Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FAMÍLIA

Um ano após cesárea de emergência, Mariana celebra aniversário no mesmo dia dos pais

Contrariando o comum, pai, mãe e filha dividem o mesmo dia de nascimento, 19 de maio
19/05/2020 07:30 - Naiane Mesquita


 

Mariana nasceu às 21h34, do dia 19 de maio de 2019, com 41 semanas, após uma cesárea de emergência alterar os planos dos pais, que não esperavam a filha vir ao mundo naquela noite específica de domingo. Tanto Amanda quanto Raphael tinham outros motivos para celebrar a vida, já que ambos também escolheram o décimo nono dia do mês para nascer. 

“Eu tive pressão alta e os médicos avaliaram que não dava mais para esperar o nascimento da Mariana. Os batimentos cardíacos dela não estavam bem. Fizeram os exames às 21 horas da noite e já fui encaminhada para a sala de cirurgia. Ela nasceu às 21h34, do dia 19 de maio”, relembra a mãe, Amanda Góes de Albuquerque, 25 anos.

A coincidência já seria o bastante só de ambas dividirem o mesmo aniversário, se não fosse o fato do pai, Raphael Miranda Larrea Silva, 27 anos, também ter nascido em 19 de maio. Os dois se conheceram ainda na infância, mas o destino quis que ainda na adolescência morassem longe um do outro. 

“Nos conhecemos desde criança. Estudando juntos porque morávamos no Núcleo Industrial de Campo Grande. Quando eu tinha 12 anos, meus pais se separaram e eu fui morar no Centro do município e nunca mais o vi. Depois que cresci, tive outro relacionamento, casei, mas não deu certo. Quando estava com 23 anos, decidi me mudar para Terenos”, relembra Amanda.

No distrito, os dois se reencontraram. “Na época eu não sabia, nem lembrava que fazíamos aniversário no mesmo dia, mas já foi curioso ser assim”, ri. 

O relacionamento deu certo e quando os dois tinham dois meses de casado, Amanda descobriu que estava grávida. “Pelas estimativas, a minha filha nasceria no mês de maio também, mas eu nunca imaginava que ela viria no dia 19. Os dois já é um caso de muita coincidência, agora nós três é demais”, brinca. 

Infelizmente, por conta da pandemia do novo coronavírus, Mariana não teve uma grande festa de 1 aninho, mas para não passar em branco, a mãe fez um bolo com o nome dos três. “Temos muito o que comemorar. A Mariana está bem, graças a Deus, não para um minuto, brinca com tudo. Com 11 meses ela já estava andando e bagunçando tudo”, ri Amanda.   

 

Felpuda


As definições no que se relaciona aos nomes para a disputa eleitoral vêm ocorrendo aqui e acolá. Pré-candidato que sonha comandar cidade o interior poderá deixar de ver o seu sonho realizado. É que o dito-cujo terá de enfrentar as lembranças de rumoroso caso que se tornou escândalo depois da denúncia de uma servidora. Há quem garanta que é só a campanha começar para a história ser contada capítulo por capítulo. Afe!