Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGRO

Produção rural do Estado crescerá 4,4%, aponta IBGE

Colheita nas lavouras de Mato Grosso do Sul devem chegar a 19,8 milhões de toneladas em 2020
12/05/2020 18:44 - Súzan Benites


Levantamento divulgado nesta terça-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta crescimento na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas em Mato Grosso do Sul. O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) estima 19,8 milhões de toneladas produzidas pelo Estado, 4,4% acima da safra de 2019, quando foram colhidas 18,9 milhões de toneladas.

Conforme os dados, o arroz, o milho e a soja são os três principais produtos do Estado e, somados, representaram 98,7% da estimativa da produção e respondem por 97,5% da área a ser colhida. Em relação a 2019, houve uma redução de 2,2% na área do milho (redução de 4,1% no milho de primeira safra e de 2,2% no milho de segunda safra) e de 7,6% na área do algodão herbáceo e aumento na área de soja de 3,95% e 10% para a área de arroz.

A estimativa do IBGE ainda aponta acréscimo de 17,9% para a soja (10,1 milhões de toneladas) e de 22,9% para o arroz (66 mil toneladas). São esperados decréscimos de 3,9% para o milho (crescimento de 7,9% no milho de primeira safra e decréscimo de 6,8% no milho de segunda safra), com produção de 93,2 milhões de toneladas (136 mil toneladas de milho na primeira safra e 9,1 milhões de toneladas de milho na segunda safra) e declínio de 6,8% para o algodão herbáceo (155 mil toneladas).

RANKING NACIONAL

Entre os entes federados, Mato Grosso lidera como o maior produtor de grãos do País, com uma participação de 27,9%, seguido pelo Paraná (16,7%), Rio Grande do Sul (11,4%), Goiás (10,4%), Mato Grosso do Sul (8,0%) e Minas Gerais (6,0%), que, somados, representaram 80,4% do total nacional. 

Quando consideradas as regiões, o Centro-Oeste lidera concentrando 46,6% da produção nacional, na sequência vem a região Sul (30,8%), seguido do Sudeste (9,8%), Nordeste (8,5%) e Norte (4,3%).

A produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2020 foi estimada em 247 milhões de toneladas, 2,3% acima da safra de 2019 e 0,8% superior ao mês anterior (mais 1,9 milhão de toneladas). Já a área a ser colhida é de 64,5 milhões de hectares, 2,0% acima da de 2019 (mais 1,3 milhão de ha) e 0,2% maior que a estimativa anterior (mais 152,1 mil ha).

O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo e, somados, representaram 92,6% da estimativa da produção e responderam por 87,4% da área a ser colhida. Em relação a 2019, houve acréscimos de 1,7% na área do milho (aumentos de 4,1% no milho de primeira safra e de 0,4% no milho de segunda safra), de 2,5% na área da soja e de 0,9% para a área do algodão herbáceo, além de queda de 1,9% na área de arroz.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!