Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGRONEGÓCIOS

Comercialização da safra de soja chega a 75% no Estado

Saca da oleaginosa apresentou valorização de 25% em um ano
16/04/2020 17:45 - Súzan Benites


Com a colheita concluída em Mato Grosso do Sul, 75,80% da safra de soja 2019/2020 foi comercializada até o dia 13 de abril. No mesmo período, o milho safrinha atingiu 33,70% de comercialização.

Segundo o Boletim Casa Rural, elaborado pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), a colheita da soja chegou a 100%. A estimativa é que a safra 2019/2020 atinja o recorde de 11,328 milhões de toneladas, enquanto na safra anterior foram produzidas 9,9 milhões de toneladas da oleaginosa. 

A saca de 60 Kg de soja teve valorização de 25,61% em relação ao mesmo período do ano passado. Em abril o preço médio ficou em R$ 83,98 por saca, enquanto em 2019 a oleaginosa havia sido cotada, em média, a R$ 66,86. A saca do milho valorizou 63,88%, em abril de 2020 é comercializada a uma média de R$ 46,41, em 2019 o cereal havia sido cotado, em média, a R$ 28,32.

O plantio do milho, monitorado pelo Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga), já atingiu 100% de cobertura. As lavouras enfrentaram chuva de granizo na madrugada da última terça-feira (14). 

Segundo o departamento técnico da Famasul os danos foram pontuais. "As primeiras informações indicam que a queda de granizo causou danos pontuais, tendo maior incidência nos municípios de Ponta Porã, Aral Moreira e Amambai”.

A área plantada até o momento, conforme estimativas  é de aproximadamente de 1,944 milhão de hectares. Em comparação aos dados da safra 2018/2019, é estimada uma redução na área plantada em 9,02%, passando de 2,173 milhões para 1,977 milhão.

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!