Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRÉDITO RURAL

Plano Safra 2020/2021 disponibiliza R$ 236,3 bilhões aos produtores

Ministra Tereza Cristina destacou o papel da agropecuária que cresceu 1,9% no primeiro trimestre
17/06/2020 19:28 - Súzan Benites


Foi lançado nesta quarta-feira (17), o Plano Safra 2020/2021 que vai disponibilizar R$ 236,3 bilhões em recursos aos produtores. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Dias, destacou o papel fundamental da agropecuária para o Brasil e para o mundo, especialmente neste momento de pandemia.

“A agropecuária é uma atividade nobre. Acredito que agora, depois de enfrentarmos essa pandemia, nós, brasileiros, saberemos valorizar mais quem está no campo e faz chegar à nossa mesa comida farta e de qualidade”, disse a ministra durante o lançamento.

Tereza Cristina explicou que o Plano Safra é focado nos pequenos e médios produtores, que são os que mais precisam do suporte do Governo Federal. Ela ainda destacou que a agropecuária cresceu 1,9% no primeiro trimestre de 2020, enquanto outros setores sofreram retração. Além de abastecer o mercado interno, o agro exportou 17,5% a mais em relação ao mesmo período de 2019.

“Esse cenário nos dá a convicção de que a agropecuária brasileira será um dos principais motores da retomada econômica após a Covid-19, que impôs uma situação dramática, nunca vista, em esfera global. Precisamos de esperança e otimismo para superarmos tudo isso e é nesse espírito que lançamos hoje o Plano Safra 2020-2021”, avaliou.

VALORES

O Plano Safra 2020/2021 contará com R$ 236,3 bilhões, um aumento de 6,1% ou R$ 13,5 bilhões em relação ao ciclo passado (2019/2020). Desse total, R$ 179,4 bilhões são para custeio e comercialização. E  outros R$ 57 bilhões para investimentos diversos do setor produtivo. “São valores que foram corrigidos muito acima da inflação do período. Destaco que 65% do crédito rural serão aplicados a taxas de juros controladas”, destacou Tereza Cristina.

O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) vai contar com R$ 33,12 bilhões (entre verbas para custeio e investimento), 25,1% mais que na temporada passada. Para os pequenos produtores, R$ 33 bilhões serão disponibilizados por meio do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), volume 5,7% maior que na safra anterior.  

Já para os demais produtores e cooperativas, os recursos terão alta de 3,1%, chegando em R$ 170,17 bilhões. Antes do ajuste final, a previsão era de R$ 32,90 bilhões aos médios produtores e R$ 169,77 para os demais, além de cooperativas.

“Para os produtores da agricultura familiar, os juros serão de 2,75% e 4,0% ao ano, os menores. A subvenção ao prêmio do seguro rural teve acréscimo de 30% no valor, ficando em  R$1,3 bilhão”, concluiu a ministra. 

*Com informações de agências

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!