Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGRICULTURA URBANA

Prefeitura quer implantar agricultura agroecológica na Capital

Ampliação de hortas urbanas também fazem parte de Plano Municipal
15/06/2020 12:00 - Bruna Aquino


Com objetivo de promover ainda mais práticas que desenvolvam a agricultura urbana em Campo Grande, a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc) está criando projeto de lei que vai fortalecer a agricultura na cidade através do Plano Municipal de Agricultura Urbana através de hortas e o sistema de agroecologia, forma de conhecimento que pretende superar os danos causados à biodiversidade e à sociedade pela prática da monocultura, do emprego dos transgênicos, dos fertilizantes industriais e dos agrotóxicos.

Segundo a prefeitura, a proposta prevê a geração de produtos voltados ao consumo próprio, trocas, doações ou comercialização, aproveitando de forma eficiente e sustentável os recursos e insumos locais pela própria produção.

Conforme projeto, as práticas agroecológicas em meio urbano vão contemplar a melhoria das condições nutricionais e de saúde, de lazer, de saneamento, de interação comunitária, educação ambiental e patrimonial, cuidado com o meio ambiente, função social do uso do solo, geração de emprego e renda, melhoria urbanística da cidade e sustentabilidade.

O Plano será realizado em harmonia com a política ambiental, urbana e de ocupação e uso do solo do Município de Campo Grande. Depois de aprovado na Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito Marcos Trad (PSD), a ação contará com apoio técnico nos aspectos ambientais e urbanísticos, da Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur). 

O Plano Municipal de Agricultura Urbana será executado com recursos públicos ou privados, dotações orçamentárias da Sedesc, repasses da União ou do Governo do Estado, recursos oriundos de emendas parlamentares ou provenientes de cooperação e convênios.

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...