Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

COMPORTAMENTO

Terapeuta cria projeto que alia natureza e práticas meditativas em trilhas ecológicas

Durante a trilha é possível aproveitar a vista e tranquilizar a mente
27/10/2020 07:30 - Carol Alencar Cozzatti


Espaço de todos e, de maneira contemplativa, capaz de proporcionar paz e tranquilidade, a natureza está no centro do projeto Compasso’s Trilhas Terapêuticas.  

Idealizado pela psicóloga Marley da Silva Costa, 53 anos, o projeto tem a proposta de aliar natureza com terapias alternativas, como um desses casamentos que dão certo. “Percebemos que quanto mais natural o ambiente onde as vivências acontecem, maiores as chances de reconexão com nosso eu interior”, explica.

Adepta de trilhas longas, a psicóloga iniciou o projeto no início de 2020, com o objetivo de oferecer uma oportunidade de meditação ao ar livre e que transmita a sensação de relaxamento. “Entendemos que a natureza nos disponibiliza esta transformação positiva, ela serve como um facilitador para as vivências. O ar puro, as energias mais limpas, as belas paisagens, os sons da cachoeira, dos passos pisando a terra. Tudo isso nos leva a um estado contemplativo que regenera o organismo como um todo, trazendo de volta sensações perdidas, esquecidas em meio à correria da vida que levamos, quase que totalmente no automático”, argumenta.

Como funciona

Mato Grosso do Sul tem diversos locais perfeitos visualmente que conquistam os moradores e também os praticantes da trilha diferenciada.  

Cachoeiras, diferentes espécies de fauna e flora, esportes radicais e terapia alternativa acabaram chamando a atenção de todos os tipos de público, inclusive famílias com crianças a partir de seis anos. Dependendo do percurso, a trilha dura cerca de três a quatro horas, e, em alguns locais, a duração pode se estender por conta de serviços como café da manhã estilo colonial e almoço no fogão a lenha.  

O destino não é fixo, muda de acordo com o grupo, mas normalmente não fica distante de Campo Grande. A trilha pode chegar a 4,5 km de percurso total em uma manhã, por exemplo. A programação acontece uma vez por mês e começa cedo. O horário do encontro inicial é às 5h30min, e, em seguida, a abertura oficial conta com uma atividade orientada para estimular a conexão com o presente.  

Há também o café da manhã, o início da trilha e uma parada para meditação e banho de cachoeira. “É importante salientar que os horários são flexíveis, pois, tratando-se de vivências, a gente analisa o andamento de cada dinâmica programada e cada um vai em comboio no seu próprio carro até a chegada na trilha”, explica Marley.

No primeiro encontro, ela conta que foram mais de 18 pessoas inscritas. Já na segunda e terceira vivências, foram registrados 15 participantes. “Esta reconexão remete à nossa essência, traz paz, confiança e renova nossa sintonia com a nossa casa de origem, a natureza”.  

Já sobre o que levar, a terapeuta holística garante que, além da máscara e água para o trajeto, é necessário incluir também tênis confortável, camiseta de secagem rápida, calça legging, chinelos na mochila para o caminho de volta, cangas, toalhas e protetor solar.

A psicóloga reforça que os efeitos pós-trilha terapêutica são os melhores possíveis, uma vez que os participantes a procuram para tentar abstrair o estresse do dia a dia. “As pessoas começam o evento com um semblante carregado, talvez pelo estresse do dia a dia, talvez pela ansiedade ante o desconhecido... E quando chegamos ao fim, parece que estamos diante de um outro ser humano, bem mais calmo, semblante leve e renovado”, pontua. Informações pelo Instagram @compassos.trilhaterapeutica. 

 
 

Felpuda


Racha em entidade religiosa teve péssimas consequências eleitorais na disputa por vagas na Câmara Municipal de Campo Grande.

O quiproquó, também, digamos, com nuance familiar, provocou estragos da-que-les.

Aí, como consequências, fez com que quem está não conseguisse votos suficientes para permanecer em 2021-2024 e quem estava fora tentando retornar ficasse à beira do caminho. 

Como se vê...