogo, a guerra foi breve e teve como vitoriosa a Índia. Porém, foi um conflito marcante por ter sido o primeiro embate bélico entre duas potências nucleares, já que ambos os países já haviam tido sucesso em seus respectivos testes com misseis atômicos.      

Link para o trailer de “A Tenente de Cargil”.

Diamantes brutos

Nova produção da Netflix, “A Dançarina Imperfeita” retrata romance em competição de dança

Com os filmes “Para Todos os Garotos que já Amei” e “Barraca do Beijo”, a Neftlix ingressou com tudo no mercado de romances adolescentes. Ciente da fórmula e com recursos para montar um elenco extremamente apelativo ao público jovem, o serviço de streaming produziu “Dançarina Imperfeita”, um filme sobre um grupo de excluídos em busca da vitória numa competição nacional de dança. Com estreia marcada para 7 de agosto, ele é a nova aposta da Netflix para conquistar a garotada via internet.

Para Quinn Ackerman (Sabrina Carpenter) entrar na faculdade de seus sonhos, não basta tirar as melhores notas, mas também é preciso colecionar o máximo de atividades extracurriculares possíveis. Por isso a jovem trabalha numa biblioteca, é voluntária num asilo de idosos e é a técnica de som e luz do auditório. No entanto, sua escola é reconhecida nacionalmente por seu grupo de dança, os “Thunderbirds”, que ganharam as principais competições do país. Assim, Quinn enxerga na equipe sua chance de vencer as nacionais e animar um pouco seu currículo para as faculdades. Com a ajuda de sua melhor amiga Jas (a youtuber “Liza Koshy”), ela treina para as audições do grupo, só há um pequeno problema: ela não sabe dançar.

Como esperado, Quinn é cortada na primeira eliminatória, mas isso não significa que ela desistiu da ideia de competir, apenas que não será com os “Thunderbirds”. Juntas, Quinn e Jas montam sua própria equipe de dança, composta majoritariamente por excluídos, quase "diamantes brutos" da dança. Para lapidá-los será necessária ajuda profissional e, com ajuda das redes sociais, elas encontram Jake Taylor (Jordan Fisher), um coreógrafo que conduziu sua escola à vitória por três anos seguidos. Com todo esse aparato e muito treino, o grupo até tem chances de ganhar as nacionais. No entanto, um romance entre Quinn e Jake pode deixar tudo mais complicado. 

Link para o trailer de “Dançarina Imperfeita”.

 
 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!